Izaura Cardoso estreia na TV Boas Novas com o programa “Tudo De Bom”

reprodução

Nesse domingo (12/01), estreia na TV Boas Novas às 13h o programa “Tudo de Bom” com Izaura Cardoso.

O programa será semanal com duração de 15 minutos e abordará uma variedade de assuntos entre matérias destacando pessoas que contribuem para o crescimento do País através de seus trabalhos, empresas e testemunhos de vida.

Temas sobre cultura, arte, educação e uma reflexão da palavra de Deus de forma clara e objetiva também poderão ser acompanhados semanalmente no “Tudo de Bom”.

Izaura Cardoso tem história no Rádio como locutora do programa “De bem com a vida” na Pazm FM 89,5 em Goiânia, este que posteriormente tornou-se um quadro no programa Gente Legal transmitido pela Band TV, Fonte TV e NET.

O ano de 2014 começa com essa grande novidade, um programa dinâmico que abençoará lares de todo Brasil com conteúdo informativo e espiritual para a sociedade.

 “O objetivo desse programa é edificar vidas apresentando histórias que fazem a diferença além de mostrar que nós cristãos estamos envolvidos em todos os setores da sociedade e por isso temos a responsabilidade de mostrar Jesus em todas estas áreas.” Disse Izaura.

O programa será transmitido para 27 capitais brasileiras através da Rede Boas Novas TV.

Conheça o Canal da Rede Boas Novas na sua Cidade acessando: www.boasnovas.tv/cobertura/ ou assista o programa na web: http://boasnovas.tv/ao-vivo/

Serviço:

Programa Tudo de Bom com Izaura Cardoso

Quando: Todos os Domingos ás 13h

Onde: TV Boas Novas

Informações: www.izauracardoso.com.br

 

Sobre a apresentadora

Izaura Cardoso é autônoma, Missionária e Evangelista pela Assembleia de Deus/Campo de Campinas – GO, locutora da Rádio Paz FM 89.5, apresenta o Programa Tudo de Bom na Rede Boas Novas TV em rede nacional aos domingos as 13h. Na Band TV, apresenta o quadro De Bem com a Vida. É preletora da Adhonep – Associação de Homens e Mulheres do Evangelho Pleno.

Casada com Vanderlan Cardoso, Izaura é mãe de dois filhos, natural de Boa Vista – Roraima, filha de Francisco Ribeiro Perez e Ivone Alves Cantanhede, hoje reside na cidade de Senador Canedo – Goiás. Tem focado seus trabalhos em iniciativas individuais e coletivas que visam a melhoria da qualidade de vida de pessoas e comunidades. Desempenha projetos com missões na África como o projeto “Hands To Work” (Mãos Que Fazem), que ajudam com doações voluntárias de amigos, empresas e familiares; construção de poços semi artesianos, igrejas que são centros comunitários, aquisição de terrenos, bíblia na língua local, milhos para época da fome, como também, aquisição de carro, moto e bicicletas para missionários do grupo realizarem seus trabalhos, entre outras diversas necessidades.

Ao investir na organização e desenvolvimento de projetos e ações sociais, quebra barreiras e preconceitos e, ao mesmo tempo conscientiza sobre o papel da mulher cristã na sociedade. A receita é uma só: a fé e ação (oração).

 

Por Agência LiveCom – Assessoria de Comunicação Izaura Cardoso

Revista semanal traz informações sobre Israel ao público cristão!

capa-filipinas-2.001Nova publicação plantará uma árvore na Terra Santa para cada assinante

Cresce cada vez mais o interesse dos cristãos brasileiros pela terra e o povo de Israel. Mais do que apenas conhecer o passado e o presente do país, estes cristãos buscam aumentar sua conexão espiritual com a Terra Santa. Foi para atender a este público que acaba de ser lançada Unidos por Israel, uma revista multimídia enviada todas as semanas diretamente de Jerusalém. A revista pode ser consultada gratuitamente no site www.unidosporisrael.com.br.

Toda semana, a revista Unidos por Israel leva ao público cristão brasileiro textos, fotos, vídeos e músicas sobre Israel produzidos por renomados parceiros e colaboradores sediados em Jerusalém. “Apesar do grande interesse pelo tema, ainda há dificuldade em encontrar informações atuais e históricas com credibilidade sobre Israel. Por isso, estamos reunindo em uma só publicação material vindo de fontes de grande prestígio em Israel”, explica o jornalista Renato Aizenman, editor da nova revista.

“Judeus e cristãos têm raízes e ideais comuns. Iniciativas como esta, que contribuem para revelar a realidade israelense são fundamentais para fortalecer nossa amizade”, elogia o Embaixador de Israel no Brasil, Rafael Eldad.

