Os cristãos que o atirador do cinema não conseguiu matar

Brad Strait é o pastor da Igreja Presbiteriana de Cherry Creek, na cidade de Englewood, Colorado. Ele vive perto de Aurora, cidade onde na última sexta-feira um massacre aconteceu durante a estreia do novo filme do Batman. James Holmes, 24, entrou armado no cinema e atirou a esmo, matando 12 pessoas e ferindo mais de 50.
Petra Anderson, 22, membro da igreja do pastor Strait estava no cinema com dois amigos. Ela foi uma das vítimas do atirador. Quatro balas atingiram seu corpo. Três no braço direito. Uma na cabeça. Entrou pelo seu rosto, perto do nariz e atravessou seu crânio, indo se alojar perto da nuca.
Levada para a UTI do hospital mais próximo, os prognósticos médicos não eram animadores. O caminho percorrido pela bala deveria deixá-la incapaz de falar, andar e talvez até de sair de um estado de coma. Isso se ela sobrevivesse.
A família e o pastor Brad foram para o hospital, onde esperaram e oraram durante as mais de cinco horas de cirurgia. Em seu blog, o pastor narra que Petra foi para a sala de cirurgia acompanhada de duas equipes diferentes.
Uma equipe de neurocirurgiões iria abrir a parte traseira de seu crânio para remover a bala e limpar os danos cerebrais da melhor forma possível. A outra equipe de especialistas iria acompanhar a partir do nariz de Petra a trajetória da bala através de seu cérebro. Seu objetivo era remover fragmentos de ossos, limpar o tecido cerebral danificado e fechar as feridas para reduzir a chance de infecção.
Mesmo tendo sobrevivido à cirurgia, a equipe médica foi unânime: “Alguma coisa ainda pode dar errado. Nós precisamos esperar e ver como ela reage dentro das próximas 48 horas”.
Dois dias depois, os resultados são os melhores possíveis. Petra acordou e está falando normalmente. Hoje (23) ela deve começar a fisioterapia para ver se há algum problema com sua capacidade de andar. Mas o milagre já havia ocorrido.
A bala que atravessou o cérebro de Petra atingiu áreas importantes. Mas os médicos explicam aos pais da jovem que há um “defeito” de nascença no cérebro de Petra. Um pequeno canal atravessa seu crânio, como um pequeno orifício em uma tábua, indo de um lado a outro. Isso só foi possível perceber pelas tomografias. O trajeto da bala percorreu exatamente a trajetória desse canal, causando o mínimo de estrago possível. Qualquer outra pessoa teria morrido instantaneamente ou, no máximo, ficado em estado vegetativo.
O pastor Strait, que também ensina “Formação Espiritual” no Denver Seminar acredita que desde que Deus formou Petra no ventr de sua mãe, ela cuidou dela e o milagre estava pronto desde que ela nasceu. Ainda será necessário um acompanhamento médico longo, mas a família de Petra e toda a Igreja Presbiteriana de Cherry Creek tem louvado e agradecido a Deus pelo livramento.
Mas essa não é a única história de livramento. O pastor Ed Taylor, da Igreja Calvary Chapel de Aurora, comemorou domingo o fato de que 33 membros “especiais” de sua igreja estavam presentes.
Eles são especiais porque estavam dentro da sala de cinema e não foram atingidos pelas balas.
Tannah Rich, 18, disse que ouviu os tiros mas demorou para entender o que estava acontecendo. Durante o intervalo em que o atirador trocava a munição, ela e um grupo de expectadores saíram correndo. Ela disse que somente no dia seguinte percebeu que havia uma marca de sangue no formato de uma mão em suas costas.
“Estou muito, muito feliz que Deus poupou vocês”, disse o pastor, enquanto alguns dos jovens davam testemunhos de como estavam gratos a Deus pelo livramento.
“A atrocidade de inocentes perdendo a vida é a história de Jesus”, disse o pastor. Em seguida, pediu que a igreja se unisse a ele em oração pelas famílias das 12 pessoas mortas e pela recuperação dos feridos.
Taylor pediu que os fiéis não se concentrassem no “ato insensato de um homem pecador”, mas buscassem maneiras de poder ajudar a curar sua comunidade.
Com informações The Christian Post, La Times e Huffington Post

Fonte: Gospel Prime / Jornal Gospel News

Programa do Gugu mostra história da menina Brenda e presenteia a família com uma casa: “Deus é poderoso”, afirma mãe da garota.

