Natal Tempo Para Perdoar e Esquecer

Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete. (Mateus 18:21-22)
Lembra quando…? Essas palavras se ouvem muito durante o Natal, entre familiares, ou com amigos, sempre trazemos na memória recordações agradáveis de natais passados. Mas também vem a nossa memória experiências que não queríamos lembrar: a dor de algo que passou, a pressão de criticas negativas, a decepção de alguma promessa que não foi cumprida, a rejeição e as aflições.
O que temos que fazer com esse tipo de recordação? Temos que arrasta-los por toda nossa vida, junto com o resto de nossas cargas?
Não tem que ser assim, podemos nos desfazer dessas recordações, alias, temos que nos desfazer delas. Mas somente há uma forma que isso aconteça: por meio do perdão. Perdoar a outros parece algo fácil de fazer, mas na verdade pouco se faz. Olhamos o perdão como se fosse uma alternativa que temos na vida, como algo que podemos aceitar ou descartar. Mas na verdade é que o perdão é um requisito fundamental na vida de um crente.
Desde o ponto de vista de Deus, o rancor – ou falta de perdão- é uma maldade. Em Mateus 18, Jesus relata uma parábola que ilustra as consequências do rancor. A parábola fala de um servo que devia a seu senhor uma divida equivalente a milhões de reais. “Quando chegou o dia que deveria saldar a divida, o servo disse a seu amo: Senhor tenha paciência comigo, eu te pagarei tudo”. O seu senhor se comoveu e perdoou toda  divida.
Pouco depois, esse servo buscou a um amigo que lhe devia o equivalente a quinze reais. Ao se dar conta de que o amigo não poderia paga-lo, fez com que o prendessem e não se importou com o clamor que esse lhe fez. Quando o senhor do servo viu o que aconteceu, se indignou e disse que era um servo malvado, e o entregou aos executores até que pagasse tudo o que lhe devia.
Note o montante da divida que não foi perdoada: quinze reais. As dividas pequenas são na maioria as que nos causam mais problemas: os ressentimentos insignificantes entre os casais ou irmãos, os rancores que não parecem importante para afrontá-los. Tenha cuidado, essa é classe de divida que Satanás usa para atormentá-lo. Jesus Cristo pagou uma montanha de dividas por você. Sem dúvida , você pode ser generoso com as dividas de centavos que outros lhe devem.
Busque ao Espírito Santo e peça que lhe mostre qualquer rancor que você esteja abrigando. Logo, arrependa-se e livre-se desse rancor. Faça desse Natal não só um tempo para recordar, mas também para perdoar e esquecer.
Por: Kenneth Copeland

Fonte:  Estudos Cristãos / Jornal Gospel News

O Casamento é a União e Símbolo de Cristo e a Igreja

Qual é a opinião que você tem sobre o casamento hoje? Há quem o veja como um barco prestes a afundar e que todos o abandonam por adultério ou divórcio. Ao invés de se preocupar, as pessoas zombam da imoralidade sexual e da infidelidade dentro do casamento.
Mas qual é a opinião que Deus tem sobre o casamento? Além de tudo isso foi uma ideia dEle. A bíblia nos ensina que Deus vê o casamento como uma união.
Em primeiro lugar, a Bíblia ensina que o casamento cristão é uma união simbólica. É o símbolo de Cristo e a Igreja. Nós os homens- e confesso que me inspira temor- somos figuras de Cristo no que se refere ao lar. Nosso comportamento deve ser tão bom, para que nossos familiares, vizinhos e amigos vejam Cristo em nós. Representamos a Cristo quando fazemos o que Cristo nos manda em Efésios 5:25 “Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela”. A Jesus Cristo se apresenta como o esposo da igreja e aos maridos como a Cristo. As nossas esposas se apresenta como a igreja, e a igreja como uma mulher. Este simbolismo eleva o casamento a sua mais alta dimensão.
Em segundo lugar, a bíblia ensina que o matrimonio é uma União Real, não é meramente simbólica. Vamos ler a bíblia: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne”. Gênesis 2:24. Devemos deixar nossos pais e nos unir somente com nossa esposa. É uma união íntima e total entre um homem e uma mulher, essa união é até que a morte os separe.
A união no casamento deve existir em todos os níveis, começa em um plano espiritual mas não termina ali. O casamento cristão também une a um casal intelectual, social e  físico. Você e eu como esposos devemos fazer que nossas esposas tenham parte em cada uma das áreas de nossas vidas para que verdadeiramente possamos ser “somente um”. Cristo deve ser o centro do casamento. Cristo é quem nos mantem unidos e próximos.
Em terceiro lugar, o casamento cristão é uma União Exclusiva. É uma união de pureza. A bíblia diz que o casamento deve unir a um homem e uma mulher até que a morte os separe. Eles já não são dois, mas sim somente um. “…Que ninguém separe o que Deus uniu” (Marcos 10:9). Quando você se casa, dá um passo importantíssimo. Está unindo toda a sua vida- corpo, alma e espirito- a outra pessoa. Isto deixa de lado todas as terceiras partes. O sétimo mandamento claramente ordena: “ Não cometerás adultério” (Êxodo 20:14).
Aos olhos de Deus , o casamento deve ser absolutamente exclusivo. Uma vez casado, o afeto e vida sexual devem estar dedicados ao seu cônjuge até que a morte separe a ambos. Deus não admite uma vida sexual leviana porque isso destrói tudo o que o casamento deve ser.
Em quarto lugar, a bíblia afirma que o casamento é uma União Complementar. É uma união de necessidade e dependência mutua. Deus disse: “ Não é bom que o homem esteja só. Farei uma ajudadora e auxiliadora para ele” ( Genesis 2:18) Deus fez um homem e uma mulher de tal maneira que se complementem entre si. “ …As mulheres não são independentes dos homens, e os homens não são independentes das mulheres” (I Corintios 11:11). Quando marido e mulher se complementam – compartindo, lendo, orando, fazendo coisas juntos- o casamento é transformado.
O potencial de um casamento se converte em realidade, quando um casal busca ter uma união real, exclusiva e complementar que honre a Deus, e somente então que o casamento de verdade simboliza a relação entre Cristo e a Igreja.
Por: Luis Palau

Fonte: Jornal Gospel News

CERNE: ONG oferece tratamento a dependentes químicos e orientação para recuperação social e familiar

O Centro Educacional de Restauração Nova Esperança (CERNE) é uma organização não-governamental com parcerias estabelecidas com o poder público e igrejas evangélicas na busca pela reabilitação de dependentes químicos.
O foco da instituição é a oferta de tratamento a homens adultos em situação de dependência química, buscando a reintegração social e familiar destes indivíduos, além das campanhas de prevenção ao uso de entorpecentes.
Os projetos do CERNE atendem pessoas de baixa renda, que não possuem condições de custear tratamentos como os oferecidos pela ONG.
Conversamos com o pastor Ivanei Santos, responsável pelo CERNE, para saber mais sobre o trabalho desenvolvido e conhecer as necessidades e formas de contribuição com o trabalho. Confira abaixo:
Quais as áreas de atuação e público alvo do projeto?
A Instituição visa atender homens adultos, com intuito de oferecer tratamento a dependentes químicos, promover a reintegração sócio-familiar e atuar na prevenção primária.
Qual o tempo de atuação do projeto? Poderia contar um pouco da história, como surgiu, quem idealizou?
O Centro Educacional de Restauração Nova Esperança, também designado pela sigla CERNE, foi criado em 02 de Julho de 2009; é uma instituição não governamental, pessoa jurídica, de direito privado, de caráter assistencial, sem fins econômicos. Vendo o grande aumento da criminalidade em nossa região devido ao tráfico e uso de drogas, pedimos então para Deus como poderíamos fazer para mudar ou ao menos minimizar essa situação, então nasceu do coração da igreja criar essa entidade para trabalhar na recuperação e prevenção das drogas.
Quais os parceiros que o projeto possui?
Prefeitura de Colorado, PR, Mesa Brasil e as ofertas da Igreja Batista Ebenézer.
Poderia contar um ou mais testemunhos de pessoas que foram beneficiadas pelo projeto?
Poderíamos contar inúmeros testemunhos, pois desde homossexuais drogados que hoje tem trabalhado como missionário, até pais de famílias que estava a ponto de perder toda a familia, e hoje tem experimentado o melhor de Deus junto com os familiares.
Poderia informar os seguintes? Contatos de email, telefone, site e endereço.
Os contatos são através do e-mail ivaneidyk@hotmail.com, do telefone (44) 9841-0979 ou do site cerneebenezer.com.br. O endereço é Rodovia PR 463 – Sítio São Sebastião, KM 5.
Quais as formas de contribuição e necessidades do projeto?
Buscamos parceria com projetos e institutos e igrejas que possam nos ajudar nessa árdua missão, pois a grande maioria desses dependentes não possui condições financeiras para custear um tratamento eficaz. Temos que reformar e ampliar parte da entidade e necessitamos urgente de apoio financeiro.Oramos para que pessoas com essa visão missionária possa nos enviar seu apoio. Será que a AVEC poderia fazer uma parceria conosco?
Gostaria de deixar uma mensagem para os leitores?
“Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;” (I Coríntios 1:27-28) Estamos vivendo dias muito difíceis, em que a família tem se desfeito e onde o respeito a esta instituição divina tem sido ridicularizada. Gerando assim inúmeros conflitos e situações não pouco desastrosas. O dependente químico é fruto desta quebra de “aliança”, de uma sociedade que não vê a família como algo a ser respeitado e valorizado. Consequentemente temos pessoas cada vez mais descontroladas emocionalmente e sem perspectivas reais de vida. Desta forma, o CERNE (Centro Educacional de Restauração Nova Esperança), tem uma grande responsabilidade, não somente de oferecer tratamento ao dependente químico, mas de reintegrá-lo à vida social e familiar como uma pessoa estruturada. Alcançando assim, o nosso objetivo, que é mostrar a sociedade que Jesus Cristo é o único capaz de mudar a história e o curso da vida do ser humano. Transformando um dependente químico numa pessoa respeitada e confiável, restaurando a autoestima, o respeito próprio, e fazendo dele uma pessoa de valor, capaz de reconstruir sua família.
O nosso conselho para aqueles que se encontram nesta situação é que ainda existe tempo para recomeçar. A Bíblia diz em Eclesiastes capítulo 3 que há tempo para todas as coisas, e enquanto houver fôlego de vida há esperança. Para as famílias que estão enfrentando este problema dentro do seu lar, o nosso conselho é que haja união e um esforço mútuo para ajudar um ao outro. O que hoje parece um pesadelo, amanhã pode ser um sonho real. O que hoje é símbolo de vergonha, amanhã pode ser motivo de honra.
Por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+ / Jornal Gospel News

Congresso ONG Brasil 2012 reunirá mais de 500 entidades de ação social e especialistas no setor

O Congresso ONG Brasil 2012 é um evento que será realizado entre os dias 6 e 8/12 e reunirá mais de 500 organizações não governamentais de todo o Brasil, que desenvolvem ações sociais ligadas às mais diversas áreas de atuação.
Na oportunidade será comemorado também, os 50 anos do Centro de Valorização da Vida, que presta serviços sociais através de voluntários que se dispõe todas as semanas, por quatro horas, a atender por telefone, pessoas com tendências suicidas e através do diálogo, evitar tragédias.
Essa será a quarta edição do evento, e este ano será realizado no Expo Center Norte. Na programação dos três dias está prevista a realização de 196 palestras, sobre temas como sustentabilidade, desenvolvimento social, relação das ONGs com a sociedade, empresas e governo, e a participação da sociedade na construção de um Brasil melhor.
Além das palestras, que foram divididas nos macrotemas descritos acima, o evento contará com especialistas do Terceiro Setor (forma como a organização social de voluntários é chamada).
O Expo CenterNorte fica na Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo. Para mais informações, acesse ongbrasil.com.br.
Por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+ / Jornal Gospel News

Lançamento do livro “Encontro Marcado”, de Cláudio Ulisses

No dia 8 de dezembro, às 19h, Cláudio Ulisses, pastor do Ministério de Louvor Adorarte, lança seu primeiro livro, intitulado “Encontro Marcado”. Uma visão sobre vidas que foram marcadas pelos milagres de Jesus. A cerimônia será realizada na Câmara Municipal, localizada à Avenida dos Andradas, 3.100, Santa Efigênia, Belo Horizonte (MG), entrada franca.
O ano de 2007 marca o início da produção do primeiro livro de Cláudio Ulisses. Foi nessa época que o sonho de escrever uma obra começou a brotar em seu coração. Então, passou a estudar textos específicos da Palavra de Deus para compor cada capítulo do livro.
Cláudio começou focando sua leitura em textos bíblicos que evidenciavam o encontro de alguns personagens bíblicos com Jesus. Entre esses personagens, destaque para a “mulher do fluxo de sangue”, “Jairo”, “Filemom” e “Pedro”. Sobre essa fase, ele relembra: “Cada vez que eu aprofundava mais nos estudos, despertava em mim a vontade de escrever sobre esses textos. Quando percebi, tinha escrito um esboço. Foi então que compreendi que daquele pequeno esboço nasceria um livro.”
Foi assim que nasceu o livro “Encontro Marcado – Sem Deus a vida não tem sentido”. Uma obra que trata da vida cristã e da fé em Deus. Um olhar diferenciado sobre vidas que foram marcadas pelos milagres de Jesus.
A ideia central do livro é enfatizar os encontros narrados levando o leitor a se sentir parte da história. É por isso que, no final de cada capítulo, o autor apresenta uma aplicação e uma reflexão que chamam leitor para o contexto da narrativa como um protagonista.
A escolha do título se deu pelo fato da similaridade das histórias bíblicas narradas no livro. “Em todas as histórias, os personagens que encontram com Jesus têm a vida marcada pelo milagre. E quem pode esquecer um milagre que acontece em sua vida? Ninguém! O encontro que essas pessoas tiveram com Jesus marcou-lhes a vida. Foi um ‘Encontro Marcado’. O subtítulo, ‘Sem Deus a vida não tem sentido’, completa a ideia da história, pois o ser humano que não se encontra com Jesus, nunca conhecerá a verdadeira razão da sua existência”, ressalta.
Fatos importantes marcaram a caminhada literária do pastor Cláudio Ulisses até aqui. Ao término de cada capítulo do livro, ele sempre chamava sua esposa, Queila Júnia, para ler o que já havia produzido. O pastor conta que quando estavam lendo, começavam a chorar, pois as histórias são realmente marcantes. Ele explica que quando se está escrevendo, podemos adentrar e perceber detalhes que muitas vezes não são vistos com uma simples leitura dos textos bíblicos e que realmente sentiu as dores e as felicidades, as emoções e os sofrimentos dos personagens. E se emociona ao dizer que é por isso que a própria Escritura afirma ser viva (Hebreus 4.12)!
O pastor Cláudio Ulisses deixa uma mensagem a todos aqueles que vão adquirir o livro: “Peço para que deixem no coração um local reservado para se encontrarem com Jesus. Vivenciem as histórias de cada capítulo e faça com que seu encontro com Cristo seja marcado por um milagre e pela renovação de sonhos.”
Honra ao Mérito
Antes da cerimônia de lançamento, a Ação Social da Igreja Batista Nacional Ágape, igreja da qual Cláudio Ulisses é um dos pastores, será agraciada com o diploma de Honra ao Mérito na Câmara de Belo Horizonte. A homenagem foi indicada pelo Vereador Chambarelle (PRB) que também presidirá a solenidade.
A indicação de honraria ao mérito deve-se aos serviços prestados pela Ação Social da Igreja Batista Nacional Ágape à cidade de Belo Horizonte.
A Igreja Ágape é presidida pelo pastor Pedro Augusto Balbino e está localizada à rua Conde D’Eu, 867, bairro Vera Cruz, na capital mineira.
Há mais de onze anos, a Ação Social Ágape atua na área de assistência social e educação, atendendo mais de 80 crianças em regime integral.
Em abril deste ano, mais um novo projeto foi desenvolvido. Em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, a Igreja Ágape e o Ministério de Louvor Adorarte criaram a Escola de Música Adorarte (EMA), que conta hoje com aproximadamente 150 participantes, crianças e adolescentes com idade entre 6 e 14 anos.
De segunda a sexta, elas passam um tempo na igreja aprendendo música e dança, também priorizando a parte física. Para isso, a EMA também proporciona natação, brincadeiras com bola e dinâmicas esportivas. E esse projeto tem dado frutos. Cada criança tem encontrado na Escola de Música Adorarte um espaço de aprendizado, arte, amor e cuidado.
Importante ressaltar que a visão do Ministério de Louvor Adorarte é trabalhar com missões urbanas e ajudar a comunidade a qual está inserida.
Sobre o autor
Cláudio Ulisses formou-se em Bacharel em Teologia pela Faculdade de Teologia de Belo Horizonte (FATE-BH). Foi consagrado ao pastorado pela Convenção Batista Nacional (CBN), no dia 30 de dezembro de 2009. Hoje, é um dos pastores da Igreja Batista Nacional Ágape, localizada no bairro Saudade em Belo Horizonte, Minas Gerais.
É também pastor do Ministério de Louvor Adorarte (www.ministerioadorarte.com). Grupo formado em 2005 e que já possui três álbuns gravados: os CDs “Para Tua Presença” (2006), “Encontro Marcado” (2009) e o DVD “Encontro Marcado” (2010).
Cláudio é casado há treze anos com Queila Júnia Oliveira, sua fiel auxiliadora, líder e vocalista do Ministério Adorarte.
Por Ana Paula Costa
Jornalismo e Assessoria Ministério de Louvor Adorarte

Fonte: Jornal Gospel News

Graça Editorial lança livro sobre a história dos maiores homens e mulheres da Bíblia

“De Adão a Jesus”, obra de Jim George, aborda as lições de vida dos grandes servos que deixaram exemplos de fé, perseverança e comunhão com Deus
Com o objetivo de resgatar a história dos principais personagens bíblicos e revelar como elas podem ser poderosas e importantes no presente, a Graça Editorial apresenta o livro “De Adão a Jesus: lições de vida dos maiores servos de Deus”, do renomado escritor Jim George.
Em 50 resumos bibliográficos, distribuídos em 264 páginas de uma literatura inspiradora, George mostra uma visão geral da vida de cada personalidade bíblica, abordando seus desafios, eventos, experiências e a forma como Deus trabalhou por meio deles.
O autor ainda destaca as principais qualidades do caráter de cada um, as lições deixadas para a vida cotidiana e os passos que, hoje, podem ser dados em direção ao crescimento espiritual.
Nesta obra, os leitores poderão perceber que a vida de grandes homens e mulheres são ilustrações da verdade de que Deus tem prazer em fazer obras grandiosas por intermédio de pessoas comuns – inclusive você.
Por ser uma ferramenta informativa, prática e de referência rápida, o livro é indicado para auxiliar o estudo da Bíblia, seja de forma individual, ou em pequenos grupos e turmas de escola dominical.
“De Adão a Jesus” é o primeiro livro de Jim George pela Graça Editorial. Palestrante cristão, autor de 12 best-sellers e de livros indicados ao prêmio americano Gold Medallion (Medalhão de Ouro) e da série The Bare Bones Bible (A Bíblia de Base), George cursou dois mestrados no Talbot Theological Seminary (Seminário Teológico de Talbot), atuou em várias funções pastorais por 25 anos e, por 10, esteve na equipe do The Master’s Seminary (Seminário de Mestres). É casado com Elizabeth George, também autora de best-sellers e palestrante cristã, tem duas filhas casadas e é avô.
Autor: Jim George
Páginas: 264
Formato: 16 x 23 cm
ISBN: 978-85-73439304
Por: Alessandra Lemos
Comunicação Graça Editorial