Entre os assuntos abordados na revista Unidos por Israel estão os acontecimentos atuais na Terra Santa pelas perspectivas bíblica e histórica; o papel de Israel segundo as Escrituras; as descobertas da Arqueologia Bíblica na Terra Santa; as realizações do moderno Estado de Israel na agricultura, meio-ambiente, ciência e tecnologia; a História de Israel e do povo judeu através dos séculos e as festas e costumes ancestrais de Israel.

Assinantes da nova publicação terão acesso a conteúdo exclusivo, como artigos, cursos online e séries especiais para colecionar e pastores contam com preço especial para assinaturas. “Diversos pastores já estão utilizando o conteúdo da revista para falar sobre Israel em suas Igrejas”, conta Aizenman.

Através de uma parceria com a organização israelense KKL, que há mais de 100 anos atua no reflorestamento da Terra Santa, todos os assinantes da revista terão uma árvore plantada em seu nome em um bosque perto de Jerusalém e receberão um certificado. “Além de enriquecer seus conhecimentos sobre o Israel, nossos assinantes tornam-se parceiros na missão de fazer a Terra Santa florescer novamente, como previsto em Isaías 27:6”, diz o editor.

Saiba mais:

www.unidosporisrael.com.br

Mais informações:

Lilian Comunica – Assessoria de Imprensa

 (11) 2275-6787 (11) 2276-7346

assessoria@liliancomunica.com.br

imprensa@liliancomunica.com.br

Vanilda Bordieri e Mães da Sé gravam Clipe “Sem Palavras”

Iniciativa tem como objetivo promover o importante trabalho desenvolvido pela Associação, que há 17 anos busca localizar pessoas desaparecidas.

Todos os anos, mais de 200 mil pessoas desaparecem no Brasil. Para manter viva a luta contra esse grave problema social, a cantora Vanilda Bordieri apresenta o clipe Sem Palavras. O vídeo conta com a participação especial das Mães da Sé, entidade que há 17 anos busca localizar estas pessoas, principalmente crianças e adolescentes, prestando apoio às famílias na procura de seus entes queridos.

As cenas foram gravadas nas escadarias da Catedral da Sé, centro de São Paulo, local onde tradicionalmente, a cada 15 dias, acontece o manifesto silencioso com o objetivo de divulgar esta causa e obter informações sobre os desaparecidos.

Com a iniciativa, Vanilda Bordieri dá voz ao sofrimento daqueles que passam pela dura experiência de perder alguém. “Nossa força vem da esperança de que as pessoas possam ser reencontradas, dando a essas histórias o fim que todos desejam”, comenta Ivanise Espiridião, presidente da Associação.

Assista ao vídeo

Siga a Musile Records:

www.facebook.com/musilerecords
www.twitter.com/musilerecords
www.youtube.com/musilerecords
www.instagram.com/musilerecords

 Por: Sérgio Marques – sergio.marques@apd.com.br
Taylanne Ferreira – taylanne.ferreira@apd.com.br

Grupo faz trabalho social e religioso com os adolescentes internados em centros socioeducativos

banda AclameMinistério de Louvor Aclame se apresenta na Fundação Casa de São Paulo

No próximo dia 24 de Novembro, às 14h, será realizado na Fundação Casa, unidade Rio Tâmisa complexo Brás, uma apresentação do Ministério de Louvor Aclame, para levar as boas novas do Evangelho de Cristo através da mensagem cantada e pregada, proporcionado um momento de reflexão onde valores são confrontados e repensados, para construir uma sociedade mais justa e rica em amor ao próximo.

O evento reúne grupo de jovens evangélicos compromissados com os valores cristãos, que visam construir e fazer parte de uma sociedade onde os direitos humanos sejam respeitados. “Acreditamos também, na regeneração do ser humano”, afirma Hércules Lacerda, líder de louvor do Ministério Aclame.

O grupo traz uma programação diferenciada com ministração de louvores, mensagens de fé, força e alegria. O grupo vai levar uma mensagem de esperança com o tema Fé, Confiança e Mudança. Ao término do evento, terá sorteio de Brindes, camisetas e CDs para os adolescentes.

Serviço:

Dia 24 de novembro

Horário: das 14h às 17h

Local: Unidade Complexo Brás 

Mais sobre o Ministério de Louvor Aclame e a Fundação CASA:

É um grupo de Jovens evangélicos compromissados com os valores Cristãos, que visa construir e fazer parte de uma sociedade onde os direitos humanos sejam respeitados e acredita, também, na regeneração do ser humano, mesmo que para isso há uma série de fatores a ser levado em conta, e que a dignidade humana, acima de tudo, deve ser garantida, pois devemos sempre nos lembrar quem somos. Esses são os valores bases do Evangelho de Cristo que resume tudo apenas em AMAR. (www.mdlaclame.com.br)

Dentro da Fundação Casa, o grupo realiza projeto com adolescentes em conflito com a lei. O evento ocorreu  no CASA Rio Tâmisa. Segundo análise do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Fundação é possui o atendimento socioeducativo mais adequado em todo o Brasil. Executar, direta ou indiretamente, as medidas socioeducativas com eficiência, eficácia e efetividade, garantindo os direitos previstos em lei e contribuindo para o retorno do adolescente ao convívio social como protagonista de sua história. (http://www.fundacaocasa.sp.gov.br/)

Divulgação:

Débora da Mata

Assessoria de Imprensa
SUPRIR Comunicação Interativa

Jogador brasileiro abre igreja evangélica nos Emirados Árabes

o_20111008155332_vasco_tambem_estaria_de_olho_no_atacante_ricardo_oliveiraO jogador Ricardo Oliveira, 33 anos, está jogando em Abu-Dhabi, nos Emirados Árabes, defendendo o time de Al-Jazira. Eleito como o melhor jogador do país nas últimas temporadas ele tem recusado ofertas para voltar ao Brasil por ter outros planos: seguir como pastor nos Emirados.

Membro da Assembleia de Deus desde 1999, Ricardo se tornou pastor em 2008 e quando se mudou para Abu-Dhabi passou a reunir algumas pessoas. “Os cultos começaram no hotel, mas o grupo cresceu e conseguimos uma área para fazer os cultos”, disse ele ao portal UOL Esportes.

Hoje a igreja nos Emirados tem cerca de 100 pessoas que semanalmente participam dos cultos. Além desse compromisso, Ricardo tem interesse em ficar no país para virar dirigente de futebol e impulsionar o esporte.

“Ser pastor não é uma profissão, é um chamado de Deus. Você aceita e se dedica. Eu me converti em meados de 1999. E em 2008, fui consagrado pastor pela Assembleia de Deus. Vim para cá, passaram-se alguns anos e eu via a necessidade de uma igreja brasileira aqui”, disse ele.

Zé Roberto planeja se tornar pastor após aposentadoria

O atleta esteve recentemente pregando para mais de 3000 jovens em Porto Alegre

 

Zé Roberto planeja se tornar pastor após aposentadoria

No dia 1º de novembro o jogador Zé Roberto, 40 anos, teve a oportunidade de ministrar a Palavra de Deus para cerca de 3.000 jovens na Igreja Evangélica Encontros de Fé em Porto Alegre (RS).

Durante o culto o jogador do Grêmio teve a oportunidade de dividir histórias de sua vida, incluindo os problemas financeiros da infância e as dificuldades no mundo do futebol.

A experiência foi positiva para o atleta que agora pretende estudar teologia e se tornar pastor assim que se aposentar dos gramados.

“Quando eu parar de jogar, pretendo estudar teologia e me preparar bem. Foi bom conversar com estes jovens. A gente sente que eles estão carentes de bons exemplos”, disse ele para o Blog do Boleiro, no Terra.

O convite para que Zé Roberto ministrasse na igreja partiu do pastor Isaias Figueiró que ficou satisfeito com a forma como o jogador conseguiu prender a atenção dos jovens.

“Foi um evento especial”, disse o responsável pela Igreja Encontros de Fé. Figueiró disse que durante o culto Zé Roberto “colocou que tem muita satisfação, ainda com 40 anos, de ter saúde e poder contribuir para um time de grande expressão” como é o Grêmio.

por Leiliane Roberta Lopes

Fonte: Gospel Prime

‘Como é ser um Cristão em Cuba?’ – Confira a resposta numa entrevista exclusiva e reveladora com o Pastor cubano Mario Barroso.

O líder cubano está em visita aos EUA atendendo ao convite da CSW para falar sobre Liberdade Religiosa.

cuba 4

Imagem referente à Igreja Batista na Comunidade de Rosalía, onde Pr. Mario pastoreia.

Pr. MarioAutor do blog cubanoconfesante.com e pastor da Igreja Batista em Cuba, Mario Felix Lleonart Barroso está nos Estados Unidos desde setembro para participar de uma série de eventos sobre Liberdade Religiosa agendados pela Christian Solidarity Worldwide (CSW). Em sua estadia nos EUA, o líder cubano apresentou o documento “Trinta questões para o Governo Cubano”, que questiona e confronta o Governo nas situações que envolvem a liberdade de religião e de expressão em Cuba.

Em abril deste ano, a ANAJURE – com base em relatório aprofundado e conclusivo da CSW – denunciou no Brasil os graves problemas que acontecem na Ilha de Cuba no tocante às restrições de liberdade religiosa impostas pelo governo, mesmo com Fidel Castro institucionalmente fora do poder. Tal publicação da ANAJURE inclusive foi objeto de análise e discussão na Câmara dos Deputados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores.