Após a menina Brenda Gabriela, que desapareceu durante um evento comemorativo aos 50 anos da Igreja Pentecostal Deus é Amor, ter sido encontrada, e seu sequestrador ter sido preso em Maringá, no Paraná, a família da garota esteve no Programa do Gugu, da TV Record.

O apresentador Augusto Liberato recapitulou a história do sequestro de Brenda, e também apresentou matéria com o sequestrador da garota, Jorge Antunes Cardozo, que afirmou ter raptado a menina num “momento de bobeira” e pediu perdão à mãe da garota.

O programa mostrou ainda a situação do local em que Geiza Maria da Silva, mãe de Brenda Gabriela, vivia com os filhos, um local invadido no bairro da Mooca, em São Paulo, com pouca infraestrutura e condições de moradia, juntamente com outras quarenta famílias.

Gugu mostrou ainda, um vídeo com a história do rapaz que identificou Brenda no colo do sequestrador. Alex Ramos de Carvalho não conheceu o pai, e perdeu a mãe quando tinha 12 anos de idade. O jovem relatou que viveu com a ajuda de vizinhos e através de seu esforço, conseguiu se manter, e afirmou também que sonha em ser bombeiro, para ajudar outras pessoas.

Sobre a atitude de Alex, Gugu afirmou que o rapaz foi “iluminado”, enquanto que Geiza agradeceu a Deus pela atitude dele: “Deus o colocou. Fez um milagre. Deus é poderoso, fez um milagre”.

O programa preparou uma surpresa para Geiza e sua família, oferecendo o retorno à sua terra natal, a cidade de Imperatriz, no Maranhão, e uma casa nova, mobiliada, para que ela viva com seus filhos, próximo à avó das crianças, dona Luiza.

Fonte: Gospel +

Luciano Costa Jornal gospel News

Médicos consideram vida de bebê dado como morto no ventre e que passou a respirar após o parto um “milagre”

Um bebê que foi considerado morto ainda no ventre de sua mãe, e que após o parto, passou a respirar e se movimentar, completou um ano de vida e tem atraído a atenção da mídia internacional.

De acordo com informações do jornal inglês Daily Mail, os médicos haviam orientado a mãe, Alex Jones, de 21 anos de idade, a preparar o funeral do bebê, pois durante exames pré-natais, os batimentos cardíacos do bebê não haviam sido detectados. Porém, assim que o parto foi concluído, o bebê, chamado de Cohan, o bebê passou a respirar e movimentar os dedos.

Os médicos e enfermeiras classificaram o fato como um “verdadeiro milagre”, e Cohan, agora com um ano de vida, passou a ser chamado como “bebê milagre”.

Cohan nasceu com apenas 800 gramas, e precisou passar cinco meses na incubadora, lutando contra infecções e tendo seus batimentos cardíacos monitorados. Nesse período, o bebê foi alimentado por uma sonda, para ganhar peso e se fortalecer.

A mãe, que mora na cidade de Merthyr Tydfil, no sul do País de Gales, afirmou que mesmo com o bebê respirando, os médicos achavam que ele não sobreviveria: “Quando eles me entregaram, todos ficaram chocados, pois ele estava respirando. Ninguém estava preparado para isso. Mas, mesmo assim, deram-lhe pouca chance de sobreviver”, contou.

Durante a festa de aniversário do “bebê milagre”, Alex Jones contou que diversas memórias vieram à tona, e que o sentimento é de felicidade: “O aniversário de Cohan trouxe de volta muitas memórias, apesar de estarmos todos muito felizes de vê-lo. É difícil de explicar. O que eu passei, com o nascimento e esperando para descobrir se Cohan sobreviveria – que era o momento mais terrível e perturbador da minha vida. Mas agora, com seu primeiro aniversário,  depois de tudo que aconteceu, me sinto tão feliz…”, relatou a mãe.

A mãe ressalta a luta do bebê pela vida: “Ele sorri. Ele é um bebê muito feliz e um menino que realmente lutou por sua vida. É um alívio vê-lo sorrindo. Até mesmo os médicos não conseguem acreditar o quão bem ele está agora”, comemora.

