Teólogo cristão fala sobre o conteúdo oculto e perigos dos filmes de Harry Potter

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte II, o último filme da série Harry Potter, chegou aos cinemas nesta sexta-feira (15). Após 10 anos, a trama continua a atrair milhões de admiradores adolescentes. Somente a sessão de pré-estreia nos Estados Unidos, na quinta-feira (14), à noite, arrecadou U$ 43,5 milhões. Junto com o sucesso, a saga continua a oferecer ao público alguns perigos, com conteúdo sobre ocultismo, bruxaria e falsa religião, alerta o estudioso Dr. Ted Baehr, presidente da Comissão Cristã de Filme e Televisão nos EUA.
“O capítulo final para as histórias de Harry Potter, como os livros, contém alguns elementos alegóricos evidentes aos cristãos. Mas, a versão do filme altera ligeiramente o confronto final entre o herói e o vilão para torná-lo ainda mais em um espetacular confronto entre dois mágicos feiticeiros”, Baehr disse.
Baehr, teólogo e estudioso da Bíblia, destacou que Deus condena veementemente a bruxaria e a feitiçaria em Deuteronômio 18:10-13. Além do mais, acrescenta Baehr, “o povo de Deus não fala ou consulta os mortos, e é exatamente o que acontece no final do filme Harry Potter”.
Um outro problema do filme, Baehr frisa, é uma linha de diálogo sugerindo que as pessoas merecedoras serão recompensadas. “Isso vai contra os ensinamentos cristãos. A Bíblia diz que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus (Rm 3.23), e que Jesus Cristo morreu por nossos pecados, sendo nós ainda pecadores (Rm 5.8)”, Baehr diz.
“Essa linha de diálogo pode parecer para algumas pessoas como uma coisa menor ou um distante ponto de discussão teológica, mas 50 anos de pesquisa mostram que as pessoas, especialmente crianças e adolescentes impressionáveis, são influenciados pelo que vêem nos filmes e na televisão”, afirma o teólogo.
Baehr disse ainda que todo cristão, especialmente pais, professores, religiosos e líderes nos meios de comunicação de massa, tem o dever de guardar os corações e mentes das crianças e adolescentes de falsas ideias e do mal que pode levar à destruição do comportamento. Questões teológicas são tão importantes quanto as morais e as filosóficas.
Presidente da Comissão Cristã de Filme e Televisão, Baehr aconselhou os pais, avós, professores e líderes religiosos a alertar crianças e adolescentes sobre os perigos de ver filmes e programas de televisão como Harry Potter. Tutores devem ensinar as crianças a escolher o bem e a rejeitar o mal. Em vez de filmes como Harry Potter, Baehr recomenda filmes como Crônicas de Nárnia, que pelo menos possuiu alguma mensagem bíblica.

