Ex-homossexual, Daniel Felipe testemunha encontro com Deus

Na infância, Daniel Felipe não gostava tanto de futebol, pipa e outas brincadeiras comuns dos garotos.
Por conta disso, sempre foi alvo de brincadeiras de mau gosto. Ainda garoto descobriu que não era filho do homem que imaginava ser pai dele.
Decepcionado, Daniel se envolveu com drogas e com a homossexualidade. Ainda assim o vazio em sua vida continuava. Até que um verdadeiro encontro com Deus mudou sua história.
“Quando eu disse sim de verdade eu senti as àguas do Senhor sobre mim, foi uma coisa maravilhosa”, conta.
Conheça a história e o testemunho do jovem Daniel nos vídeos abaixo.



Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

Ressaltando a grandiosidade da graça de Deus, pastor John Piper se diz “maravilhado por ainda ser cristão”

O pastor batista John Piper declarou durante a Together for the Gospel Conference que se sente maravilhado por permanecer cristão.
Aos 66 anos, o pastor da Bethlehem Baptist Church contou que há 60 anos tornou-se cristão, e tornou-se pastor há 32 e, sob seu ponto de vista, apenas a graça de Deus seria capaz de sustentá-lo durante todo esse tempo: “Se algum detalhe nesse tempo dependesse exlusivamente de mim, eu teria deixado de ser um cristão há muito tempo… Eu não tenho nenhuma dúvida sobre isso em tudo”.
De acordo com o Christian Post, a expressão do pastor em relação à capacidade de sustentação da graça divina durante as tribulações foi ressaltada com uma afirmação de que ele tornou-se dependente desse favor.
-Tenho o Espírito e tenho a Cristo, e estar na videira nos faz uma só coisa, e minha vida está Nele. Ele é minha vida. Se Ele não estiver ali, não tenho vida. Não existe uma vida independente em mim – declarou o pastor durante seu sermão na conferência, que reuniu milhares de outros líderes e pastores.
Citando o versículo 24 do capítulo único do livro de Judas, Piper pontuou que a intervenção divina no cotidiano é o que mantém os cristãos e sua fé de pé: “Da mesma forma que o universo não foi criado e não se sustenta por si mesmo, os cristãos não se formam, e sua fé não é mantida, sem a benção ativa de Deus em suas vidas. Pense sobre o fato de que a criação e o sustento da vida espiritual é algo que não podemos fazer, mas Deus [pode]”, pontuou.
Por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+ / Jornal Gospel News

Dependente de Tranquilizantes? Um estudo publicado no British Medical Journal aponta que tais remédios estão associados ao aumento de casos de demência

Um alerta que vem da Inglaterra pode ser transferido para outros países: o consumo indiscrimado de tranquilizantes. Remédios que deveriam ser tomados por curtos períodos estão sendo ministrados continuamente, causando dependência. Estima-se que na Inglaterra mais de 1,5 milhão de pessoas estão fazendo uso errado de substâncias, como diazepam, benzodiazepinas, entre outros.
Um estudo publicado no British Medical Journalaponta que tais remédios estão associados ao aumento de casos de demência e outras pesquisas já associaram o abuso de tranquilizantes a mortes prematuras. “Não há dúvidas que benzodiazepinas podem causar dependência, mas se usadas direito e por curtos períodos, podem tratar casos de ansiedade”, diz o médico Owen Bowden-Jones, da Royal College of Psychiatry, ao jornal Daily Mail. No entanto, pesquisas estimam que 8% de pessoas com mais de 65 anos estejam consumindo os remédios de acordo com a própria vontade.
As principais consequências são estado de permanente confusão, lapsos de memória e cansaço extremo. E quando param com a medicação, sofrem sintomas de abstinência, como dores abdominais, enjoos e perda de apetite.