Fonte: Gospel+

Luciano Costa Jornal Gospel News

Casal morre em saída de pista de carreta na BR153 emSC. Bebê escapa com vida.

    Uma saída de pista de uma carreta por volta  das 08h30 da terça-feira (05/06/12) na serra de Cachimbo, KM 86 da BR 153 em Concórdia, tirou a vida de um  casal.  A carreta é do estado de Minas Gerais, e estava carregada com frutas.

De acordo com informações, O veículo desceu uma ribanceira de 30 metros entre as pedras. Um motorista da cidade de Irani-SC foi o primeiro a descer e percebeu que o casal já estava sem vida.

O motorista se surpreendeu quando viu um bebê com cerca de quatro meses vivo. Ele estava junto ao corpo da mãe, como se ela tivesse protegido o filho durante a descida da carreta.

Rudimar Vitto, comandante do corpo de bombeiros de Concórdia, exemplificou a sobrevivência da criança, como um milagre.

 

Fonte:  Jornalista – Eva Luciana de Moura / Luciano Costa para Jornal Gospel News

Bianca Toledo testemunha sua cura na Rede Record

   Uma reportagem mostrou casos de pessoas que sobreviveram a doenças que surpreenderam a medicina.

 

A Rede Record produziu uma matéria mostrando casos de superação que surpreenderam a medicina e Bianca Toledo foi uma das entrevistadas testemunhando o milagre que ela viveu mesmo tendo seu sistema respiratório, cardiovascular e renal falidos.

A cantora evangélica viveu um grande testemunho que emocionou a todos os que acompanharam os dias que ela esteve na UTI praticamente desenganada pelos médicos.

Bianca estava grávida e 15 dias antes da data marcada para o parto de José Vittorio ela precisou ser internada, pois seu intestino havia se rompido. Submetida a uma cirurgia de emergência ela ficou internada por 52 dias, passando por 10 cirurgias e mais de 300 transfusões de sangue.

“Eu não podia imaginar o que estava acontecendo com o meu organismo. Ele nasceu e eu não o conheci”, disse ela. Na reportagem Bianca confessa que não acredita que conseguiu vencer tantos problemas de saúde quando lê os relatórios médicos.

Outros casos de superação também foram mostrados, mesmo a ciência não conseguindo provar como essas pessoas conseguiram desafiar quadros clínicos tão críticos, mas alguns profissionais falam no poder do que eles chamam de “pensamento positivo”.

Fonte: Gospel Prime / Luciano Costa para Jornal Gospel News

“Estou andando como prova do poder da oração” diz Fabrice Muamba

O jogador cristão, Fabrice Muamba teve uma parada cardiorrespiratória em março, durante a partida entre Bolton e Tottenham e ficou sem batimentos cardíacos ao longo de 78 minutos e, após ser reanimado pelos médicos, passou um mês internado no London Chest Hospital, recebendo alta na última segunda-feira, 23.
Em sua primeira entrevista coletiva desde o acidente, o jogador fala sobre o milagre de sobreviver. “O que aconteceu foi mais que um milagre. Estou andando como prova do poder da oração. Estive morto por 78 minutos e, se eu sobrevivesse, a expectativa era a de que eu tivesse danos cerebrais. Seria ótimo voltar a jogar e espero que isso aconteça. Mas é melhor ainda voltar a viver e a amar minha família. Sou um homem de sorte”, disse o jogador, em entrevista ao tabloide The Sun.”