Fonte: CPADNews / Jornal Gospel News

Alcoolismo apressa divórcio, diz estudo

E quem abusa do álcool também demora se casar
Quem abusa do álcool demora mais para se casar. E, depois da união consolidada, divorcia-se mais rápido. Essa é a conclusão de um estudo desenvolvido pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, que analisou o consumo de bebidas e as relações matrimoniais de mais de 5 mil pessoas.
Segundo o advogado Gustavo Bassini, vice-presidente da Associação Brasileira dos Advogados de Família (Abrafam), o abuso de álcool e outras drogas é um problema também para os casais do País. “É um dos principais motivos de divórcio. E, nos últimos quatro ou cinco anos, percebi um aumento de até 300% em casos desse tipo”, diz.
De acordo com a pesquisa, a dependência entre as mulheres está associada a um risco 23% maior de não se casar até os 30 anos – para os homens, esse índice é de 36%. Quando casados, homens e mulheres alcoólatras têm duas vezes mais risco de se separar. O levantamento também constatou uma proporção maior de homens com o problema: 23%, contra 8% de mulheres.
A pesquisadora Mary Waldron, uma das autoras, afirma que esse é o primeiro projeto relacionado ao assunto que analisa uma gama tão variada de faixas etárias. No início do recrutamento, em 1980, os voluntários tinham entre 28 e 92 anos. Eles foram acompanhados por cerca de 10 anos.
Bassini conta que 25% dos casos de divórcio atendidos em seu escritório de advocacia estão relacionados ao consumo abusivo de álcool e drogas por um dos parceiros. Em 80% das ocorrências, o parceiro problemático é o homem. Em situações como essa, a separação acaba em briga judicial.
“Após várias tentativas de curar o cônjuge e internações em clínicas, a mulher acaba desistindo do marido.” Então, entra com o pedido unilateral de divórcio e, muitas vezes, a outra parte nem responde ao processo. “Nessa fase, a pessoa não tem interesse em nada a não ser consumir a bebida”, destaca.
Para a psicóloga Vânia Patrícia Teixeira Vianna, da Unidade de Dependência de Drogas (Uded) do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o alcoolismo é um grande fator de risco para o relacionamento familiar. “Não se pode dizer que ele é o único, mas é um dos elementos que podem levar a desentendimentos e à separação precoce”, explica.
Patrícia acredita que é importante estar atento aos sinais de alerta para o consumo exagerado. Constatados os fatores de risco, o ideal é procurar ajuda de um profissional especializado. Na Uded, é possível participar da triagem para tratamento pelo telefone (11) 5549-2500.
Sinais de alerta
Um desses fatores, isolado, não caracteriza alcoolismo, mas a associação entre eles pode indicar um comportamento de risco:
– A pessoa, que antes bebia só aos finais de semana, passa a beber quase todos os dias;
– Começa a faltar em compromissos por causa da ressaca;
– Desenvolve problemas de saúde potencializados com o uso de álcool, como gastrite ou úlcera;
– Passa a frequentar só lugares com bebidas (por exemplo, deixa de ir a uma festa infantil porque lá não haverá álcool);
– Faz várias tentativas de beber menos, mas não consegue cumprir suas metas.
Ping Pong com a professora Mary Waldron
Por que estudar a relação entre alcoolismo e casamento?
Poucas pesquisas examinaram o impacto do consumo excessivo de álcool no tempo de casamento. Vários reportam associações entre o consumo precoce com futuro alcoolismo e também com casamento precoce, mas a maioria desses trabalhos não seguiu os indivíduos depois dos 30 anos.
O resultado surpreendeu?
Sim, surpreendeu especialmente os resultados sobre casamentos tardios. Vários trabalhos anteriores haviam reportado associação entre consumo de álcool precoce com casamento ou coabitação precoce.
Há relação entre quantidade de bebida consumida e qualidade do casamento também?
Não examinamos a quantidade ou a frequência da bebida nem a qualidade do casamento. Nossa análise era da relação entre história de vida da dependência do álcool e o tempo das transições matrimoniais.