Fonte: Terra / Jornal Gospel News

Cura divina: médicos e acadêmicos se unem para documentar milagres

A Global Medical Research Institute (GMRI), uma organização formada por médicos e acadêmicos, está estudando práticas de cura por meio da oração em nome de Jesus e pela atuação do Espírito Santo.
Com a utlização de rigorosos métodos científicos baseados em evidências o grupo que reunir uma documentação com fatos médicos e verdades espirituais sobre cura.
A ideia do estudo é do avivalista Randy Clark. Segundo a enfermeira Brenda Jones, membro do conselho do GMRI, a maioria das pessoas e mesmo os profissionais de medicina acreditam no poder curativo da oração. Ela conta que mesmo pessoas não religiosas aceitam que orem por elas. “Queremos provar que Deus está realmente curando pessoas  por meio da oração”, diz Randy.
Segundo reportagem da Time, 82% dos americanos acreditam no poder da oração pessoal e 64% dos pacientes acreditam que os médicos deveriam orar com aqueles que pedirem por isso.
Acima da explicação humana
O site do GMRI disponibiliza documentação médica para revisão. Os dados são checados por assistentes sociais e  enviados a peritos médicos em Boston, muitos deles filiados à Escola de Medicina de Harvard.
A conclusão dos pesquisadores é que muitos casos vão além da explicação médica. Alguns profissionais sugerem que o poder de cura divina realmente se manifesta.
O professor da Universidade de Indiana Candy Gunther Brown, que estuda há anos o assunto e lançou o livro Testando a Oração: Ciência e Cura,  o assunto está em alta, com um grande número de médicos interessados em saber sobre a oração e seus efeitos. Segundo o site Charisma, “se o GMRI conseguir um bom número de casos positivos, isso irá motivar outras pessoas a se envolver”, diz Brown.
Uma dessas pessoas é Cal Pierce, diretor da Associação Internacional de Quartos de Cura. Seu ministério, focado no poder e presença do Espírito Santo, tem o objetivo de levar ministros  aos doentes em todo o mundo. Os resultados seriam enviados ao GMRI.
“Podemos fornecer informações sobre o que é cientificamente inexplicável”, diz Pierce.   A intenção é também providenciar registros médicos que forneçam dados que mostrem a atuação do Espírito Santo.
Ele acredita que “mais pessoas vão colocar sua fé na cura pois  milagres serão reconhecidos por Deus e pelo homem. ”
Por Jussara Teixeira

Fonte:  Gospel+ / Jornal Gospel News

Igreja se mobiliza para combater a depressão

Nos dias 22 e 23 de setembro, a Frente Missionária de Barra da Estiva (BA) promoveu debates sobre depressão e suicídio, em virtude do grande número de pessoas que sofrem com esta enfermidade e também do número de suicídios na cidade, conforme explicaram os missionários Renato e Juliana Fagundes.
Muitas pessoas da igreja e da comunidade local estiveram presentes e tiveram oportunidade de ouvir a Dra. Márcia Rodrigues (foto), psicanalista e psicopedagoga. Além das palestras, ela prestou atendimento psicanalítico gratuito para várias pessoas.
Diante ainda de muitos desafios, os missionários pedem oração pela cidade, por suas vidas e pela Frente Missionária, a fim de que mais pessoas sejam libertas da opressão e encontrem em Cristo salvação e a paz  “que excede todo entendimento” nos momentos de tristeza.

Fonte: Junta de Missões Nacionais / Jornal Gospel News

Você conhece, um a um, seus amigos do Facebook?

