É cada vez maior a quantidade de Ministérios que ajudam mulheres em depressão

Do norte ao Sul do País aparecem mulheres deprimidas por desilusão amorosa, gravidez indesejada ou outras causas maiores
Trabalhos sociais empregados por empresas, ONGs ou Igrejas estarão sempre em evidência na sociedade. É alta a taxa de mulheres e seus correlatos familiares estarem com alguma debilidade emocional ou física. Em Minas Gerais, São Paulo ou Brasília a preocupação com a família não é diferente surgindo assim Ministérios específicos para combater os males que atacam a sociedade de hoje.
Segundos dados do IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a gravidez na adolescência ainda é um dado preocupante. A taxa de fecundidade médias das brasileiras apresenta desigualdades sobretudo em função da escolaridade. É por meio de resultados como este que várias instituições se destacam pela preocupação corrente com aqueles sem condições sócio-educativas.
Podemos citar várias empresas que tem como “código empresarial” a ajuda humanitária e outros eventos que empregam socorro a pessoas sem qualquer condição financeira. Meios de comunicação também estão presentes nestes fatos humanitários tão importantes da sociedade. A Rede Globo possui destaque em todo território nacional com o projeto “Criança Esperança”. Já o SBT possui o “TeleTon” que é de suma importância para as crianças com alguma debilidade física ou até mesmo psicológica. Além de grandes redes de televisão a Igreja de Deus também possui ótimos trabalhos sociais direcionados a família, já que esta é à base de qualquer sociedade.
Em Minas Gerais existe o projeto AMGI(Apoio a Mulheres numa Gravidez Indesejada) da igreja Batista da Lagoinha. Em Brasília será criado o 12MGC(12 Meses de Graça com Conhecimento) que tem como alvo treinar vários líderes em todo território nacional para divulgação de princípios familiares, como educação de filhos e casamento.
Estas lideranças estão aparecendo em todo Brasil pela alta porcentagem de crescimento de abortos, desestruturação familiar, depressão feminina e outros males. Não é apenas a falta de princípios que afetam o Brasil, mas a falta de apoio do governo brasileiro. O desemprego cresce a cada dia e junto com ele a desestabilização financeira de várias famílias na nação. A carência de trabalho é um grande responsável pelo aumento depressivo de uma sociedade.
Mesmo sem apoio governamental é importante a Igreja Evangélica se levantar para tratar destes e outras dificuldades. Não é preciso muito investimento para dar início, apenas a boa vontade e anseio por ver um país mais saudável.
Nara Raquel Melo
Press Noticiando – Assessoria de Comunicação

