VITÓRIA DA FRAQUEZA

vitoriaVivemos numa sociedade perversa, mas que rotula maus cidadãos. Esse fenômeno está dentro de uma normalidade previsível, porque mesmo uma sociedade inimiga de Deus necessita de um código moral e de conduta para manter o bom andamento das comunidades. Na igreja  não é diferente. São necessárias normas e regras para manter o bem estar dos fiéis, que devem ser baseadas na única regra de fé, a palavra de Deus. Bom seria se a sociedade secular adotasse o código moral do decálogo; assim teríamos menos hospitais, prisões e empregos para os aplicadores da lei. O problema surge quando a igreja começa a absorver a proposta secular de justiça. É lamentável que em alguns casos, no exercício da aplicação disciplinar, a balança da justiça pende para o lado legalista onde a compaixão, a misericórdia e a restauração são deixadas de lado, em nome do “zelo”. Há casos em que o crente pecador é rotulado e tirado de circulação e o inimigo sai vitorioso. Dessa forma, muitos abandonam a fé, sentindo a maldição de um Deus que supostamente seria ilimitado em perdoar, sendo-o de fato. Deixam de ir à igreja porque mantém algum vício, algum pecado ou mesmo não possuem roupas adequadas – tudo por vergonha, medo da rejeição, críticas ou mesmo receio de serem marginalizadas. É claro que é preciso admoestar e aplicar a disciplina, afinal, vivemos numa coletividade; mas até para isso, Jesus já deixou toda a orientação por escrito para evitar qualquer confusão ou caprichos pessoais, sendo a regra para tal, o amor e a restauração. Jesus Cristo disse: “Os sãos não necessitam de médico, e sim os doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.” Marcos 2:17  Se a igreja é um hospital, por que os bem “doentes” devem ficar fora dela, principalmente aqueles que estão em “estado terminal”? O evangelho de Cristo não se contradiz e tem o objetivo de receber e salvar o pecador. “O que vem a Mim, de maneira nenhuma o lançarei fora.” João 6:37  é o próprio Jesus Cristo afirmando. Todos erram, mas alguns erram mais não é? E para esses que erram muito, dou o meu recado de hoje.
Deus tinha um grande projeto para José, mas ele era um ser arrogante. Como resultado, sofreu humilhação e a dura vingança dos irmãos. Finalmente aprendeu a lição e ficou apto para assumir o governo egípcio e trazer a família de Israel para o Egito.
Deus tinha um grande projeto para Moisés, mas ele era um ser violento, chegando mesmo a cometer um assassinato. Sofreu um castigo de 40 anos no deserto, até que ficou manso e apto para assumir a solene missão de tirar o povo de Israel do Egito.
Paulo  executava pessoas friamente, mas caiu do cavalo e foi humilhado até aprender a lição da misericórdia e humildade. Finalmente foi escolhido como o grande apóstolo aos gentios.
Pedro era violento e genioso. Traiu o Mestre e chorou amargamente. Mas com apenas um penetrante olhar de Jesus, teve sua vida transformada. Finalmente estava apto para ser o apóstolo aos Judeus e líder da igreja primitiva.
O rei Davi era mulherengo e sanguinário; sofreu muito, mas arrependeu-se até o pó. Foi o grande rei de Israel e considerado o homem segundo o coração de Deus.
Amigo, se você tem muitos defeitos ou aquele defeito enorme e por ele sofre alguma consequência, não desanime. Aceite humildemente a repreensão de Deus; pode ser que através dela é que Deus esteja preparando-o para um grande projeto que somente você poderá realizar. Quando somos humildes diante de Deus e buscamos o Seu perdão, não há defeito que nos desqualifique para cumprirmos Seus projetos.

Por: Rubens Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *