Amor na prática.

papel_cristaoQuando falamos ou pensamos em Jesus Cristo, em viver em Seus caminhos, que conforme Sua palavra diz, é a verdade e a vida, surgem vários questionamentos como: qual a forma que posso harmonizar isso com a vida que levo no dia a dia, com amigos da faculdade, de trabalho e assim por diante. Será que é possível viver nas tarefas cotidianas permanecendo firme com os ensinamentos de Jesus?

Essa inquietação só passa a ser minimizada ao passo que buscamos preencher nossa mente com os Seus ensinamentos, independente do lugar ou tempo.

Mas como consigo isso?

Na realidade só podemos fazer parte de algo quando efetivamente nos comprometemos com aquilo. Nesse caso, só podemos fazer parte da família cristã na medida em que vivemos isso.

Na prática é considerar que como ser humano, consequentemente sociável, precisamos estar juntos com pessoas que compartilham as mesmas ideias.

Quando nos agrupamos com pessoas do meio cristão nos tornamos mais fortes, por compartilhar os mesmos princípios, as mesmas particularidades, as mesmas dificuldades, e com isso trocar experiências que nos ajudam a vencer as dificuldades cotidianas, seja por ajuda de ordem material, física, prática, ou seja, por ajuda espiritual (oração).

A palavra de Deus nos estimula a incentivar uns aos outros, estarmos juntos, nos encorajar (Hebreus 10:24-25)

A união e comunhão entre nós cristãos é fundamental.

Mais ainda, devemos amar ao próximo e sempre buscar a comunhão e a integração entre nossos amigos, de forma que possamos crescer e nos unir a cada dia.

LARGUE AS PEDRAS!

Minissérie Rei Davi, estreia com boa audiênciaQuando falamos em palavra que Deus nos traz através da Bíblia para nos edificar e lembramos da palavra pedra, normalmente nosso pensamento vai para Davi, que derrotou Golias com apenas uma pedra (I Samuel 17:49)!
Nesse caso a pedra está ligada com a vitória e provavelmente por isso nos lembramos com mais facilidade!
Entretanto existe uma passagem extremamente relevante na Bíblia onde a pedra tem muita importância, mas que precisamos fazer um esforço um pouco maior para recordarmos, possivelmente por tratar-se de uma parte de exortação ao cristão, está em João 8:1-10!
Jesus estava no Monte das Oliveiras ensinando o povo. Escribas e Fariseus (pessoas que queriam contestar Jesus) trouxeram uma mulher adúltera, apanhada no próprio ato de adultério.
A Lei de Moisés mandava que ela fosse apedrejada. Caso Jesus não seguisse a Lei de Moisés ele seria “acusado” de não seguir os ensinamentos corretamente.
Por outro lado, caso Jesus mandasse que a apedrejasse estaria indo contra a lei de Roma que não permitia que os judeus aplicassem execuções.
Nesse momento Jesus estava escrevendo e apenas respondeu, sem negar a Lei de Moisés e nem a de Roma: “Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.” e simples e calmamente continuou a escrever! Que sabedoria inspirada pelo Espírito de Deus!
Aconteceu que TODOS saíram, todos sabiam que tinham pecados, assim como TODOS nós temos pecados!
Hoje também seria muito importante se cada um de nós, antes de lançarmos uma “pedra”, julgarmos nosso semelhante, largássemos nossa pedra e orássemos por ele. Nenhum de nós temos a possiblidade de “apedrejarmos”, pois se fosse assim também deveríamos ser “apedrejados”.
Em outras palavras, quando estiver julgando, certamente será julgado, mas ao parar de julgar, estará livre de julgamentos (Mateus 7:2).
Vamos largar as pedras do julgamento que temos em nossas mãos!