Fonte: Jornal Gospel News

O que é relacionamento

A palavra relacionamento etimologicamente vem do latim relatio e significa em sua essência estabelecer uma ligação entre. Quando falamos em relacionamento, podemos logo pensar na “ligação” entre duas pessoas: mãe e filho, irmãos, parentes, amigos, namorados, colegas de escola, e em especial o relacionamento do ser humano com Deus. O tema relacionamento é um oceano de conhecimento. Envolve estudo, observação e análise de vários lados para se conseguir uma visão do todo, porém nossa reflexão hoje vai se concentrar em apenas um dos aspectos. Podemos assumir como verdade que a base do relacionamento envolve a convivência. E para a convivência ser benéfica é preciso existir boa comunicação e disposição para servir, e isso acontece através do tratamento que damos à outra parte. Convido você analisar comigo cada um desses elementos. Comunicar-se não é simplesmente falar. Implica em enviar uma mensagem eficiente, isto é, transmitir aquilo que é necessário, e efetivamente transmitir uma mensagem no momento certo para a pessoa certa. É de suma importância que o receptor entenda claramente o que você quer transmitir. Esse processo é o que rege as boas comunicações em todas as esferas: profissional, social, pessoal e espiritual. Ainda é preciso considerar no processo da comunicação a habilidade em saber ouvir com atenção o que o outro diz. Para isso, nosso Criador nos deu dois ouvidos e uma boca implicando que devemos concentrar esforços duas vezes mais no ouvir do que no falar. Seguir essas práticas é o primeiro passo para se relacionar verdadeiramente com alguém. Contudo, existe um segundo elemento de fundamental interesse nos relacionamentos, a maneira como as pessoas se tratam, o que implica no quanto estamos dispostos a servir um ao outro. Não adianta nada você investir em palavras, ser um exímio comunicador, convincente, persuasivo, transmitir a informação que você deseja, se há falhas na área do tratamento, na execução do que se prega, em suas ações. Deus em Sua Palavra afirma categoricamente: “Ame o seu próximo, como a si mesmo” e “tudo quanto, pois quereis que os outros vos faça, assim fazei-o vós também a eles.” (Mateus 7:12) Perceba que na orientação de Deus para os relacionamentos humanos está o objeto da ação: ame e faça, que podem ser codificados como servir ao próximo. Porém, para que o servir seja aceito pelo outro, depende muito de como você se ama primeiramente. Em outras palavras, se você tem pouco amor por você, é provável que projete isso nos seus relacionamentos, uma vez que tratamos os outros como achamos que devemos ser tratados, pelo valor que acreditamos possuir. Em um relacionamento você pode tratar muito mal (servir pouco ou não servir) ou muito bem (servir com disposição) os outros, e aqui é que mora o perigo.Para entender melhor a conotação desse perigo, há uma teoria que gosto bastante e quero compartilhar com vocês: “as contas bancárias relacionais”. Segundo a teoria, ao nos relacionarmos com cada pessoa, mantemos uma conta bancária com ela. E nessa conta relacional são feitos depósitos e retiradas. Todavia, quem determina os depósitos e retiradas, não é você, é a pessoa com quem você se relaciona. Detalhe: para cada retirada que fazemos na conta bancária relacional de nossos pais, amigos, são necessários três depósitos. Essa teoria explica a ruptura nos relacionamentos e também de certa maneira a construção do amor entre duas pessoas. Tudo está relacionado ao nível de servidão que você está disposto a estender à outra parte. Para exemplificar, imagine que o amor da sua vida deseja algo que para ele (a) é essencial. Não está aqui em análise se realmente é essencial, o fato é que para ele (a) é de suma importância conseguir isso. E quando lhe comunica esse desejo você pode concluir não ser tão essencial assim essa conquista, e por conseqüência você realiza uma “poda” na aparente necessidade da pessoa que você ama (não concorda, menospreza ou até mesmo rejeita, enfim, você não serve como ela espera que você devesse servir). Ao fazer isso, você fez uma retirada na conta bancária relacional dela, porque pra ela era essencial e somente isso importa para que a retirada aconteça. Percebe? Se você permanecer fazendo mais retiradas em decorrência da forma como trata a pessoa, pode chegar um momento que sua conta bancária relacional com ela entra no vermelho, e nós sabemos o que sucede quando uma conta chega nesse estágio: “ela pode simplesmente fechar”. Comunicar-se satisfatoriamente, desenvolver amor por si mesmo, aprender a lidar com as contas bancárias relacionais se dispondo a servir e assim manter bons relacionamentos é um processo que exige maturidade, humildade, paciência, força de vontade e acima de tudo alimentar um relacionamento diário e suficiente com Deus. Pois não se engane, é a forma como você se relaciona com Deus em seu quarto “em secreto” conotativamente falando, que será sua projeção na forma como você se relaciona com as pessoas Fonte: http://www.unasp-sp.edu.br/unasp-sp/artigos/99-diversos/521-henry-col.html

Jogos e internet dominam a rotina de crianças e jovens e podem viciar

Notebooks, celulares, tablets, e outros eletrônicos tornam-se os principais companheiros de algumas crianças, adolescentes e jovens.
Serviço de mensagens instantâneas, jogos e redes sociais também viciam, é isso que mostrou o Profissão Repórter desta terça-feira, 22 de outubro.
Na reportagem, a mãe de um garoto viciado em jogos eletrônicos chega a dizer que sofreu como a mãe de um dependente químico.
Nas lan houses, garotos passam horas na frente do computador diariamente.
Pior que os adolescentes e jovens são as crianças. Desde muito novos, os celulares e tablets tomam lugar de brincadeiras entre amigos e estudos.
Confira o que mostra a reportagem.

Profissão Repórter 23-10-2012 Parte 1 Conectados por J4C4R3JP2

Profissão Repórter 23-10-2012 Parte 2 [FINAL]… por J4C4R3JP2

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News

A FESTINHA MALVADA

“E não fiquem conformados com este tempo, mas renove a sua mente em Cristo”    (Rm. 12).