Fonte: Correio do Estado / Jornal Gospel News

Drogas: Crer em Deus ajuda a ficar longe delas

Os alertas estão por todos os lados. Na escola, nas igrejas, nos meios de comunicação, na família. E mesmo assim cresce a cada dia o número de adolescentes e jovens que caem sem rumo no mundo das drogas. De pura diversão, no início, a uma situação irreversível e geralmente dolorosa.
Quando falamos em drogas muitas pessoas pensam logo em maconha, cocaína, crack, heroína. Mas as droga consideradas “lícitas”, como o cigarro, bebidas alcoólicas e medicamentos controlados também fazem novas vítimas a cada dia.
Segundo pesquisas divulgadas no portal Brasil Escola, são vários os motivos que levam uma pessoa a usar drogas: curiosidade, influência dos amigos, vontade, desejo de fuga, coragem para tomar certas decisões e iniciativas que sem a droga não teria incentivos suficientes, entre outros. E diante de tantas influências negativas, como fazer para que os jovens fiquem longe desta tentação?
Grande parte das igrejas evangélicas possui projetos e programas voltados à juventude. É o caso da Batista Betel Conservadora. Segundo o pastor Valmir Vieira, embora a igreja não tenha um local específico para encaminhar os drogados, o trabalho de prevenção e orientação não deixa de ser feito. Por isso a parceria com entidades como os Desafios Jovens é fundamental. “Quando percebemos que a pessoa que possui problemas com drogas tem uma libertação através da Palavra, trabalhamos com ela aqui mesmo. Mas se ela prefere de outra forma, encaminhamos ao Desafio Jovem”, destacou o pastor lembrando que atualmente grande parte dos problemas com as drogas está na adolescência, com ênfase dos 12 aos 15 anos. Além de não poder ficar em locais como o Desafio Jovem, adolescentes desta faixa etária costumam ter muitos conflitos na família, o que torna tudo mais difícil. Outro problema detectado é que na região não existem ambientes de recuperação para mulheres. “Nossas igrejas da região estão estudando a possibilidade de adquirir um sítio para abrigar moças drogadas. Infelizmente esse problema mora no meio de muitas famílias e a causa costuma ser a falta de diálogo, e a falta de uma estrutura familiar forte. Os pais não sentam mais com os filhos, não conversam, não compartilham amor deixando os filhos à mercê das ameaças. Quando acordam é tarde demais”, destacou Vieira.
Falta de compreensão, carinho, entendimento dentro de casa. Os jovens sofrem muito com essa realidade. E disso, pastor Valmir Vieira entende bem. Ele mesmo buscou refúgio nas drogas quando não conseguia suportar sozinho os desentendimentos dos pais dentro da própria casa, aos 13 anos. Aos 17 conheceu Maria Eliane Gabriel Vieira, que o ajudou muito nos momentos difíceis. Aos 18 anos teve o encontro com Jesus e mudou completamente de vida. Hoje o casal serve junto a Jesus na Igreja Batista Betel Conservadora. “Muitos jovens aparecem aqui muito carentes. Precisamos dar apoio, atenção, acompanhá-los. A libertação de um drogado não é tão fácil, as recaídas são comuns. É preciso persistir’.
Todos os sábados os jovens da Betel Conservadora reúnem-se na Congregação, no bairro Pinheirinho, enquanto a igreja, localizada atrás da rodoviária, passa por reformas, e todas as sextas-feiras esses jovens saem para visitar pessoas com problemas. Esse trabalho é uma forma de envolver a juventude da igreja. Nos dias 20 e 21 de março haverá um trabalho específico para pessoas desviadas e viciadas em drogas na Congregação. E dos dias 8 a 13 de junho haverá um trabalho ainda maior com a presença do pastor argentino Rodolfo Cabreira de Jesus, coincidindo com as comemorações dos 50 anos da igreja em Criciúma.
Município preocupado com a juventude
A incidência de usuários de drogas, principalmente na adolescência, cresce a cada dia. A ponto de o tema virar assunto de saúde pública. Atenta a esta questão, a prefeitura de Criciúma, através da Secretaria do Sistema Social, pretende em 2010 atuar de forma ativa em prol da juventude criciumense. A secretária Geovânia de Sá conta que um dos projetos será realizado em parceria com as igrejas, entidades e empresas do município com o objetivo de envolver a juventude. E a participação das igrejas é fundamental uma vez que elas têm facilidade em atrair e direcionar os jovens. “Pesquisas mostram que pessoas que possuem fé em Deus, representam 70% da recuperação em caso de uso de drogas”, disse Geovânia.
O projeto está sendo construído e deve ser colocado em prática nos próximos meses nas comunidades da cidade. “A incidência do uso de drogas nos preocupa muito. Já diz o ditado que mente vazia é oficina do diabo. Por isso precisamos ocupar os jovens para que eles não fiquem à mercê dessas influências negativas”, destacou a secretária.
Projetos voltados para a juventude também fazem parte dos planos da Mocidade Evangélica Unida da Assembléia de Deus de Criciúma (Meuadc), para 2010. De acordo com Romerito de Melo, que é vice-coordenador da Meuadc, projetos sociais de combate às drogas serão muito trabalhados esse ano. As agendas e métodos de trabalho, que devem incluir palestras de conscientização, ainda estão sendo elaborados. “Entendemos que o uso de drogas é um problema e que precisamos combater desde a adolescência. Os nossos jovens evangélicos não utilizam mas é preciso prevenir sempre e atrair o público que precisa de ajuda. Ninguém está escape”, avaliou.

Fonte: Revista Mundo Evangélico.