A internet e as redes sociais estão tornando as amizades superficiais? Para responder a essa pergunta, a escritora americana Arlynn Presser, de 51 anos, optou por uma solução radical: conhecer pessoalmente, um a um, todos os seus 325 amigos virtuais. Ela tomou a decisão ao terminar um casamento de 23 anos, no mesmo momento em que vivia a síndrome de “ninho vazio” – seus dois filhos, Joseph, de 23 anos, e Eastman, de 19, haviam saído de casa para iniciar a vida de adulto. “Eu me senti desconectada de minha família e percebi que dependia de meus amigos do Facebook”, disse Arlynn a ÉPOCA. “Mas quem eram aquelas pessoas? Seriam amigos de verdade, mesmo que eu não os visse com frequência ou, em alguns casos, sem nunca tê-los conhecido pessoalmente?”. De janeiro a dezembro de 2011, Arlynn deixou a pequena Winnetka, município de 12 mil habitantes no Estado americano de Illinois, e viajou por 51 cidades em 11 países. Em seu périplo, fez 45 voos, encontrou 292 amigos e  superou um terrível inimigo interior – Arlynn sofre de um distúrbio de ansiedade que, nos últimos anos, a impedira de sair de casa. Ela reencontrou colegas dos tempos de escola e conheceu cara a cara seus adversários nos jogos virtuais. Alguns “amigos” não acharam tempo para Arlynn. Um exigiu que ela fosse sozinha a sua casa. Arlynn recusou. No balanço, diz que a experiência foi enriquecedora: “Senti-me muito próxima de algumas pessoas, mas percebi que sempre fica uma distância imposta pela internet”.
Arlynn iluminou um pouco mais sua vida, mas não decifrou o enigma da amizade em tempos de redes sociais. “Virou lugar-comum pensar que a versão virtual das relações é inferior ao correspondente real”, escreveu o filósofo holandês Johnny Hartz Søraker. “Essa percepção, aliada à ideia de que os relacionamentos virtuais substituirão os presenciais, nos leva à conclusão de que devemos concentrar esforços nas amizades reais em vez de procurar substitutas virtuais.” Essa visão, diz Søraker, professor da Universidade de Twente, não é inteiramente verdadeira. “É preciso considerar a possibilidade de as amizades virtuais suscitarem confiança e espalharem felicidade.”
Os limites da amizade via internet ainda não estão definidos – e são objeto de intensa controvérsia, teórica e prática. Filósofos como Søraker especulam sobre o futuro da amizade e das relações humanas. Pessoas comuns como os 54 milhões de brasileiros inscritos no Facebook se perguntam se aquilo que elas fazem todos os dias, se as horas que dedicam ao trato e à troca com pessoas que nunca olharam nos olhos são apenas uma perversão digital do mais nobre dos afetos humanos. Os amigos do Facebook são desbravadores que responderão, na prática, à pergunta definitiva: é possível criar amizades verdadeiras pela internet e cultivá-las à distância? Ou, na verdade, as redes sociais estão nos isolando atrás da tela do computador?

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

Existem dois tipos de festas, e você só pode escolher uma delas.

Mas estou falando daquelas festas gigantes, com comida quase que infinita e alegria que não acaba. As duas são, aparentemente, bem interessantes.
Existem dois tipos de festas, e você só pode escolher uma delas.
Para você entrar na primeira festa, precisa dos seguintes requisitos:
Estar disposto a tudo
Desejar provar ‘coisas’ novas
Seguir o slogan “o que é feito na festa, fica na festa”
Aproveitar o máximo e se comprometer o mínimo
Ser jovem de coração, querer viver o carpe diem e ter a felicidade hoje.
Esta festa promete:
Prazeres incríveis
Músicas surreais
Curtição garantida
Noites inesquecíveis
Esquecer os problemas saindo de si
Amizades temporárias, que abafam a tristeza e solidão
Os que vão à esta festa frequentemente, se intitulam como aqueles que ‘aproveitam a vida’. Eles afirmam que estão curtindo o máximo possível dos anos de sua juventude, e que ainda que este tipo de festa traga alguns probleminhas, dizem que é o melhor jeito de se viver.
Mas qual é a outra festa? Como disse, somente uma das duas pode ser escolhida.
A segunda festa requere mais, mas também promete mais:
Requisitos:
Estar disposto a tudo
Buscar algo que não é deste mundo
Seguir o slogan “faça aos outros o que quero que façam a mim”
Comprometer todas decisões e atitudes de sua vida pelo ideal do amor
Não viver para si, mas estar disposto a viver uma renúncia de si para ter uma recompensa eterna.
Recompensas:
Uma vida infinita
Melhor gastronomia e vinho já experimentados
Ser escolhido como um líder para governar povos
O fim do choro, da tristeza e dos problemas que existem
Viver em comunidade, no lugar mais belo que será criado na história.
E aí, qual você acha que encaixa com seu perfil?
Estas festas são nossas opções de vida. Logicamente, nem tudo é festa nesse mundo, mas fiz essa analogia para analisarmos onde está nosso coração.
O marketing da primeira festa é: “Seja livre de regras”, “a vida é curta, curta a vida”, “deixa a vida me levar”, entre outros. Esta primeira festa é sobre o agora, mesmo que traga danos irrecuperáveis no amanhã.
A segunda festa é sobre o amanhã, mas exige uma entrega completa agora. Ela traz o maior dos benefícios, que a outra festa não traz: uma vida que durará para sempre, sem nunca mais haver tristeza.
Muitas vezes vivemos sem pensarmos o que estamos vivendo. Este mundo é como a primeira festa, e o Reino de Deus como a segunda festa.
Planeje-se, almeje usufruir da segunda festa. Você é um convidado de ambas, mas não abra mão de valores eternos por coisas que não duram, que desaparecem como a neblina que passa.
Que você aceite o convite para a maior festa de todos os tempos, feita por Deus, a Festa de Deus!
Neste monte o Senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho.
Neste monte ele destruirá o véu que envolve todos os povos, a cortina que cobre todas as nações;
destruirá a morte para sempre. O Soberano Senhor enxugará as lágrimas de todo o rosto e retirará de toda a terra a zombaria do seu povo.
Foi o Senhor quem disse!
Isaías 25:6-8