O Halloween é uma festa que atrai muitas de nossas crianças. É uma comemoração celebrada todo ano, dia 31 de outubro, véspera do “dia de todos os santos”. Ela é realizada com mais representatividade nos EUA. Chegou ali através dos imigrantes irlandeses no século XIX.

Sua história, porém, é contada há mais de 2.500 anos. Sua prática surgiu entre o povo celta, que acreditava que no último dia de verão, os espíritos dos mortos saiam do cemitério para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes “fantasmas” os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como ossos, caveiras, abóboras enfeitadas, etc.

Essa festa foi condenada pela inquisição da igreja católica durante a idade média. Porém com o objetivo de diminuir as influências pagãs, que dessa invenção advinham, o catolicismo “cristianizou” a festa, criando o Dia dos Finados ( 02 de novembro).

São símbolos comuns dessa “festa”, fantasmas, bruxas, abóboras, caveiras, gatos negros e até doces que as crianças inocentemente (ou não) influenciadas por seus pais, levam de porta em porta!

A Palavra de Deus diz que as crianças devem vir a Jesus e que nós não devemos privá-las disso. Jesus precisa ocupar a alma de nossas crianças em todo o tempo!

Como pais, somos pastores,
educadores e intercessores de nossos filhos.

Quando desligamos o sinal de alerta, nossas crianças e adolescentes podem ser facilmente “fisgados” pela tal “brincadeira das bruxas” que invade nossas escolas e faculdades no Brasil, através do espírito de Jezabel!
Vigiemos contra esse espírito que perseguiu Elias e os profetas de Israel.
Nos últimos dias esse mesmo espírito tem tentado, sutilmente, penetrar na mente de nossas crianças através da mídia, desenhos animados, jogos eletrônicos, vídeos de internet e bluethooff de celulares.

a humanidade cresceu de 150 milhões
para cerca de 5 bilhões de almas.

Jezabel é ameaçadoramente independente e muitíssimo ambiciosa. É difícil em nossa geração discernir o alcance da batalha que abate a igreja e o mundo em geral. Poderíamos supor que o número de demônios não mudou desde o primeiro século, enquanto a humanidade cresceu de 150 milhões para cerca de 5 bilhões de almas.

Contudo o acesso que o diabo tem no controle dos meios de comunicação em massa ainda é sua principal arma para nossos dias. Até demônios de menor categoria pode possuir a mente de roteiristas e produtores de cinema e televisão. Clips e vídeos de Lady Gaga nos dias de hoje é o melhor exemplo disso. Em um de seus shows no dia das bruxas, ela se vestiu e se declarou ser uma “bruxinha malvada”, porém feliz… (engano)!

O espírito de Jezabel se levanta contra tudo e todos que tentam anular seu domínio na mente de nossos jovens. Jezabel foi implacavelmente cruel em sua sociedade e não tolerava dividir poder e domínio.
Porém, contra o espírito de Jezabel que se levantou em carne o Filho de Deus para destruir as obras de satanás!!!

Jezabel ganha ostentação no mundo moderno do entretenimento, na moda, nas universidades, nas escolas, e, pasmem, até em nossas igrejas podemos discerni-lo! Esse espírito é absolutamente egoísta e enganoso. É o principal destruidor de ministérios, famílias e casamentos.

O espírito perigoso de Jezabel precisa encontrar frente em nossas mentes e corações. Tome a espada do Espírito de Deus e batalhe também contra esse principado em nome de Jesus!

Esse principado costuma perseguir nossos músicos, nossos levitas e nossos pastores. De todos os seres humanos, nossos jovens e adolescentes estão mais vulneráveis; A “Geração Y” (aqueles nascidos nos anos 80/90, geração da era tecnológica), é sem dúvida alguma a mais tentada a participar das festas malvadas do dia das bruxas.

Nesse tempo, um grande perigo de influência maligna, porém, atrativa para os jovens de nossa igreja, chama-se Lady Gaga, a bruxinha que canta e dança bonito, mas que com suas músicas inspiradas por Jezabel, tem levado muitos jovens para o seu lado rebelde, irreverente e profano.