Fonte: Jornal Gospel News

Livraria Cultura, em Curitiba, lança obra sobre submissão feminina

 Ao longo dos últimos anos a mulher garantiu o seu espaço nos mais diversos setores da sociedade, alcançou a tão sonhada independência e lutou por seus direitos. Mas quais os prós e contras de todas essas conquistas? Essa emancipação trouxe também desvantagens? Este é um dos pontos discutidos no livro Submissa? – Todos têm um dono, da jornalista Fabiana Bertotti.
A obra foi lançada na noite da última terça-feira, 30 de outubro, na Livraria Cultura, no Shopping Curitiba, na capital paranaense. A autora dialogou com os leitores e realizou sessão de autógrafos.
Denise Lopes, líder do Ministério da Mulher na Igreja Adventista para o Sul do Brasil, entende que o conteúdo do livro pode orientar a mulher cristã sobre a sua real missão na igreja, na família e na sociedade, papel que muitas ainda confundem, conforme acredita. “Na busca pela igualdade, pelos seus direitos e espaço, a mulher acaba perdendo, muitas vezes, a noção de qual é a sua missão e o propósito de Deus para ela”, analisa Denise.
A escritora acredita que na ânsia de mostrar que podem, e que estão em pé de igualdade com os homens, as mulheres acabaram escravizadas pelo dinheiro, pela indústria da moda, pela vaidade e até pelo sexo.
Com um texto leve e bem humorado, ela retrata situações vivenciadas pelas mulheres que muitas vezes enfrentam tripla jornada, e não se sentem confortáveis em demonstrar fragilidade, dependência ou submissão.
A jornalista e apresentadora de TV, Giselle Camargo, presente no lançamento da obra, acredita que esse cenário é contraditório, pois ao mesmo tempo em que a mulher colabora com vários setores, a sua saída do lar traz prejuízos para a sociedade como um todo. “A mulher ainda está achando um meio termo porque mesmo as que saem, têm filhos e conseguem conciliar as atividades, acabam carregando um sentimento de culpa”, argumenta.
Segundo a autora, a mulher precisa compreender que tem sim grandes vantagens em aspectos como afeição e flexibilidade, aproveitando tais atributos para o bem da família e da sociedade. “A mulher cristã sai na frente quando compreende esse seu papel. Ela se torna não só uma esposa, amiga ou mãe melhor, mas uma mulher melhor. Para isso, entretanto, ela precisa entender o valor que tem para ela mesma e perante Deus”, reforça.
O aspecto da auto estima é um dos temas do livro que chamaram a atenção da publicitária Marcelle Goulart. “Entender o valor que a gente tem para Deus foi algo que tocou muito o meu coração; saber que Deus chega a comparar a sua igreja com uma mulher. Me emocionei até”, relata a leitora.
Para o editor de livros da Positivo, Elias Alexandre Júnior, a publicação, que já teve a primeira edição esgotada, levanta uma discussão atual e é uma leitura recomendada não apenas para o público feminino. “O livro é bom para os homens também para a gente poder compreender e começar a respeitar esse momento em que as mulheres estão ganhando um espaço muito grande dentro da sociedade”, sugere.
Por Márcio Tonetti

Fonte: Gospel Prime / Jornal Gospel News

Namorar à distância, é possível estar perto, ainda que longe?

Noites viradas à frente do computador, despedidas dolorosas em aeroportos ou rodoviárias, a conta de telefone nas alturas e a saudade como sentimento de caráter crônico. Pode-se ilustrar assim um típico namoro à distância. Ajudado pelas constantes inovações das tecnologias de comunicação e convergência de mídias, este perfil de relacionamento está ganhando espaço entre jovens, adolescentes e até adultos do Brasil e do mundo.
Mas alguns fatores como confiança, o isolamento social e a falta de contato pessoal com quem se namora ainda preocupam muitos jovens que se deparam com possibilidades de um relacionamento assim. Em entrevista exclusiva ao Guia-me, jovens e orientadores cristãos falaram sobre os pontos positivos e negativos que um relacionamento à distância pode apresentar a um casal de namorados.
A cearense Lais Facó sabe bem o que é ter um computador como necessidade básica para namorar. Em uma de suas frequentes viagens a Curitiba, a advogada conheceu o seu namorado, Rodrigo Lara. Porém somente um ano depois se reencontraram na rede de relacionamentos Orkut e se adicionaram também no MSN. Em aproximadamente 6 meses, o casal já começou a se preparar para o casamento, que está marcado para Julho de 2010. Ao falar sobre o início de seu namoro, a moça lembrou que a distância não assustou o casal.
”[A distância] nos fez sentir saudade e o desejo de estar juntos aumentou. Tudo começou quando estávamos distantes, nos apaixonamos à distancia, e apesar de estarmos longe, conseguimos nos tornar íntimos, acho que devido ao tempo (muito tempo) que dedicamos um ao outro”, afirmou.
Segundo Lais e Rodrigo, a intimidade em um relacionamento à distância não surge completa e repentinamente, mas sim gradativamente, por meio de conversas sadias entre o casal e um bom aproveitamento do tempo dedicado ao namoro. Transparência, sensibilidade e saúde espiritual de ambas as partes também foram lembrados pelos dois jovens como essenciais para o sucesso de um namoro assim.
”Acreditamos é possível conhecer bem uma pessoa, mesmo estando distante dela, desde que você leve conversas sábias. Não é a proximidade que te faz conhecer a pessoa, mas o tempo que vc gasta com ela, entao. Se apesar da distancia vc consegue ter tempo com a pessoa, é possível você conhece-la. Importante tb o esforço de sentir o outro e de ser o mais transparente possivel. O fato de buscar a Deus juntos também traz uma conexão muito forte”, lembraram.
Seis meses de namoro são suficientes para que haja uma certeza para a vida toda (ainda mais estando distante)? Para Rodrigo e Lais esse foi o tempo suficiente para a chegada da confirmação divina em seus corações sobre o relacionamento que levavam. Segundo eles, o namoro já teve início baseado em um propósito firme e, após esse tempo, o sentimento da aprovação de Deus já era certo para eles. Isso os deixou em paz para tomar a importante decisão.
”O que nos fez noivar foi a resposta de Deus confirmando que nosso sentimento agradava o coração dEle. Não sabemos dizer se perto ou longe teríamos a mesma atitude, mas desde que nos falamos pela primeira vez, depois que começamos a nos gostar, decidimos que somente namoraríamos no intuito de casar”, asseguraram.
Prós X Contras
Ao falar sobre pontos positivos e negativos de um relacionamento que recebe constantes intervenções da distância, Lais lembra que tais características se evidenciam em vários momentos. O tempo gasto com o diálogo e a falta da companhia de quem se ama foram alguns dos pontos contrastantes citados pela jovem.
”Tem pontos positivos e negativos. Os positivos são que temos muito tempo para conversar, sem nos preocuparmos com outras coisas, o tempo que gastamos em conversar é de qualidade, pois estamos concentrados nisso, acho que é o mais relevante. No mais a distancia é uma chatice, você sente muita saudade, leva uma vida sempre desacompanhado”, comentaram.
Os distúrbios de comunicação causados por canais ”incompletos” como messengers, emails, telefone ou o conhecido Skype foram lembrado por Diego Haendel como fatores que dificultam um relacionamento à distância. O rapaz já está namorando à distância pela segunda vez. Segundo o jovem seminarista do Instituto Palavra da Vida, em Atibaia (SP), é difícil depender da tecnologia para fazer ”ajustes na relação”. Para ele, o contato visual em uma conversa é de extrema importância para que haja a plena compreensão do que é dito e as quedas de conexão ou interrupções de telefonemas nem sempre são vistos com compreensão.
”É muito difícil fazer ajustes na relação estando a distância. Resolver problemas desta forma é complicado, porque dependemos da tecnologia, que sempre nos trai. Estar no meio de uma conversa ou discutindo acerca de algo é muito chato sem estar olhando nos olhos, e pior, se a internet cai, ou telefone cai a linha, isso pode ser interpretado pela outra pessoa da pior maneira, o que pode gerar algo bem maior”, salientou.
O diálogo como ponto positivo de um namoro nesse perfil também foi reforçado por Diego. Apoiando a opinião de Lais e Rodrigo, o seminarista acredita que a falta de contato físico contribui para que a conversa seja a principal forma de demonstrações de carinho entre o casal, o que pode também ser bem aproveitada para a formação de um relacionamento saudável, no qual homem e mulher podem se conhecer mais em nivel de afinidades, gostos, história etc.
“O diálogo é mais enfatizado, como não tem contato físico o que se pode fazer é realmente conversar, você acaba conhecendo melhor a outra pessoa (por conhecer entenda afinidades, gostos, desgostos, história…) e desenvolvendo um bom papo, que é super importante para um relacionamento. Sem dúvida isso é muito bom”, afirmou.
Confiança