O fato é que o Partido Comunista Cubano, numa forma mais velada de perseguição religiosa aos cristãos, tem buscado, através de todas as formas de cooptação possíveis, apoio político de líderes religiosos para realizar seus intentos, nada democráticos, como se sabe. Porém, normalmente, os líderes não cedem a este tipo de relacionamento que foge aos padrões bíblicos da ética, assim como também aos valores de um Estado Democrático de Direito, o que de fato Cuba não o é. O resultado desta recusa à cooptação é a perseguição violenta a esses mesmos líderes e igrejas, conforme descreve detalhadamente na entrevista o Pr. Mario Barroso.

CUBA 1Condição de uma das estradas de acesso às congregações que o Pr.Mario pastoreia.

Para o presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, ‘’o relato do Pr. Barroso é muito ilustrativo e elucidativo da real situação cubana em termos de liberdades civis fundamentais, em especial a liberdade religiosa. Desde nossa publicação de abril, já tínhamos amplo conhecimento disso. O que nos surpreende, por certo, negativamente, é o fato de Open Doors ter retirado Cuba da lista de países que mais perseguem ao cristianismo. Alguma análise precisa ser reconsiderada pelos nossos irmãos e parceiros dessa instituição, porque os dados concretos infelizmente têm nos mostrado uma situação ainda muito difícil. O exemplo do Pr. Barroso é um entre muitos outros. Neste sentido, a ANAJURE estará anos próximos dias oficiando a Portas Abertas Brasil para discutir a questão e ver como podemos ajudar a igreja de Cuba a partir do Brasil, por termos exatamente um governo alinhado, ideologicamente, com o da Ilha. No mais, continuamos a incentivar a igreja a orar pelos nossos irmãos e irmãs que tanto sofrem por amor ao Evangelho de Cristo’’.

Em entrevista à ANAJURE, o Pr. Mario falou sobre as duas missões que ele recebeu de Cristo – DENUNCIAR E ANUNCIAR – e sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano dos cristãos, pedindo aos brasileiros que: “não sejam indiferentes ante o clamor de liberdade de um povo que sofre, e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.”

Confira:

ANAJURE – Como é ser cristão em Cuba, e como é o trabalho que o senhor desenvolve na Igreja Batista?

Mario Barroso – Ser cristão em si já é um grande privilégio. E neste país, onde vivemos num regime totalitário por mais de 50 anos é um privilégio ainda maior, pois apesar das dificuldades os princípios do Reino de Deus se destacam neste tipo de governo opressor.

CUBA 3Devido à necessidade de obreiros, ensino Novo Testamento no Seminário Teológico da Primeira Igreja Batista, na cidade de Santa Clara, e em três filiais do Seminário Teológico Batista de Havana, nas três congregações situadas em Vueltas, Remedios e Cruces. O meu trabalho como pastor batista de duas congregações no centro de Cuba, nas comunidades de Taguayabón e Rosalía, onde há muita limitação e carência econômica, é bastante difícil. Sou um pastor sem carro, sem telefone fixo, sem internet, sem biblioteca onde eu possa conseguir literatura atualizada, e o teto de um dos templos que tem quase dois séculos (o de Taguayabón *na foto acima) está quase caindo. Mas sabemos que vale a pena tentar imitar a Cristo, que também viveu essas tensões e privações num contexto muito parecido, mas sem vacilar.

Além do Evangelho eterno que salva das conseqüências do pecado, nós espalhamos os valores e a ética do Reino de Deus, tão carentes em Cuba. Princípios que não fazem parte, por exemplo, da única educação legalizada da ilha, que é controlada pelo regime. E por assim ser, a educação é desenhada para doutrinar nossas crianças através de um programa educacional totalmente ideologizado e formatado pra semear ateísmo e violência nas mentes.

CUBA 2Cristãos da Comunidade de Taguayabón.

A – Qual o maior desafio da igreja cubana na atualidade?

MB – A igreja cubana enfrenta grandes desafios desde o passado. Nos anos 60, por exemplo, o regime político vigente declarou guerra ao cristianismo, se filiou às doutrinas leninistas, e literalmente declarou que a religião era a coisa mais danosa que podia existir debaixo do céu. O governo colocou ainda muitos cristãos em campos de concentração, denominados de Unidades Militares de Apoyo a la Producción (UMAP). Em 1965, nós batistas vivemos uma das maiores crises da nossa história porque a maioria dos nossos pastores foram presos. Uma das igrejas que pastoreio, a de Taguayabón, durante mais de ano teve um selo em sua porta, após ter todos os seus móveis confiscados. Um juiz chegou ao ponto de declarar ao pastor Luis Manuel González Peña, que na época era líder dos batistas cubanos, que em 30 anos não haveria mais nenhuma igreja em Cuba. O pastor respondeu: – “Senhor magistrado, o Cristianismo existe a quase dois mil anos e nada, e nem ninguém, conseguiu destruí-lo. Em 30 anos teremos o dobro de igrejas em Cuba!”. E assim foi.