Nesses 30 anos de experiências na vida cristã, tenho ouvido de muitos líderes de ministérios de louvor, de dança e de teatro e até de muitos pastores: “Não aguento mais tanta perseguição, prefiro desistir desse ministério”. Volto a dar a mesma Palavra – Paulo não desistiu! O apóstolo Paulo escreveu: “Sede meus imitadores, assim como eu sou de Cristo” (I Co. II). Não deixe que o diabo registre em sua calculadora – “menos um ministério”, “um profeta a menos na terra”, etc.

A Bruxa Jezabel detesta crianças
e adolescentes cristãos
pois estes serão os futuros profetas
e adoradores na terra

O QUE A BRUXA JEZABEL ODEIA:

Os principais inimigos de Jezabel são:
– Crianças e adolescentes, pois serão os futuros profetas e adoradores na terra;
– Ministérios de Adoração (Levitas adoradores que servem no altar e fora dele);
– Pastores e líderes de nossas igrejas.

E, finalmente, Jezabel detesta, definitivamente, o próprio Deus!

Esse espírito detesta o fato de que Deus usará os mais fracos e menores para derrubar seu gigantismo em todos os meios da comunicação. Jezabel odeia a santidade e a pureza de coração que vêm de Deus e quer envolver aqueles que o que servem.

REFLEXÃO:
O que alimenta a alma de nossos filhos nos dias de hoje?

ORAÇÃO:

Senhor, nos submetemos a Ti e a teu padrão de justiça. Pedimos pureza, brandura e santidade de coração. Perdoa-nos por nossa tolerência ao espírito de Jezabel em nossas casas, em nossas escolas e em nossas igrejas.
Amarramos em nome de Jesus esse principado que tenta destruir a tua obra na terra. Anulamos esse demônio que tenta frustrar e apagar ministérios e lideranças no teu reino. Nós te pedimos forças para resisti-lo e para enfrentá-lo em nome de Jesus, amém!

 

Até uma próxima!