É possível confiar, mesmo estando distante? Respondendo a tal pergunta, Diego Haendel assumiu que é difícil, porém não impossível. Particularidades do estilo de cada pessoa e a forma como o relacionamento se formou são pontos citados pelo jovem como influentes na força da confiança que pode haver entre um casal. Mas lembra que a ”segurança” causada pela proximidade pode ser apenas ilusória.
“Não é nada fácil. Mas depende de cada um, e também de como o relacionamento foi construído. O certo é que de perto ou de longe algumas coisas ruins podem acontecer. O fato de estar perto nunca impediu ninguém de nada. Pessoas casadas cometem atos desleais e moram juntas. Então meu pensamento é de que se estou com alguém é porque confio e não posso fazer nada mais do que isso”, lembrou.
A psicóloga e autora de palestras direcionadas ao público jovem, Lia Honório afirma que para muitas pessoas é realmente difícil estabelecer vínculos de confiança em um relacionamento e tal dificuldade pode ser causada por inúmeros motivos. A história familiar de cada um é lembrada pela profissional como um fator que influencia o modo como cada um olha lida com o próprio namoro. Segundo a terapeuta, a distância e a diferença de círculos de amizade podem contribuir para que pensamenos fantasiosos se formem nas mentes dos namorados e é aí que a sinceridade e transparência se fazem necessários mais uma vez.
“As nossas histórias familiares, a forma como fomos criados, amados e aceitos orientam diretamente a nossa relação de confiança no outro. Contudo, estar longe significa não participar persencialmente da rotina do outro e ter que lidar com o fato de que outras pessoas estão usufruindo da presença de seu parceiro, enquanto você não. Quando se namora à distância, os fatos tomam proporções mais intensas e exageradas e não é diferente com os ciúmes. Por isso, para se conseguir confiar no outro, é necessário que ambos tentem compartilhar da rotina, dos encontros e dos fatos diários com muita clareza para que o outro sinta segurança”, alertou.
Apesar das vantagens de se gastar bastante tempo com diálogo em um relacionamento à distância, Lia lembrou que estar ”ao vivo” com a pessoa amada e olhar nos olhos da pessoa amada também é importante. Segundo a psicóloga, é importante que o casal não se fixe em um relacionamento virtual, mas também busque a harmonia quando estiver em encontros pessoais. Para a profissional o ”querer estar junto” e a plena admiração – com qualidades e defeitos – em relação ao parceiro(a) é essencial para um bom relacionamento.
”Nem só de conversa vive um relacionamento. É importante que se goste do jeito, do cheiro, da voz, da risada, enfim, que admire não só as idéias do outro, mas todo ele(a). É importante que haja alegria de se estar perto. Muitas vezes, as pessoas conseguem desenvolver um relacionamento muito bom via meios de comunicação, mas não se entendem ‘ao vivo’, pois não estão habituados às manias, ‘tiques’ e comportamentos de seu namorado(a) e algumas vezes porque não foram totalmente sinceros um com o outro”, lembrou.
Evitando surpresas desagradáveis
Um casal chegar ao altar sem se conhecer pessoalmente é loucura? Seria possível que um casamento tivesse sucesso se inciando assim? Segundo Lia Honório, há certos ‘perigos’ em se iniciar um relacionamento sem que haja um contato pessoal antecipado. Para a terapeuta, mesmo que o relacionamento seja levado à distância, é importante que o casal preze por um tempo qualidade juntos. ”É de extrema importância casais distantes que pretendem se casar conseguirem passar tempos de qualidade juntos, antes de subirem ao altar: evitará muitas surpresas no casamento”, assegurou.
Reforçando a opinião de Lia Honório, o líder de jovens da Igreja Presbiteriana de Itapeva (SP) e integrante de uma banda cristã chamada ”Siga o Mestre”, Bryan Temple lembrou que um contato pessoal – até antes mesmo de se iniciar o namoro – é importante para que haja segurança entre o casal. Segundo ele, o olhar de uma pessoa pode transparecer muito sobre ela mesma e seus sentimentos.
”Para mim o namoro é algo que precede o casamento e não é nem um pouco prudente firmar esse compromisso com alguém que nunca se viu. Além disso, não há nada mais genuíno, enfático e esclarecedor do que um olhar. Algumas pessoas alegam entender melhor alguém quando se olha nos olhos do mesmo e eu defendo que isso procede. Portanto, é absolutamente essencial que alguém conheça pessoalmente seu futuro namorado ou namorada”, afirmou.
Isolamento
Namorados que passam meses ou até mesmo anos distantes, aproveitam os poucos momentos que tem na companhia um do outro para matarem a saudade. Porém muitas vezes acaba ocorrendo um fato que se torna um problema para as amizades do casal: o ”isolamento”, ou seja, a vontade de compensar a falta do(a) namorado(a) é tanta que as outras companhias acabam sendo esquecidas. Bryan lembra o perigo que tal fator representa na vida de um jovem.
”As amizades não podem ser deixadas de lado por conta do namoro, então quando o casal se achar rodeados de amigos não se pode desprezá-los, afinal de contas a vida não se vive unicamente ao lado da pessoa com quem casarmos, mas  também se vive ao lado de amigos, parentes, colegas etc. Amizades verdadeiras fazem parte da felicidade de um ser humano”, alertou o líder.
Para o pastor e conselheiro da juventude da Igreja Presbiteriana de Itajubá (MG), Marcelo Seião o isolamento dos namorados pode trazer perigos ainda maiores para o casal. Segundo o líder, o pecado sexual pode ser um dos graves resultados desta intensidade pela busca de momentos a sós.
”Temos que entender que namoro não é casamento! E que o isolamento traz em seu bojo coisas que devemos ter cuidado. Muitos casais que já conversei caíram no abismo do pecado, tomando justamente esse primeiro passo. Depois veio a consequencia: um filho que não fora planejado! O namoro sério permite que outras pessoas participem desse relacionamento de maneira positiva, como pai, mãe, tio, tia, amigos, cachorro e papagaio”, lembrou.
Por João Neto