Fonte: Jornal Gospel News

Após recém-nascido falecer em hospital, médica cristã ora e o bebê ressuscita

Um recém-nascido que foi levado ao hospital em estado crítico, não suportou os efeitos da desidratação, desnutrição e septicemia e faleceu. Porém, a médica responsável pelo atendimento era cristã, fez uma oração e a criança reviveu.
A doutora Marta Martínez concedeu uma entrevista ao Christian News Today relatando sua experiência: “Eu vivi este milagre alguns anos atrás, enquanto estava trabalhando em um hospital numa cidade pequena, longe da capital”, disse a médica uruguaia.
Ela conta que chegou a desistir de tentar fazer algo pela criança, devido ao seu estado e às condições sociais da família.
“Era um bebê com cerca de um mês de idade e sua mãe era uma adolescente muito pobre. O bebê chegou ao hospital em estado crítico, com desidratação, desnutrição e septicemia. Não parecia que podíamos fazer algo para mudar o quadro. Ele morreu pouco tempo depois. Eu estava observando-o no momento da morte, e pensei: ‘É melhor para ele morrer, porque no meio ambiente que vive e esse tipo de família, ele não teria qualquer chance de sucesso. Toda a sua vida seria um ‘Calvário’, com falta de esperança e sem oportunidades”, relata a médica.
A Dra. Martínez porém afirmou que sentiu um desejo repentino de orar pela criança: “Senti Deus falando comigo: ‘Ele tem o direito de viver’. Imediatamente, coloquei minha mão sobre o menino, comecei a orar e agradecer a Deus por aquela vida. Ele foi ressuscitado. Voltou a viver! Foi um milagre incrível”.
Após a ressurreição, a criança foi transferida pra um hospital com mais recursos, onde foi submetido a tratamento intensivo. A médica relata que meses após, precisou ir ao hospital onde a criança havia sido internada, e teve foi surpreendida pela enfermeira chefe, que contou que a criança havia melhorado.
“Quando o vi, fiquei surpresa ao ver que ele era um bebê muito grande e saudável. Deus me permitiu ver o milagre completo. Eu vi também outras curas. Acredito na cura divina, porque, em primeiro lugar, está escrito na Bíblia, e segundo porque vi outros curados de uma maneira milagrosa. Também tive experiências em meu próprio corpo”, testemunha a Dra. Martínez.
Maria Martínez acredita que a fé na cura divina não pode ser deixada de lado: “Não apenas os médicos cristãos, mas todos os cristãos devem acreditar na cura divina. Isso está escrito na Bíblia e também foi uma parte muito importante do ministério de Jesus na terra”.
Atualmente a Dra. Martínez está na cidade de Nairobi, no Quênia, onde participará nos dias 25 e 26 /05 da Conferência Anual da Rede de Médicos Cristãos (WCDN), organização interdenominacional que reúne profissionais da área de saúde em todo o mundo.

Fonte: Gospel+ / Jornal Gospel News

Médicos chamam de “milagre” Fabrice Muamba ter ressuscitado

Pessoas de todo o mundo têm orado pelo jogador de futebol Fabrice Muamba, do time inglês Bolton. O jovem de 23 anos é cristão e seu coração parou durante a partida contra o Tottenham no último sábado.
Ele permanece em estado delicado, mas já dá sinais de melhora e não corre mais risco. Durante o último fim de semana a expressão #pray4muamba [ore por Muamba] entrou nos TTs do Twitter.
Jogadores de futebol de vários times do mundo usaram camisetas com essas palavras. A noiva do jogador usou sua conta do microblog para dizer: “Deus está no controle. Por favor, continuem orando por @fmuamba”.
O gerente de futebol do Bolton, Owen Coyle, falou em nome da família disse: “Eles são muito gratos pelas mensagens de apoio e as orações de todos”.
Bruce Dyer é um ex-jogador de futebol da Premier League e cristão. Ele declarou que é vital  que todos continuem orando. Muito tem sido falado sobre como o mundo do futebol se uniu por causa do incidente. Atletas como David Beckham manifestaram sua preocupação e muitos outros tuitaram suas orações e apoio.
Os relatórios sugerem que levou cerca de duas horas para que o meio-campista começasse a respirar novamente. Os médicos que prestaram socorro dizem que é difícil entender por que isso aconteceu.
Mas em uma entrevista nesta terça-feira, o médico do Bolton, Jonathan Tobin, resumiu a questão. O jogador congolês esteve “efetivamente morto” por 78 minutos e sua recuperação é simplesmente um “milagre”.
“Nós contamos: foram 48 minutos dentro de campo e indo para o hospital e mais 30 por lá (tentando reanimá-lo). Nesses 78 minutos, ele estava efetivamente morto. Temíamos pelo pior e não achamos que ele poderia se recuperar dessa forma. Se eu fosse usar o termo ‘milagre’ em qualquer situação seria em algo assim”, disse.
Tobin explicou também que a equipe médica precisou usar o desfibrilador mais de 16 vezes para reanimar o jogador. “Usamos o desfibrilador duas vezes no campo, uma vez no túnel que separa o gramado dos vestiários e 13 vezes na ambulância. Foi um milagre”, afirmou.
O médico disse ainda estar “assombrado” com a recuperação e temia pelo pior. Shabaaz Mughal, médico do Tottenham ajudou a prestar socorros a Muamba e lembra que “ele pareceu respirar por umas duas vezes, e depois não respondeu mais”.
Andrew Deaner, cardiologista do Hospital do Coração de Londres, estava no estádio como torcedor, mas ao campo ao perceber que algo sério estava acontecendo. “Você sempre espera que, se tiver o desfibrilador e chegar rapidamente ao local, eles (os pacientes) vão responder depois de dois ou três choques… Se for usar o termo ‘milagroso’, ele provavelmente caberia aqui. Ele teve uma recuperação impressionante até o momento.”
Deaner relatou um momento emocionante, depois que o jogador foi reanimado e recobrou a consciência, o doutor tentou saber como estava seu paciente.
“Duas horas depois, sussurrei ao seu ouvido: ‘qual seu nome?’ E ele disse ‘Fabrice Muamba’. Eu falei: ‘ouvi dizer que você é um ótimo jogador’, e ele: ‘eu tento’.