Pr. Claudinho Santos

claudinho.adore@hotmail.com

Compreendendo o desenvolvimento das Crianças

INTRODUÇÃO:
Amados, antes de tentarmos compreender a criança que estará diante de nós a cada Domingo, é conveniente fazermos uma reflexão sobre o nosso papel de obreiros do Senhor, trabalhando em sua seara. Devemos lembrar que temos em nossas mãos a responsabilidade de apresentar o nosso Deus vivo à estes pequeninos seres que, fisicamente, psicologicamente e espiritualmente são tão carentes d’Ele e não sabem. Mostrar estes aspectos ainda que rapidamente, é o que nos propomos neste trabalho.
I – A CRIANÇA FISICAMENTE:
1 – BERÇÁRIO: ( zero à 3 anos )
Ao nascer a criança já pode fazer vários movimentos e enfrenta a 3 grandes trabalhos:
– Enfocar os olhos
– Aprender a andar
– Aprender a falar
– Pode parecer que não há trabalho para o obreiro do Senhor nesta fase, mas eu afirmo: existe sim!
– Primeiro passo é procurar conhecê-los melhor e a seus pais também!
– As crianças do Rol de Berço crescem rapidamente.
– Seus músculos exigem ação e por isso são turbulentos.
– Elas falam pouco, mas, entendem quase tudo.
– Tenha paciência e calma.
– Use brinquedos fortes, grandes e leves.
– Dê-lhes atenção e não fique zangada.
– Cante corinhos com gestos e providencie para que a sua sala seja a mais confortável possível.
2 – JARDIM DE INFÂNCIA: ( 04 à 06 anos )
-Crescem rápido, tem maior controle motor.
– São ativas e cansam-se facilmente.
– Não conte histórias demoradas, não use palavras difíceis e não faça perguntas que exijam que ela se lembre.
– Alterne atividades calmas com atividades de movimento procure ter uma sala equipamento adequado e material apropriado para trabalhinhos.
– Tenha farmacinha de emergência.
3 – PRIMÁRIOS: ( 07 à 09 anos )
– Têm responsabilidade vibrante e curiosa.
– Cada idade desta faixa etária têm suas próprias características mas apesar de não serem iguais, há traços comuns entre elas.
– Nesta idade descobrem a escola secular os seus encantos e por saberem fazer comparações a Rede de Crianças pode ficar em segundo plano se o professor da mesma não levar a sério o seu trabalho, não dê tempo a eles de ficarem sem nada para ver, ouvir ou participar.
– Use amplamente recursos visuais.
4 – JUNIORES: (10 à 12 anos )
– Trabalhar com essa faixa etária não é fácil.
– Mas é muito gratificante.
– Os juniores não são mais crianças mas não podem ser considerado jovens.
– Sentem necessidade de serem liderados por alguém que os compreenda e os ajude a conhecerem a si mesmos.
– O professo de juniores deve ter um programa ativo.
– Evite fique sentados por muito tempo na mesma posição, evite louvores que pareçam infantis, crie suspense ao arrumar seu material para a aula e dê trabalhos atrativos e úteis para eles fazerem.
– Evite classe mista, se possível.
5 – ADOLESCENTES: ( 13 à 16 anos )
– Procure conhecê-los dentro e fora da Rede de Crianças.
– Tente identificar-se com eles.
– São desajeitados e muito críticos.
– Na tentativa de se adaptarem aos dois mundos existentes ( o seu, interior, e o outro, exterior ) entram em conflitos .
– Apesar de seu desenvolvimento rápido, podem estar bem dispostos num dia e no outro não querem fazer absolutamente nada.
– Varie seus métodos de ensino e faça com que eles participem ativamente da aula. Nunca dê-lhes atividades sem explicar-lhes o seu objetivo.
– Evite classes mistas ( as moças desenvolvem-se mais cedo que os rapazes ).
II – A CRIANÇA PSICOLOGICAMENTE:
1 – BERÇÁRIO: ( zero à 3 anos )
– São sensíveis, precisam de atenção, sendo ou muito boas ou rebeldes demais.
– Evite incidentes que possam ficar gravados em sua memória.
– Não deixe que ela se sinta coagida.
– Dê-lhe segurança e amor.
– Procure não faltar.
– Não gostam de serem mandadas mas fazem coisas que você sugerir.
2 – JARDIM DA INFÂNCIA: ( 04 à 06 anos )
– Gostam de brincar em conjunto mas têm tendência a destruir coisas.
– São egoístas, desejam aprovação dos outros e dos adultos.
– Não grite com elas.
– Já controlam o choro apesar de serem explosivos.
– Gostam de ajudar, são bondosos, mas também são teimosos e medrosas.
– Evite histórias que tenham suspense negativo.
3 – PRIMÁRIOS: ( 07 à 09 anos )
– São comunicativos, necessitam de companhia respeitam autoridade e são cooperadores.
– Têm muito “Fogo de Palha”.
– Não espere muito por eles.
– Ensine obediência através de sugestões com amor, e nunca dando ordens.
– Ensine o valor de competir, incentivando-os cooperando para o bom andamento da classe.
4 – JUNIORES: ( 10 à 12 anos )
– Têm boa memória, lêem muito, sentem necessidade de segurança.
– Gostam de organizar grupos do mesmo sexo.
? As meninas pensam mais em namoro, adoram heróis e são perfeccionistas.
? São instáveis emocionalmente, sensíveis ao desprezo, falta de amor ou hipocrisia.
? Promova passeios para a classe, ajude-os na formação de bons hábitos de leitura.
? Seja amigo constante e sincero
? Evite abraços ou outros gestos pois eles não gostam.
? Ame-os com o coração e não com gestos carinhosos.
5 – ADOLESCENTES: ( 13 à 16 anos )
? Estão sempre em busca de novidades.
? Muitos curiosos quanto a sexo e drogas.
? Querem ser adultos, independentemente e pertencer a comunidade.
? Fica encabulado com facilidade e têm consciência de seus problemas.
? Têm interesse pelo sexo oposto, mas seus sentimentos são inconstantes.
? Providencie preletores cristãos para falar sobre sexo e drogas.
? Conduza seus pensamentos em direção a Cristo.
? Providencie reuniões Sociais Mistas.
III – A CRIANÇA ESPIRITUALMENTE:
1 – BERÇÁRIO: ( zero à 3 anos )
? Têm sede de conhecer a Deus vivo e atuante.
? Têm a capacidade para entender e experimentar o amor de Deus, ouvidos, vendo e experimentando.
? Gostam de orar e dizer palavras simples para Deus, agradecendo por tudo.
? Tentam cantarolar os corinhos durante a semana.
? Desafina, inventa palavras mas canta com alegria.
? Gostam de ouvir sobre a criação ensinar-lhe que Deus criou o seu corpo.
? Evite expressões abstratas porque elas levam a sério.
2 – JARDIM DA INFÂNCIA: ( 04 à 06 anos )
? Pensa em Deus de um modo pessoal e consegue dar-lhe verdadeiro louvor.
? Ensine-a a orar de maneira pessoal com o senhor.
? Diga-lhe muitas vezes que Deus odeia o pecado.
? Tem curiosidade sobre a morte.
? Acredita nos adultos e está pronta a ouvir de Cristo.
? É a época propícia para apelo.
3 – PRIMÁRIO: ( 07 à 09 anos )
? São impacientes e não gostam de histórias em capítulos que duram muito tempo ou que sejam em seguida.
? Gosta da Escola Dominical e têm fé em Deus.
? Já entendem que Cristo as comprou com seu sangue e que pertencem a Jesus, querendo trabalhar para ele.
? Ensina-lhes a pedir a Deus a solução de qualquer problema.
? Ajude-os a conhecer Jesus, o melhor amigo.
? Dê-lhes trabalhos práticos. Distribuição de folhetos, ligações telefônicas para amigos não crentes, participação de corais, jograis, teatro e etc…
4 – JUNIORES: ( 10 à 12 anos )
? Reconhecem o pecado como algo que desagrada a Deus e a si mesmo.
? Têm fome de Deus.
? Sua fé é simples e a sua cabeça está cheia de dúvidas sobre a Bíblia.
? Gostam de encontrar respostas por si mesmos na Bíblia.
? Compreendemos melhor os simbolismos.
? Querem Cristo como Salvador e Senhor.
? Explique-lhes o valor do sangue de Cristo.
? “Se confessarmos os nossos pecados , ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.” I João 01:09
? Desafie-os a orar, fazendo pedidos específicos e pela resposta de Deus, vão saber a realidade divina e a sua atuação hoje na vida diária.
? Ofereça-lhes as ferramentas próprias para descobrir na Bíblia as soluções para seus problemas.
? Leve-os aos pés do Senhor e ajude-os a entender a importância de colocar a Cristo como líder de suas vidas.
5 – ADOLESCENTES: ( 13 à 16 anos )
? Estão prontos para salvação. Pode levá-los a Cristo sem receio.
? Ajude-os no seu crescimento Cristão: valor da oração, hora devocional, estudos Bíblicos, etc.
? Aplique-as verdades Bíblicas à vida de cada aluno, pois eles têm muitas dúvidas sobre o cristianismo.
? Dê-lhes oportunidade para fazerem perguntas e responde sempre apontando princípios Bíblicos.
? Treine-os e descubra suas aptidões para trabalhos da igreja.