Vencendo o mal

jesusVocê não é (Deus não te fez): 1 ) Coisa – para ser usado; 2) Número – para ser apenas mais um; 3) Descartável – para ser jogado fora. Para isso dizemos amém!
Por outro lado, nosso irmão não foi feito coisa para usarmos, não é número para apenas contarmos e descartável para jogarmos fora! Para isso temos que dizer amém também!
Palavra: “Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.” (Mateus 7:12)
Não existe: 1) Venha a nós o TEU reino, o reino de Deus, sem seja feita a TUA vontade, a vontade de Deus em nossa vida (Mateus 6:10); 2) Perdoa as nossas dívidas, sem que nós perdoemos os nossos devedores (Mateus 6:12)
Muitas vezes somos magoados, machucadas, feridos, ou seja, atingidos na carne. Quando conseguimos levar ao altar estas situações, reagindo espiritualmente, vencendo o mal com o bem, como diz a palavra (Romanos 12:21), ou seja, orando por quem nos machucou, perdoando que nos feriu e assim por diante, somos grandemente abençoados por cumprir a palavra do Senhor!
Mais importante do que nossa ação que é pensada, refletida e calculada, o que permite basearmos no espírito, é a nossa reação, que é imediata, impensada, e muitas vezes fruto da nossa carnalidade. O desafio é elevar nossas reações (carnais) ao patamar espiritual, assim como são nossas ações!

Geração coca cola x Geração saúde!

 agua da vida-evangelismoInteressante o paralelo que o mundo físico tem com o mundo espiritual.
Até mesmo nas coisas pequenas podemos perceber.
Recentemente temos visto reportagens científicas sobre os grandes malefícios causados pelos refrigerantes, de forma que incentivam a beber água como a forma correta e única de matar a sede de forma saudável.
Interessante é que independente de ler qualquer um destes artigos ou de até mesmo acreditar é que todos sabem que os refrigerantes são gostosos, mas não matam nossa sede, não nos satisfaz fisicamente. Para isso somente a água resolve!
Espiritualmente somos assim, muitas vezes, procuramos algo que nos agrada, mais gostoso, mais docinho. Doutrinas que nos confortam, nos envolvem, nos dizem o que fazer, como fazer, onde chegar, mas que nunca nos dão a plena satisfação, não matam nossa sede, nos deixam espiritualmente insatisfeito.
Isto porque existe somente uma forma de nos satisfazermos, Jesus:
“Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. (João 4:14)”
Vamos beber desta água e ficarmos satisfeitos!

MORTOS VIVOS X VIVOS MORTOS

The Walking Dead_2Em tempos de zumbis e walking dead percebemos o interesse do ser humano por mortos vivos.

Talvez porque a maioria de nós, sim, a grande maioria de nós, está vivendo como vivos mortos.

Explica-se: estamos vivos, fisicamente, mas mortos espiritualmente.

Qual o sentido temos dado a nossa vida, qual o principal objetivo de nossa vida? Ter dinheiro, colecionar amigos, sucesso profissional, cuidar dos filhos ou qualquer outra pessoa?

Todos estes sentidos um dia acabarão, pararão de ter significado quando morrermos fisicamente e o que sobrará é o que tivermos feito para o além da vida física.

Tudo que dedicarmos para esta vida, se não tiver como objetivo a vida eterna é vaidade e para não parecer exagero, entenda-se como passageiro!

Pergunta-se:

1) Como dedicar-me a vida eterna?

Em primeiro lugar tendo certeza da sua vida eterna e em segundo lugar levando outras pessoas a terem a vida eterna!

2) Como ter a vida eterna?

Fomos separados de Deus em razão do pecado original de Adão, que habitava o paraíso e tinha a vida eterna. Deus enviou Jesus como forma de religar esta união (João 14:6), ou seja, nascemos separados de Deus, Ele quer estar unido conosco, através de Jesus Cristo, mas a decisão é nossa.

A decisão é sua, Deus respeita! Decida voltar para o Pai e receber a vida eterna: “A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” (Romanos 10:9)!