Desde a crise na qual caiu o regime nos anos 90, sem o amparo da antiga União Soviética que ajudou Cuba a cometer tantos desatinos, as igrejas se multiplicaram num autêntico avivamento.

Hoje, o debilitado regime político de Cuba está obrigado a buscar pilares sobre os quais possa se apoiar para tentar sobreviver. A mesma igreja que se pretendeu destruir antes, agora se pretende usá-la. O desafio maior para a igreja cubana na atualidade está no fato dela conseguir não escutar as falsas adulações, nem cair nos enganos e chantagens do governo.

Para uma sociedade moralmente desolada, depois de cinco décadas de destruição generalizada, na qual o dano antropológico é grande, uma igreja disposta a condenar os responsáveis e a sarar as vítimas, representa nosso maior desafio.

No meio de comportamentos tão vis, onde o mal age ferozmente, servir a Cristo passa a ser uma grande responsabilidade. Mas quem deseja viver às custas de Cristo encontrará um bom lugar, pois o Regime pede a gritos “sacerdotes e profetas” que segundo o modelo oferecido em Apocalipse 13, entreguem sua boa visão ao poder político e adormeçam a massa.

A – Como tem sido o trabalho do senhor com relação à Liberdade de religião e de expressão em Cuba?

MB – O evangelho de Cristo, nas palavras de Dietrich Bonhoeffer, “libera-nos de tudo o que nos oprime…”. Uma pregação equilibrada das boas novas de Cristo não está separada da defesa das liberdades que todos os seres humanos têm direito.

Embora o regime tenha feitos esforços para me isolar nas comunidades rurais no centro de Cuba, pelas quais tenho muito amor, os púlpitos nos quais proclamo o evangelho e a ética do sermão da montanha estão ganhando mais espaço com o auxílio das novas tecnologias, mesmo com o fato de não possuirmos internet em casa e nos sacrificarmos bastante para tal.

Em novembro de 2010 nasceu o meu blog, cubanoconfesante.com, que completa agora três anos. E em janeiro de 2012 a minha conta no twitter @maritovoz, que logo se uniu ao de minha esposa @yoaxism, aumentou ainda mais o nosso alcance. Esses meios estão sendo usados por Deus para salvar nossas próprias vidas, e também como um meio de Graça, para cumprir a dupla missão que está entranhada em nós que é DENUNCIAR E ANUNCIAR. Sem a ajuda de Deus isto seria humanamente impossível.

O Regime cubano tem resistido em sua maldade com o passar dos anos. Diferente de sua melhor aliada, a Coreia do Norte – a quem não interessa cuidar de sua própria imagem – os que governam Cuba se preocupam com isto, fato que os fazem mais perigosos, porque já não fuzilam abertamente, como ocorre na Coreia. Em Cuba, se gloriam de uma moratória da Pena de Morte desde 2003, no entanto assassinam extrajudicialmente, e as mortes de Juan Wilfredo Soto (maio de 2011), Laura Pollan (outubro de 2011) e Oswaldo Paya (julho de 2012) são a prova disto.

A – Qual é o objetivo desta visita que o senhor está fazendo aos EUA, junto aos parceiros da CSW?

MB – Antes de qualquer coisa, preciso ressaltar que, coerente ao seu próprio nome, a CSW tem sido solidária à nossa missão em Cuba. Além de nos dar sua voz, a CSW fez um convite a mim e a minha esposa e facilitou os recursos financeiros que tornaram possível nossa visita aos EUA. Suas denúncias e relatórios a respeito das violações à liberdade religiosa em Cuba tem sido vitais no nosso caso e em muitos outros.

No ano passado recebemos com dor a notícia de que outra organização que se dedica a monitorar as violações de liberdade religiosa no mundo, a Open Doors, retirou Cuba da lista de países onde continua havendo violações à liberdade religiosa. O informe da CSW publicado em abril, inclusive com versão em português traduzida pela ANAJURE, com mais de 30 páginas dedicadas a Cuba, foi contundente e demonstra que a Open Doors precipitou-se demasiadamente.