Fonte:  Ministério Monte Sião / Jornal Gospel News

Dependente de Tranquilizantes? Um estudo publicado no British Medical Journal aponta que tais remédios estão associados ao aumento de casos de demência

Um alerta que vem da Inglaterra pode ser transferido para outros países: o consumo indiscrimado de tranquilizantes. Remédios que deveriam ser tomados por curtos períodos estão sendo ministrados continuamente, causando dependência. Estima-se que na Inglaterra mais de 1,5 milhão de pessoas estão fazendo uso errado de substâncias, como diazepam, benzodiazepinas, entre outros.
Um estudo publicado no British Medical Journalaponta que tais remédios estão associados ao aumento de casos de demência e outras pesquisas já associaram o abuso de tranquilizantes a mortes prematuras. “Não há dúvidas que benzodiazepinas podem causar dependência, mas se usadas direito e por curtos períodos, podem tratar casos de ansiedade”, diz o médico Owen Bowden-Jones, da Royal College of Psychiatry, ao jornal Daily Mail. No entanto, pesquisas estimam que 8% de pessoas com mais de 65 anos estejam consumindo os remédios de acordo com a própria vontade.
As principais consequências são estado de permanente confusão, lapsos de memória e cansaço extremo. E quando param com a medicação, sofrem sintomas de abstinência, como dores abdominais, enjoos e perda de apetite.