UM MUNDO MAIS JUSTO. PODEMOS VENCER ESTA LUTA?

Deus resolve
Deus resolve

Há cinquenta anos, em um lindo discurso de Marter Luther King (“Eu tenho um sonho”) podemos constatar que a luta pela igualdade já era um grito das minorias!
Ocorre que hoje, após cinco décadas, é inegável que pouca coisa mudou, ou que muita coisa ainda deveria mudar.
Será que estamos querendo a coisa certa (igualdade), mas agindo de forma errada?
Quando lutamos para termos uma sociedade mais igual e justa estamos em primeira análise reconhecendo que existem diferenças.
Diferenças das mais diversas, como de pele, de classe social, de conhecimento, e assim por diante.
Nós, a sociedade, declaramos que existe uma regra e tudo que sai desta regra (exceção) nos causa indisposição. Seria hipocrisia negar isso. A própria palavra, exceção, já mostra a desigualdade.
Devemos ser magros, criamos cadeiras para obesos. Ter dinheiro é o que vale, criamos cotas em faculdades para aqueles que não têm. Alguém realmente acredita que estas providências resolveram algo? O gordo emagreceu? O pobre ficou mais rico?
Ou será que criaram mais segregação? O gordo está sentado envergonhado na cadeira de obeso e o cotista humilhado?
Nenhum de nós conseguirá vencer a luta da desigualdade lutando ou tentando criar igualdade! Este caminho é errado!
Somos iguais (seres humanos), e, em um contrassenso, nós mesmos produzimos as desigualdades em razão de nossa condição mental tendenciosa, para não dizer pecadora (o que também pode ser dito).
Sabendo que existem diferenças e que elas nunca deixarão de existir, como podemos lutar por uma igualdade de condições, por um mundo mais justo?
Somos todos criados por Deus que como maior mandamento, depois do amor que temos que ter por Ele, nos diz que devemos amar ao outro (Marcos 12:29-31).
Jesus fez isso. Lutou contra desigualdade com o amor e não brigando pela igualdade!
Jesus, por amor, curou quando as regras desiguais diziam que não podia fazer isso.
Jesus, por amor, conversou e abençoou pessoas quando as regras desiguais diziam que não podia fazer isso.
Jesus, por amor, fez muitas coisas quando as regras desiguais diziam que não podia ser feito fazer isso.
Por isso, faço um convite a cada um que lê este artigo: vamos deixar de lutar pela igualdade, isso é utopia. Vamos passar a lutar pelo AMOR (I Coríntios 13).
“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”
Vamos amar o outro como a nós mesmos, fazendo para o outro o que gostaríamos que fizessem para nós! (Lucas 6:31 e Marcos 12:31)
Não existem sementes de igualdade. Não tem como plantarmos e colhermos igualdade. Entretanto, ao plantarmos amor teremos lindos e maravilhosos frutos de igualdade! PLANTE AMOR!
A semente para colheita da igualdade é o Amor.