Fonte: Portal Guiame / Jornal Gospel News

O cristão pode ou não ouvir música secular?

A pergunta de se um Cristão deve ou não escutar música secular é uma que muitas pessoas fazem. Há vários músicos seculares que são imensamente talentosos. Música secular pode ser bastante divertida. Há muitas músicas seculares que têm melodias atrativas, conselhos bons e mensagens positivas. Ao determinar se um Cristão deve ou não escutar música secular, há três fatores que devemos considerar: (1) o propósito da música, (2) o estilo de música e (3) o contéudo da letra.
(1) O propósito da música. É música apenas para louvor, ou será que Deus criou a música para relaxar e entreter? O músico mais famoso da Bíblia, o Rei Davi, tinha como propósito principal usar a música para adorar a Deus (veja Salmo 4:1; 6:1; 54:1; 55:1; 61:1; 67:1; 76:1). No entanto, quando o Rei Saul estava sendo tormentado por espíritos perversos, ele chamava Davi para tocar a harpa para acalmá-lo (1 Samuel 16:14-23). Os israelitas também usaram instrumentos musicais para advertir contra o perigo (Neemias 4:20) e para surpreender os inimigos (Juízes 7:16-22). No Novo Testamento, o Apóstolo Paulo instrui os Cristãos a encorajarem uns aos outros com música: “falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais” (Efésios 5:19). Então, enquanto o propósito principal da música aparenta ser louvor, a Bíblia com certeza dá espaço para usá-la com outros propósitos.
(2) O estilo de música. Triste dizer que o estilo de música é um assunto que causa divisões entre os Cristãos. Há cristãos que inflexivelmente exigem que instrumentos musicais não sejam usados. Há outros Cristãos que só querem saber de cantar os hinos da antiguidade. Há Cristãos que querem música mais agitada e contemporária. Há Cristãos que afirmam que conseguem adorar a Deus mais em um ambiente parecido com um concerto de rock. Ao invés de reconhecer suas preferências como sendo pessoais e distinções culturais, alguns Cristãos declaram que seu estilo de música é o único “bíblico”, afirmando com isso que todos os outros estilos não agradam a Deus e são satânicos.
A Bíblia em nenhum lugar condena qualquer estilo de música. A Bíblia em nenhum lugar condena qualquer tipo de instrumento. A Bíblia menciona vários tipos de instrumentos musicais de corda e de sopro. Apesar da Bíblia não mencionar o tambor especificamente, ela menciona outros instrumentos de percussão (Salmo 68:25; Esdras 3:10). Quase todas as formas de música moderna são variações e /ou combinações dos mesmos tipos de instrumentos musicais, tocados em velocidades diferentes ou com ênfase elevada. Não há nenhuma base bíblica para declarar um estilo particular de música como sendo um estilo que desagrada a Deus ou que seja fora da vontade de Deus.
(3) O conteúdo da letra. Já que nem o propósito ou estilo de música é o que determina se um Cristão deve ou não escutar música secular, o conteúdo da letra deve ser levado em consideração. Mesmo que não falando especificamente de música, Filipenses 4:8 é um excelente guia quanto ao que devemos procurar na letra das músicas que escutamos: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”. Se essas são as coisas que devem ocupar nossa mente, então com certeza essas devem ser as coisas que devemos convidar às nossas mentes através de música e de sua letra. Pode a letra de uma música completamente secular ser verdadeira, respeitável, justa, pura, amável, de boa fama e de louvor? Se a resposta é sim, então não há nada de errado em escutar música secular dessa natureza.
Ao mesmo tempo, é bem claro que muito da música secular de hoje não segue o padrão de Filipenses 4:8. Música secular geralmente promove imoralidade, violência; enquanto ao mesmo tempo menospreza pureza e integridade. Se uma música promove tudo aquilo a que Deus se opõe, um Cristão deve evitar escutar esse tipo de música. No entanto, há muitas músicas seculares que não mencionam Deus, mas ainda promovem bons valores, tais como: honestidade, pureza e integridade. Se uma canção de amor promove a santidade do casamento e/ pureza de amor verdadeiro – mas não menciona a Deus ou a Bíblia – então não tem problema em escutar a tal canção.
Já é um fato provado que qualquer coisa que alguém deixe ocupar sua mente vai mais cedo ou mais tarde determinar sua linguagem e comportamento. Esse é o princípio por trás de Filipenses 4:8 e Colossenses 3:2-5: estabelecer pensamentos que agradam a Deus. 2 Coríntios 10:5 diz que devemos levar “cativo todo pensamento à obediência de Cristo”. Essas passagens deixam bem claro a que tipo de música não devemos escutar.
É claro que o melhor tipo de música que devemos escutar é aquela que adora e glorifica a Deus. Há vários músicos Cristãos talentosos em quase todo tipo de música, de clássica, ao rock, ao rap, ao reggae. Não há nada de errado com qualquer estilo de música. É a letra que determina se uma canção é aceitável ou não. No entanto, se um estilo de música secular, seja o ritmo ou a letra, causa você a considerar a se envolver em algo que não glorifique a Deus, então deve ser evitado.
créditos got questions

Fonte: Jornal Gospel News

Publicidade do Rock in Rio usa passagens bíblicas

A sacada de marketing do evento Rock In Rio que vai acontecer em setembro de 2013 gerou resultados imediatos. Usando as passagens bíblicas do dilúvio e do apocalipse a propaganda conseguiu vender milhares de ingressos.
O sucesso foi tanto que 82 mil ingressos foram vendidos em 52 minutos através da internet. Para poder acompanhar de perto o festival de música que vai acontecer na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro, cada pessoa precisou desembolsar entre R$130 e R$260.
Na peça publicitária que usou o tema da Arca de Noé aparece um barco semelhante com o projeto descrito na Bíblia navegando com a inscrição “Arca da Salvação – O fim está próximo, mas você poderá ser salvo”.
Em outra peça publicitária, uma foto com uma cratera no meio de uma grande cidade com a seguinte frase: “Tudo pode acabar logo depois da meia noite”.
Confira:

Fonte: GospelPrime / Jornal Gospel News