No início de nossa viagem, a CSW preparou uma importante agenda que cumprimos em Washington e que nos permitiu atualizar importantes instituições governamentais e não-governamentais a respeito da situação real em matéria de liberdade religiosa na ilha. Um dos momentos mais emotivos para nós dentro da agenda foi sermos recebidos por um brasileiro muito especial em Washington, Raimundo Barreto, que realiza um trabalho muito importante dirigindo a comissão de liberdade e justiça da Aliança Batista Mundial. Nunca esqueceremos o carinho com o qual nós fomos recebidos.

Fomos também acolhidos pelas igrejas, imprensa secular e imprensa cristã na Flórida. Tem sido emocionante pregar à Cuba do exílio nos EUA, que é tão cubana quanto a da ilha. O fato de que algumas emissoras em que temos pregado podem ser ouvidas na ilha nos permite falar o que lá não é permitido. E isto faz comque aquilo que falamos chegue a milhões de cubanos.

Durante nossa viagem divulgamos 30 perguntas que temos lançado ao regime de Havana, questionando as supostas liberdades religiosas na ilha, as quais alardeiam argumentos que pretendem enganar a muitos, como parece que aconteceu com a Open Doors.

Estas 30 perguntas se converteram em um forte documento de denúncia divulgado em vários meios de comunicação, e que deixam o regime sem respostas lógicas, pois o desmascara. O regime político de Cuba é: inimigo da fé e amante dos deuses, aos que verdadeiramente serve, que são o poder e o dinheiro, embora disfarçando-se com aparência de piedade, mas negando sua eficácia com fatos.

Temos a esperança de que no próximo ano a Open Doors devolva Cuba à sua lista de países que violam a liberdade religiosa, levando em consideração as 30 perguntas divulgadas com apoio da CSW. Seria ótimo se não precisássemos estar nesta e em nenhuma outra lista, mas, não nos colocando nela não se faz nenhum favor a quem sofre dentro deste enorme campo de concentração rodeado de mar que é a nossa ilha, passando por seus altos e reais pesadelos, mas passa a favorecer os responsáveis pelas violações às liberdades civis fundamentais que se mantém no poder a todo custo.

A – Por favor, deixe uma reflexão para a Igreja Brasileira acerca das oportunidades e orar e ajudar a igreja perseguida em Cuba.

MB – Em 3 de novembro, diversas organizações cristãs a nível mundial, incluindo a CSW e a Open Doors, convocaram um dia mundial de oração pela igreja perseguida. Mas não basta apenas um dia de oração para interceder por nossos irmãos em tribulação pelo mundo. Hebreus 13.3 deve converter-se em um imperativo enquanto houver sofrimento no mundo.

Em nome da igreja de Cuba, que se encontra diante do enorme desafio de não ser cúmplice de um regime que a cada dia é desmascarado pela história, pedimos muita oração pelos nossos irmãos, na Igreja brasileira.

Gestos como o de Raimundo Barreto, da Aliança Batista Nacional, são exemplos do que o Brasil pode fazer, não sendo indiferente ante o clamor de liberdade de um povo que sofre e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.

Não posso perder esta oportunidade para colocar como exemplo no Brasil o Ministério Luz para o Caminho, da Igreja Presbiteriana do Brasil, dirigido pelo pastor Hernandes Dias Lopes, com sede em Campinas- SP. Eles têm investido com orações e finanças para que literatura cristã impressa e multimídia chegue a Cuba, com uma mensagem edificante que nos inspira em nossa missão. O devocional ‘Cada Dia’ que eles enviam para ser distribuído gratuitamente dentro da ilha transformou-se no devocional diário de milhares de cubanos. Em nossas igrejas temos sido beneficiados por sua solidariedade.

Outras igrejas e ministérios no Brasil também podem fazer o mesmo, além de orar, claro.

Uma mensagem muito importante para o Brasil: o debilitado regime que desgoverna a ilha por mais de 50 anos não tenta encontrar só na igreja um punhal para ferir sua cambaleante estrutura, mas também o faz no Brasil – O gigante do sul.

É importante que o Brasil receba sabedoria de Deus e não se deixe enganar, mas entenda que uma coisa é o regime que se apoderou da ilha, e outra coisa é o povo cubano.

A prosperidade econômica do Brasil constitui um ponto de observação para o regime no continente. Tratando de buscar ajuda para manter-se no poder.

Que o Brasil, e em especial a igreja brasileira, passe pela história como um povo que ajudou os cubanos a se libertarem do jugo do atual regime, e não o contrário.

A propaganda do regime de Havana é habilidosa e confunde a muitos, tal como, demonstra o caso da Open Doors, embora estejamos seguros que eles irão reavaliar a lista com base em nossos argumentos.

Não se enganem. Agradecemos ao Brasil pelos investimentos milionários realizados no porto de Mariel, em Havana, que isto será algo muito importante para a futura Cuba democrática que sonhamos, onde os direitos humanos são respeitados. Ressaltamos que é importante que o dinheiro deste porto não fique com uma elite que a cada dia enriquece mais, enquanto oprime um povo cada vez mais empobrecido. Esses recursos não devem servir para que o povo seja ainda mais maltratado.