Fonte: Terra / Jornal Gospel News

Igreja se mobiliza para combater a depressão

Nos dias 22 e 23 de setembro, a Frente Missionária de Barra da Estiva (BA) promoveu debates sobre depressão e suicídio, em virtude do grande número de pessoas que sofrem com esta enfermidade e também do número de suicídios na cidade, conforme explicaram os missionários Renato e Juliana Fagundes.
Muitas pessoas da igreja e da comunidade local estiveram presentes e tiveram oportunidade de ouvir a Dra. Márcia Rodrigues (foto), psicanalista e psicopedagoga. Além das palestras, ela prestou atendimento psicanalítico gratuito para várias pessoas.
Diante ainda de muitos desafios, os missionários pedem oração pela cidade, por suas vidas e pela Frente Missionária, a fim de que mais pessoas sejam libertas da opressão e encontrem em Cristo salvação e a paz  “que excede todo entendimento” nos momentos de tristeza.

Fonte: Junta de Missões Nacionais / Jornal Gospel News

Deputado quer suspender a exibição de “Ted” no Brasil; Universal ainda não se pronunciou

O deputado Protógenes Queiroz (PC do B de São Paulo) disse que pedirá nesta terça-feira (25) aos ministérios da Justiça e da Cultura que suspendam a exibição do filme “TED”, de Seth MacFarlane, que estreou sexta-feira nos cinemas brasileiros. O UOL entrou em contato com a distribuidora do longa, a Universal Pictures, que informou que o caso está sendo analisado, e ainda não há nenhum pronunciamento oficial. Apenas lembraram que a classificação indicativa do filme é de 16 anos.

Protógenes assistiu ao filme com o filho Juan, de 11 anos. “Fiquei chocado e indignado com esse filme. Ele passa a mensagem de que quem consome drogas, não trabalha e não estuda é feliz”, disse Protógenes. O deputado postou sua indignação com o filme no Twitter. O assunto repercutiu na internet e ficou entre os trending topics de Brasília, São Paulo e Rio, entrando na lista de temas mais falados no País nos últimos dois dias. Houve uma enxurrada de respostas e críticas.

 das telas do cinema brasileiro. Não aceitamos mais esses enlatados culturais americanos no Brasil.

O deputado, também delegado da Polícia Federal, criticou os ministérios da Justiça e da Cultura por terem liberado o filme para maiores de 16 anos. “Não poderia ser liberado nem para 16 nem para 18 anos. Esse filme não pode ser liberado para idade nenhuma. Não deve ser veiculado em cinemas”, afirmou. Protógenes disse que, como deputado, pedirá explicações dos dois ministérios sobre a liberação do filme.

Protógenes disse que o filme “endossa atitudes criminosas, satiriza o consumo de drogas e de álcool e instrui o espectador a não estudar e a não trabalhar”. Segundo o deputado, é “um filme agressivo”. Ele afirmou que, ao conversar com o filho sobre o filme, outras crianças ao lado disseram: “Tio, estamos sabendo, aquilo é maconha”. Ele lembrou que acompanhava o filho, mas havia crianças sozinhas. Alguns pais apoiaram a decisão do deputado em sua página no Twitter.

“Ted” é uma comédia que mostra a amizade entre um homem e seu urso de pelúcia da infância à idade adulta. Tem Mark Walhberg e Mila Kunis nos papeis principais e foi dirigido por MacFarlane, conhecido por seu trabalho com a série de animação adulta “Uma Família da Pesada”, que tem sátiras nos moldes de séries como “Os Simpsons” e “South Park”.

Foto 12 de 12 – Ted reunido com “amigas” na casa de John Bennett (Mark Wahlberg), irritando Lori (MIla Kunis) Divulgação / Universal

*Com informações da Agência Estado.

Existem dois tipos de festas, e você só pode escolher uma delas.