PRIORIDADES X PRESSÕES

800Quais seriam nossas prioridades se não fossemos atropelados pelas pressões aplicadas pela nossa rotina em nosso dia a dia?
Existem tarefas que temos realizado por serem impositivas e por isso deixado de realizar outras apesar de serem importantes?
Precisamos rever: as atividades que fazemos por ativismo e as atividades por amor ao próximo que deixamos de fazer.
Será que temos deixado aquilo que vale a pena para fazer aquilo que deixamos se apresentar como urgente?
Devemos decidir fazer nossas opções de forma correta, ou seja, de acordo com a palavra de Deus e não da maneira que as forças da vida nos impõem!
Bill Walton é um dos fundadores da rede de hotéis Holiday Inn. Certa oportunidade ele disse: “É verdade, ajudei a construir uma das grandes empresas dos Estados Unidos. No entanto, para fazer isso, eu chegava toda manhã por volta das sete e raramente voltava para casa antes das dez da noite.”. Com tristeza adicionou: “Nunca assisti nenhuma partida de beisebol do meu filho”. Finalizando: “Eu lhes aconselho, jovens: aprendam a viver de acordo com as prioridades que a Bíblia ensina!”.
Podemos nos dividir em dois grupos.
O primeiro são os jovens, para quem os dizeres acima foram direcionados. Vocês tem a possibilidade de estruturar seu tempo de forma correta! Decidir fazer suas opções de forma certa, conforme a palavra de Deus e não com o que as pressões da vida nos impõem!
O segundo são os “não assim tão jovens” que, apesar de não poderem retornar no tempo, tem o tempo futuro abençoado, ao colocarem nas mãos de Deus: “Vou compensá-los pelos anos de colheitas que os gafanhotos destruíram” (Joel 2:25 – Primeira Parte)
Independente do grupo que fazemos parte o importante é que para Deus sempre seremos prioridade e com Ele sempre é tempo de desfrutarmos as bençãos que nos reservou, basta nós O procurarmos!

VIVENDO EM CAIXAS

CAIXAS-P-LEMBRANCINHAS-BY-ELMA-PINHEIRO-500x270Atualmente todos nós fazemos parte de um sistema.
Este sistema funciona nos colocando em caixas que modelam nossa forma.
Com isso normalmente apenas seguimos o fluxo da vida, esquecendo que a cada dia que passa estamos mais perto da morte, o que poderá ser hoje.
Seguir o fluxo é de forma ampla repetir diariamente o que a maioria faz e também repetir, sem refletir, o que nos dizem e ter isso como verdade.
O máximo que conseguimos pensar é de forma comparativa com os demais. Sou melhor que ele, tenho mais dinheiro que ela, o carro dele é melhor que o meu… e com isso viver na expectativa que amanhã, através do meu empenho no trabalho, terei mais dinheiro e poderei ser melhor que os outros.
A única coisa que essa expectativa equivocada nos traz é a infelicidade de não conseguir aquilo que pretendo, pois quando consigo é quase que como se cumprisse uma meta, uma obrigação.
Acordamos e trabalhamos, pois precisamos de dinheiro para sobreviver. Literalmente sobreviver, pois além do trabalho praticamente só comemos e dormimos.
Isso nos levou a crer que o comer é uma diversão. Comemos, não para nos alimentar como deveria ser, mas para nos divertirmos, esquecermos os “problemas”, o que por muitas vezes nos traz dificuldades com a saúde.
Para que fomos criados? Para apenas sobrevivermos?
E o cuidado com a saúde? E o tempo com a família? E a dedicação a Deus?
Isso fica para segundo plano e muitas vezes quando fazemos é apenas também para satisfazer padrões do sistema, por exemplo, tiro férias e viajo, de preferência para o lugar da moda com minha família, ou, vou à igreja com minha família, afinal preciso ter uma religião, mas sequer sei o plano de Deus para minha vida.
A relação mecânica e não diária com a família não faz com que sejamos uma família, mas sim pessoas que moram juntos. Isso é cada vez mais comum. Família é mais que isso.
O comparecimento sistemático à igreja não traz relacionamento com Deus, mas sim um religioso, possivelmente hipócrita, perdendo o tempo. A religião e a igreja não trarão nada a ninguém. Deus é mais que isso.
Família e Deus requerem relacionamento, tempo, amor, dedicação e assim por diante.
Paradoxalmente nosso tempo, amor, dedicação normalmente estão voltado ao nosso trabalho/dinheiro.
Quem permite ser colocado nessa caixa criada e moldada pelo sistema somos nós mesmos.
Vamos sair desta caixa, deixar de sobreviver e passar a viver!
Devemos trabalhar e é muito bom ter dinheiro, mas também devemos nos dedicar a nossa saúde, a nossa família e a Deus!
“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12:2
Essa é uma decisão pessoal. Cabe a nós decidirmos e com a inteligência que Deus nos deu colocar em prática.