Se a igreja brasileira puder incentivar seu governo para que ele priorize os direitos humanos em sua política exterior acima dos interesses econômicos, não ficará dúvida de que o fizeram por se alinhar aos interesses de Cristo em nossa sofrida ilha…

Por fim, nossa oração é que Deus continue abençoando o Brasil!

_________________________
Por: ANAJURE l Wanda Galvão – Jornalista e Secretária Administrativa

Thalles fala sobre participação no Programa do Jô

programa_joA participação do cantor Thalles no Programa do Jô foi ao ar nesta quarta-feira, dia 30/10. A entrevista teve duração de 15 minutos e contou com apresentação da música “Cheios do Espírito Santo”, além de palhinhas das canções “Arde Outra Vez” e uma outra que ele compôs para sua esposa, presente na plateia.
O programa teve como abordagem principal a evolução artística do cantor, desde o início de sua carreira na banda Jota Quest até a fase atual, focando, principalmente, nas manias, situações engraçadas de seu cotidiano e histórias ainda não conhecidas pelo grande público.
Em tom descontraído, Thalles contou manias, como a de morder tampinhas de garrafas, e várias histórias de sua vida, como a vez em que, ao realizar um show numa cidade, falou ao público que “era preciso colocar o capiroto para correr e que era necessário enfrentá-lo”. Para sua surpresa, o apelido do prefeito da cidade era “Capiroto”, o que, de certa forma, o colocou numa situação constrangedora.
Em sua Fan Page oficial, o cantor comentou sobre sua participação no programa:
O meu objetivo estratégico no Programa do Jô foi abrir as portas! Precisamos muito ter oportunidades em programas como esses, que alcançam um público diferenciado, que gosta da noite e aprecia conhecer histórias de pessoas e aprender com as experiências.
 
Como evangelista que somos, temos que ser extremamente estratégicos, se quisermos alcançar corações que não têm acesso ao Evangelho. Esse programa foi o primeiro passo para que esse público específico soubesse o meu passado de drogas, álcool, noitadas, etc.
 
As perguntas que ficam na cabeça daqueles que assistem a um programa como esse são: “Esse cara não foi apresentado pelo Jô no início como cantor gospel? Mas ele fazia xixi nas pessoas no passado? Nossa! Ele mudou hein?”. A semente foi plantada e, a partir daí, é só uma questão de tempo, pois Deus está trabalhando!
Fonte: Comunicação GMusic
Alessandra

Você pode imaginar o sentimento de acordar toda manhã sem saber se seu marido está morto ou vivo?

despertador1O marido de Christine, Benham, é líder de uma igreja Iraniana. Ele foi preso em 2011 sob falsas acusações políticas e tem sido brutalmente espancado pelas autoridades da prisão e outros detentos.

Mas o novo presidente Iraniano, Hassan Rouhani, tem prometido libertar prisioneiros políticos. Esta pode ser a chance de Cristina de ter seu marido em casa novamente…

Por favor, nos dê o dia de hoje para lembrar o Presidente Rouhani de suas promessas.

Mês passado pedimos a vocês para se engajarem na campanha em favor de Shahin Lahouti, outro Cristão Iraniano preso sob acusações políticas. Ele é um dos mais de cem Cristãos que foram presos no Irã desde 2011, cada vez mais sob falsas acusações políticas. É uma tática que vemos ser usada repetidamente pelo governo Iraniano – prender minorias religiosas sob acusações políticas ilegítimas, tal como “ação contra o estado”, para amenizar o fato de que foram realmente presos por conta de sua fé.

Mas estamos esperando que a eleição do Presidente Rouhani possa ser um ponto de virada para muitos prisioneiros Iranianos. Ele já libertou muitos prisioneiros políticos e é visto como mais moderado que seu predecessor, e quer reconstruir as relações com o Ocidente. Ele recentemente fez esforços para construir pontes com os EUA em particular – um gesto histórico, considerando as r]tensas relações que seguiram a ocupação da Embaixada Americana em Teerã pós-Revolução. Nós precisamos responder a estas mudanças, reforçando a nossa defesa política no Irã, na região da União Europeia e Nações Unidas.

Seu esforço vai nos fazer alertar políticos e oficiais internacionais de renome, os encorajando a manter o Presidente Rouhani firme nas suas declarações.

Por Shahin, por Benham e pelas suas famílias – por favor, nos ajude a mostrar ao Irã que o mundo está observando e levando isto em conta.

Muito obrigado.