Fonte: Não morda a maçã / Jornal Gospel News

“A felicidade consiste na coragem de dizer não”

Nem todo mundo sabe ou consegue dizer ‘não’ com facilidade. Negar um convite ou uma proposta é mais difícil para alguns.
O que nem todo mundo sabe é que esse ‘não’ pode ser o caminho para a felicidade.
Fugir de lugares, pessoas, comportamentos e relacionamentos errados é andar ao encontro da alegria. Em poucas palavras, o rev. Hernandes Dias Lopes explica:
“O Salmo 1 inicia o saltério assim: “Feliz é o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores nem se assenta na roda dos escarnecedores”.
Há três progressões neste versículo. A primeira delas é: andar, deter e assentar-se. A segunda é: conselho, caminho e roda. A terceira é: ímpios, pecadores e escarnecedores.
Somos felizes na medida em que fugimos de determinados lugares, recusamos determinadas propostas e nos afastamos de determinadas pessoas. Frequentar lugares errados; viver de acordo com padrões errados e andar na companhia de pessoas erradas é o caminho mais rápido para a infelicidade.
A felicidade consiste na coragem de rompermos com determinadas amizades, dizermos um sonoro não a determinadas propostas e a fugirmos de determinados lugares. Quando deixamos de fazer essas coisas, então, somos felizes, muito felizes.”

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

Embalagem ou conteúdo? Cuidado, as aparências enganam

Você já julgou ou foi julgado apenas pela aparência?
Esse pré julgamento pode te surpreender ao mostrar o conteúdo que existe dentro de cada embalagem, ou cada vestimenta.
Felippe e Mariana Valadão abordaram o tema no programa ‘Só Vai Melhorar’ e exibiram um vídeo impactante sobre o peso da aparência.
Outro tema tratado no mesmo programa foi a doação. Um vídeo sobre a conscientização da doação de órgãos foi exibido.
Mas a doação não precisa ser só de órgãos, doar roupas, brinquedos, alimentos é importante.
Assista a mais um programa Só Vai Melhorar.

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

“A virgindade é uma preciosidade”, defende o pastor Jaime Kemp

Jovem brasileira irá leiloar a virgindade para um documentário
“A virgindade é uma preciosidade”, defende o pastor Jaime Kemp
‘Virgins Wanted’ é o nome de um documentário que tem recrutado virgens por mais de um ano. Trata-se de um documentário sobre virgindade.
Entre as jovens que decidiram abrir mão da primeira relação sexual com um grande amor por leiloar a virgindade está a brasileira Catarina, de 20 anos.
“Vejo isso como um negócio. Tenho a oportunidade de viajar, fazer parte de um filme e conseguir uma gratificação com isso”, diz a jovem.
O pastor Jaime Kemp, doutor em ministério da família, diz que o documentário está abusando de uma menina.
“As mentes estão deturpadas. Com certeza isso vai vender. As pessoas tem curiosidade. Isso se trata de dinheiro”, expõe o pastor.

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News