Três crianças continuam internadas por causa de intoxicação com leite em Santa Catarina

Três crianças ainda estão internadas por causa da intoxicação por ingestão de leite da marca Holandês em Santa Catarina.

Elas estão hospitalizadas em Itajaí e Navegantes, no Litoral Norte, e em Joinville, no Norte, mas não correm risco de morte, conforme informou o diretor da Vigilância Epidemiológica no Estado, Fábio Gaudenzi.

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina decidiu retirar do mercado lotes de leite que seriam responsáveis pela intoxicação de pelo menos 18 crianças menores de três anos. Elas apresentaram quadro de cianose central aguda, que se trata da falta de oxigenação dos tecidos do corpo. Até à tarde deste domingo, 15 crianças apresentaram melhora e receberam alta.

Segundo a Vigilância, os sintomas foram ocasionados pelo consumo de nitrito, que impede a absorção de oxigênio pelas hemoglobinas, células vermelhas, responsáveis pelo transporte de oxigênio, do sangue. Ao que tudo indica, o nitrito foi consumido junto com leite da marca Laticínio Holandês, com sede em Biguaçu. Todas as caixas dos lotes 0687 e 0689 estão sendo recolhidas dos pontos de venda.

Recomenda-se que, caso a pessoa tenha leite da marca em casa, verifique o lote impresso na caixa. Caso coincida com os lotes citados, entre em contato com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica por meio dos seguintes telefones: (48) 3221-8452 ou (48) 9112-2719 (dias de semana das 7h às 19h) e (48) 9105-5450 (durante a semana das 19h às 7h e finais de semana e feriados). Para orientações relacionadas à assistência, diagnóstico clínico e laboratorial, bem como tratamento, ligar para o Centro de Informações Toxicológicas no telefone 0800-643-5252.

Todos as crianças contaminadas passam bem, apesar de que, em alguns casos, houve necessidade de internação em UTIs e até de respiração mecânica. As razões para a contaminação dos lotes ainda serão investigadas. Nenhum representante da marca Laticínio Holandês foi encontrado para falar sobre o caso.

Fonte Diário Catarinense

Luciano Costa Jornal Gospel News

Comidas orgânicas são produzidas de maneira a evitar o uso de agrotóxicos e outros defensivos agrícolas

Um estudo da universidade de Stanford, nos Estados Unidos, afirma que comida orgânica não é mais nutritiva do que os demais alimentos. Na média, não foi detectada diferença na tabela nutricional, embora os alimentos orgânicos demonstraram conter 30% menos agrotóxicos.
A pesquisa contradiz o que muitos especialistas dizem sobre alimentos orgânicos. Os resultados do estudo de Stanford foram criticados por ativistas que fazem campanha por agricultura sustentável e produtos orgânicos.
‘Surpresos’
O trabalho analisou dados de 17 estudos, que compararam pessoas que comeram alimentos orgânicos com outras que ingeriram não-orgânicos. Também foram observados 223 trabalhos sobre os níveis de nutrientes, bactérias, fungos e agrotóxicos em vários alimentos, incluindo frutas, legumes, grãos, carnes, leite e ovos.
Comidas orgânicas são produzidas de maneira a evitar o uso de agrotóxicos e outros defensivos agrícolas e com padrões menos nocivos ao meio ambiente. Além disso, elas não podem ser modificadas geneticamente.
“Alguns acreditam que comida orgânica é sempre mais saudável e com mais nutrientes. Nós ficamos um pouco surpresos de não descobrirmos isso”, conta o pesquisador-chefe, Crystal Smith-Spangler.
De acordo com o estudo, frutas e legumes contêm a mesma quantidade de vitaminas, e o leite não apresenta variação no teor de proteína e gordura. No entanto, algumas pesquisas apontaram que o leite orgânico possui mais ômega-3.
Alimentos orgânicos contém mais nitrogênio, o que de acordo com os pesquisadores se deve a diferenças no fertilizante usado e na técnica de colheita. Mas eles acreditam que isto não traz benefícios a saúde.
Críticas
A pesquisa foi divulgado na publicação médica Journal Annals of Internal Medicine, e foi criticada por muitos especialistas. Para os críticos, nenhuma das pesquisas analisadas durou mais de dois anos, o que impossibilitaria conclusões de longo prazo.
Além disso, as evidências usadas na pesquisa variaram muito, o que, de acordo com os pesquisadores, é explicado pelas diferentes condições climáticas e de solo. A Associação do Solo, entidade britânica que faz campanha pelo plantio sustentável de comida, disse que o estudo contém falhas.
“Um estudo do Reino Unido usando uma análise correta das estatísticas descobriu que a maioria das diferenças nos níveis de nutrientes entre frutas e legumes orgânicos e não-orgânicos vistos neste estudo dos Estados Unidos são, na verdade, muito significativos”, disse a entidade.