Fonte: Terra / Jornal Gospel News

Pastor é apunhalado por extremistas islâmicos e sobrevive milagrosamente

Em Kasur, província de Punjab (Paquistão) um pastor protestante foi apunhalado por fundamentalistas islâmicos e sobreviveu por um milagre segundo informa o site Protestante Digital que não divulgou a data dessa tentativa de assassinato.
Tudo o que se sabe é que, sem razões aparentes, dois muçulmanos atingiram o pastor com facadas no abdômen e ele precisou ser levado com urgência para o hospital, passando dias entre a vida e a morte de acordo com relatos da ONG paquistanesa “Legal Evangelical Association Development” (LEAD).
Esse tipo de crime ocorre frequentemente e são motivados pelo “ódio religioso, por acusações de proselitismo ou simplesmente porque os cristãos são vistos com ódio pelos fundamentalistas islâmicos”, dizem autoridades paquistanesas.
A polícia já identificou os dois suspeitos, Ghulam Muhammad e Ashfaq Rassol, que ainda não foram presos e continuam sendo procurados pela justiça. A LEAD, por sua vez, já apresentou uma denúncia oficial pedindo a prisão dos culpados afirmando que a família do pastor está aterrorizada.
Enquanto isso os fiéis da igreja e outros cristãos daquele país se revezam em oração pedindo pela cura do pastor para que “sua missão de anunciar o Evangelho possa continuar”. Esses cristãos pedem que os cristãos de todo o mundo orem pela Igreja Perseguida do Paquistão.

Fonte: Protestante Digital / Jornal Gospel News

Jovem afirma que foi milagre ter sobrevivido após acidente em um salto de bungee jump – veja o vídeo

A australiana Erin Langworthy viveu momentos de terror ao saltar de bungee jump em uma ponte sobre o rio Zambeze, no Zimbábue. A corda se rompeu e a jovem caiu no rio com os pés ainda atados e diz que foi um milagre ter sobrevivido ao acidente.
Na véspera do Ano Novo a jovem estava fazendo um salto, de uma altura de 111 metros sobre o rio na fronteira entre Zâmbia e Zimbábue quando, segundo o UOL Esportes, a corda se rompeu fazendo com que ela caísse direto no rio, perto das cataratas Victoria.
A jovem, que mora em Perth (oeste da Austrália), caiu no rio com os pés atados e contou à emissora australiana Channel Nine como foram os momentos de tensão até conseguir sair do rio: “Gradualmente, à medida que era levada pela corrente, a água ficou mais fria, o que me fez recuperar a consciência. A corrente era violenta e comecei a ouvir o barulho das cataratas. É como estar nas ondas e ser jogado para baixo, não existe nenhuma orientação. Não sabia se subia ou afundava”, disse a jovem que completou contanto que em várias ocasiões a corda ficou presa nas pedras e ela precisou mergulhar para desenroscá-la.
Erin Lagwortthy contou também que havia feito um passeio de bote pelo rio, e que as instruções de segurança que recebeu do instrutor naquele dia a ajudaram muito. Mas a jovem diz que o que realmente a salvou foi um milagre: “Sim, de fato, é um milagre que eu tenha sobrevivido”, afirmou.
Abaixo vídeo feito no momento do acidentes e cenas da jovem já se recuperando:

Fonte: Gospel+ / Jornal Gospel News