Mas estou falando daquelas festas gigantes, com comida quase que infinita e alegria que não acaba. As duas são, aparentemente, bem interessantes.
Existem dois tipos de festas, e você só pode escolher uma delas.
Para você entrar na primeira festa, precisa dos seguintes requisitos:
Estar disposto a tudo
Desejar provar ‘coisas’ novas
Seguir o slogan “o que é feito na festa, fica na festa”
Aproveitar o máximo e se comprometer o mínimo
Ser jovem de coração, querer viver o carpe diem e ter a felicidade hoje.
Esta festa promete:
Prazeres incríveis
Músicas surreais
Curtição garantida
Noites inesquecíveis
Esquecer os problemas saindo de si
Amizades temporárias, que abafam a tristeza e solidão
Os que vão à esta festa frequentemente, se intitulam como aqueles que ‘aproveitam a vida’. Eles afirmam que estão curtindo o máximo possível dos anos de sua juventude, e que ainda que este tipo de festa traga alguns probleminhas, dizem que é o melhor jeito de se viver.
Mas qual é a outra festa? Como disse, somente uma das duas pode ser escolhida.
A segunda festa requere mais, mas também promete mais:
Requisitos:
Estar disposto a tudo
Buscar algo que não é deste mundo
Seguir o slogan “faça aos outros o que quero que façam a mim”
Comprometer todas decisões e atitudes de sua vida pelo ideal do amor
Não viver para si, mas estar disposto a viver uma renúncia de si para ter uma recompensa eterna.
Recompensas:
Uma vida infinita
Melhor gastronomia e vinho já experimentados
Ser escolhido como um líder para governar povos
O fim do choro, da tristeza e dos problemas que existem
Viver em comunidade, no lugar mais belo que será criado na história.
E aí, qual você acha que encaixa com seu perfil?
Estas festas são nossas opções de vida. Logicamente, nem tudo é festa nesse mundo, mas fiz essa analogia para analisarmos onde está nosso coração.
O marketing da primeira festa é: “Seja livre de regras”, “a vida é curta, curta a vida”, “deixa a vida me levar”, entre outros. Esta primeira festa é sobre o agora, mesmo que traga danos irrecuperáveis no amanhã.
A segunda festa é sobre o amanhã, mas exige uma entrega completa agora. Ela traz o maior dos benefícios, que a outra festa não traz: uma vida que durará para sempre, sem nunca mais haver tristeza.
Muitas vezes vivemos sem pensarmos o que estamos vivendo. Este mundo é como a primeira festa, e o Reino de Deus como a segunda festa.
Planeje-se, almeje usufruir da segunda festa. Você é um convidado de ambas, mas não abra mão de valores eternos por coisas que não duram, que desaparecem como a neblina que passa.
Que você aceite o convite para a maior festa de todos os tempos, feita por Deus, a Festa de Deus!
Neste monte o Senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho.
Neste monte ele destruirá o véu que envolve todos os povos, a cortina que cobre todas as nações;
destruirá a morte para sempre. O Soberano Senhor enxugará as lágrimas de todo o rosto e retirará de toda a terra a zombaria do seu povo.
Foi o Senhor quem disse!
Isaías 25:6-8

Fonte: Não morda a maçã / Jornal Gospel News

“A felicidade consiste na coragem de dizer não”

Nem todo mundo sabe ou consegue dizer ‘não’ com facilidade. Negar um convite ou uma proposta é mais difícil para alguns.
O que nem todo mundo sabe é que esse ‘não’ pode ser o caminho para a felicidade.
Fugir de lugares, pessoas, comportamentos e relacionamentos errados é andar ao encontro da alegria. Em poucas palavras, o rev. Hernandes Dias Lopes explica:
“O Salmo 1 inicia o saltério assim: “Feliz é o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores nem se assenta na roda dos escarnecedores”.
Há três progressões neste versículo. A primeira delas é: andar, deter e assentar-se. A segunda é: conselho, caminho e roda. A terceira é: ímpios, pecadores e escarnecedores.
Somos felizes na medida em que fugimos de determinados lugares, recusamos determinadas propostas e nos afastamos de determinadas pessoas. Frequentar lugares errados; viver de acordo com padrões errados e andar na companhia de pessoas erradas é o caminho mais rápido para a infelicidade.
A felicidade consiste na coragem de rompermos com determinadas amizades, dizermos um sonoro não a determinadas propostas e a fugirmos de determinados lugares. Quando deixamos de fazer essas coisas, então, somos felizes, muito felizes.”

Fonte: Guiame / Jornal Gospel News