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

Receita: Torta de Sonho de Valsa sugestão especial para o inverno

Torta de Sonho de Valsa
por Cláudia Simone Eckhardt, doceira do Ataliba de Florianópolis

Ingredientes

Creme Holandês

5 gemas

1 lata de leite condensado

1 lata de creme de leite

1 litro de leite

1 colher de essência de baunilha

Bombom sonho de valsa picado

Modo de preparo

Bata as gemas, o leite condensado, a essência de baunilha e o creme de leite e o leite, no liquidificador. Leve ao fogo para ferver.

Em uma forma com a massa de pão de Ló previamente assada, coloque uma camada de creme holandês. Cubra com o creme preparado com os outros ingredientes. Por fim, coloque uma camada de creme de leite e polvilhe com os bombons picados.

SERVIÇO 

Churrascarias Ataliba de Florianópolis
Fone: (48) 3333 0990.
Endereço: Avenida Beira Mar Norte, nº. 5050, na Agronômica, próximo à sede da Polícia Federal e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Site: 
 http://www.ataliba.com.br/
Twitter: http://twitter.com/ataliba_sc
Facebook:  
https://www.facebook.com/ataliba.sc

__________________________________________

Assessoria de Imprensa da Churrascarias Ataliba

Jornalista Louisiana Waleska Day – Mtb/SC 01251 JP

Fone: (48) 8406-1761 e 4105-1020

E-mail/MSN: louisianawaleska@hotmail.com

Por Luciano Costa Jornal Gospel News

Além da fé: igrejas amparam fiéis na saúde

Templos oferecem médicos, nutricionistas e outros serviços
Muito mais do que um local para praticar a fé. É isso que as igrejas têm se tornado com o incremento de ações voltadas pelo bem da saúde de suas comunidades. Independentemente da religião e da crença, hoje é possível encontrar templos que ofereçam tratamento dentário, nutricionistas, farmácias e até mesmo acolhimento para dependentes químicos.
Esse é o exemplo da Igreja Evangélica Batista em Jardim da Penha, Vitória (ES). Há dez anos, o templo acolhe dependentes químicos. Eles são levados para uma comunidade terapêutica onde é feito um acompanhamento laboratorial e psiquiátrico de seis meses.
Nos consultórios médicos, presentes em muitas igrejas, há até orientação de nutricionistas, como ocorre na Primeira Igreja Batista de Vitória, no Centro.
Confira alguns serviços da igreja:
Nutricionista
O atendimento feito na Primeira Igreja Batista de Vitória conta com a orientação até mesmo de um nutricionista, além de um psicanalista que faz o acompanhamento periódico. Tudo é aberto à população carente.
Desintoxicação
A Igreja oferece acolhimento para usuários de drogas e álcool. Eles são encaminhados para uma comunidade terapêutica em Nova Carapina II e Jacaraípe, na Serra. Após o tratamento, que dura seis meses, o acompanhamento psiquiátrico é feito na própria igreja. O custo depende da condição financeira do interessado – pode chegar a R$ 900 por mês. A igreja também oferece o serviço de médicos, dentistas e enfermeiros, além de distribuição de medicamentos.

Fonte: Gazeta Online / Jornal Gospel News