PENSADORES X REPETIDORES

pensador20copyQuase todos nós imaginamos que somos especiais e importantes. Somos sim, para Deus sempre, para as pessoas quase nunca.
Porém em um mundo de bilhões de indivíduos, a esmagadora maioria passará por esta vida de forma medíocre (na média), sem consideráveis conquistas e superações.
Talvez a simples percepção, ainda que não consciente disso, é uma das causas de tantos problemas “da alma”.
Aqueles que conseguem serem diferentes, acima da mediocridade (média), os pensadores deste sistema que fazemos parte, normalmente veem tudo, inclusive pessoas, como “números”.
Quando nós permitimos este tratamento (como números), damos aval a uma vida medíocre que nós mesmos viveremos, sendo apenas repetidores quando podemos ser pensadores e inovadores de nosso futuro.
Nesse paradoxo entre pensadores e repetidores o grande desafio é sermos pensadores não tratando repetidores como números, pois aí seremos pensadores realmente como Deus, através de seu filho, nos pediu, amando o próximo como a nós mesmos!
Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? (I João 4:20)
Pense nisso, pode ser cruel, mas se não fizermos nada será nossa realidade!

NECESSIDADES MATERIAIS X NECESSIDADES ESPIRITUAIS

mar vermelhoQuando falamos de necessidade materiais, ao levarmos em conta as analises de estudiosos sobre o assunto chegaremos a conclusão, de forma aceita pela maioria, que:

1 – Nosso primeiro objetivo relaciona-se com as necessidades fisiológicas, tais como alimentação, sono e vestimenta;

2 – Em segundo lugar as questões pertinentes à segurança, ou seja, segurança própria, da família, moradia;

Estes dois primeiros itens estão ligados a necessidades básicas, ao que eu necessito ter.

3 – O próximo da lista é o amor e os relacionamentos, sejam familiares, amizade e até mesmo sexual;

A partir daqui entramos em um campo que gera motivação ao ser humano, passamos das necessidades primárias para as secundárias.

4 – Na quarta colocação está a estima, em outras palavras, nossa busca pela realização própria, conquista de respeito de outros.

Estes dois itens (3 e 4) relacionam-se as necessidades psicológicas, ao que sou.

Levando em consideração estes quatro primeiros tópicos, temos as necessidades intrínsecas (essenciais) e recompensas extrínsecas (exterior).

5 – Finalmente, por último, temos a realização pessoal, uma necessidade de auto realização, que envolve solução de problemas e ausência de preconceito.

Este patamar final relaciona-se ao ser mais, são as necessidades e as recompensas intrínsecas.

Atualmente temos percebido a busca espiritual para recebermos coisas materiais, o que também pode ser escrito como busca espiritual para realização das necessidades materiais.

O que Deus nos ensina?

Ele nos ensina que (Marcos 12.28-31):

1 – Devemos amar a Deus de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de todas as forças;

2 – Amar ao teu próximo como a nós mesmos.

De forma mais explicada, que só teremos realização material mediante a realização espiritual, ou ainda, temos que ter a busca espiritual por amor a Deus e não a matéria, com isso a matéria poderá e será acrescentada (Mateus 6:33) de forma completa e próspera. Isso não quer dizer, necessariamente riqueza material, mas com certeza completa satisfação!

Entretanto até aqui só abordamos o que envolve nossa matéria, nosso corpo carnal, que certamente um dia não teremos mais.

Devemos lembrar que o mais importante não é isso, mas sim a preocupação com o espirito, pois só assim poderemos ter continuidade de satisfação após não termos mais nosso corpo terreno.

Independente de religião sempre teremos, quando a abordagem é de forma espiritual, quem e alguma maneira que levará o homem ao céu, paraíso ou qualquer seja o nome que for dado.

Entretanto pela Bíblia só há uma forma: Jesus!

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6)