Mervyn Thomas
Diretor Executivo da CSW

___________
FONTE: CSW
TRADUÇÃO: JORGE ALBERTO 

Adaptado por: ANAJURE

KAMAL CHUGHTAI, jurista e pastor paquistanês, fala à ANAJURE sobre a vida dos cristãos em seu país

Depois de contabilizar um número aproximado de 70 pessoas mortas no Shopping Center de Nairobi, no Quênia (sábado, dia 21); mais de 80 pessoas foram mortas em um duplo ataque à uma igreja histórica, em Peshawar, no Paquistão (domingo, dia 22); além de uma extensa lista de perdas e danos aos cristãos no Egito, (nos últimos três meses); os cristãos do Oriente Médio se depararam com uma situação ainda mais crítica do que já viviam, com ataques constantes e pouca, ou nenhuma, ajuda exterior para reduzir a extrema discriminação.

Kamal

Em entrevista exclusiva à ANAJURE, o pastor e jurista cristão Kamal Chughtal, (foto acima), fala sobre como vivem os cristãos paquistaneses diante das discriminações, e como estão agora, após o ataque à maior igreja da região, onde mais de 80 pessoas foram mortas.

Como alguém que conhece bem a situação vivida por cristãos e outras minorias em seu país, Kamal Chughtai trabalha no Paquistão há 25 anos, e, em especial, há 10 anos prega o evangelho de Cristo.

Segundo o pastor Kamal, os ataques não têm nenhuma ligação política, como muitos acreditam. Para ele, o que existe na realidade é uma motivação religiosa. E alerta: “O próprio código penal paquistanês permite que sejamos perseguidos, nos acusando de blasfêmia. Além disso, não são apenas os muçulmanos que atacam os cristãos, há também pessoas com extremismos contrários à liberdade religiosa.”

kamal - protestosPr. Kamal em recente protesto contra os atentados

O presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, convoca igrejas e aliados para oração, e também informa que está enviando Moção de repúdio aos embaixadores do Quênia e do Paquistão no Brasil. É o mínino que podemos fazer para que esta onda de perseguição anticristã seja contida. Os recentes ataques em Nairobi e Peshawar demonstram que, realmente, vivemos hoje num crescente ‘cristeinfrein’, isto é, num momento em que ser cristão é ser como os judeus da época nazista: estigmatizados, discriminados e condenados à morte. O mais interessante no depoimento que o Dr. Kamal nos deu é a alegação, já sabida por nós e ignorada e silenciada pela grande mídia internacional, de que não se trata de uma simples questão de conflitos políticos locais, mas de perseguição religiosa no seu mais alto grau de crueldade.”, afirmou o Dr. Uziel.

CONFIRA A ENTREVISTA:

ANAJURE – Como é o trabalho que o senhor desenvolve no Paquistão?
KAMAL CHUGHTAI – Trabalho há mais de 25 anos em favor das minorias não muçulmanas, e pela garantia e consolidação de seus direitos essenciais. Comecei este trabalho auxiliando o Bispo John Joseph. Como pastor, são mais de 10 anos de ministério pregando a Palavra de Deus aqui no Paquistão.

A – Qual é o ponto de vista do senhor sobre os recentes ataques em Nairobi e Peshawar?
KC – Foi um ataque à Igreja! Este atentado que matou mais de 100 pessoas foi motivado por um grupo extremista e terrorista que não possui ligações políticas, mas motivações religiosas. Estamos sendo vítimas da ação violenta do Talibã em nossa região. Mais uma vez afirmo, o que ocorreu não tem cunho político, mas apenas reflete uma acirrada perseguição religiosa.

A – Quem são os membros do Talibã e qual o seu papel na perseguição aos Cristãos no Paquistão?
KC – Eles não são apenas muçulmanos; há alguns membros deste grupo terrorista que não têm ligação com o Islamismo, mas compartilham de uma posição de extremismo religioso e são contrários ao pluralismo e liberdade religiosa plena. No mês de março eles queimaram mais de 100 casas de Cristãos em Lahore, e desde dezembro passado muitos incidentes têm sido provocados por eles no país. Geralmente, usam as leis para perseguir os Cristãos (a exemplo das seções 295-B e 295-C do Código Penal Paquistanês), acusando-os de blasfêmia, para legitimar os atos de violência e as restrições impostas.

A – Um dos ramos do Talibã Paquistanês é a Al-Qaeda. O que podemos esperar como próximo ato deles no país? 
KC – O governo está tentando diálogo com eles, contatos de paz, a fim de parar com esta violência. De fato, os líderes do país estão tentando trazer paz ao ambiente, porém o povo ainda não se sente confiante e seguro, pois acredita que o governo está temeroso quanto às próximas ações destes grupos terroristas. 

A – Como é a vida de um Cristão no Paquistão?
KC – Existem leis por meio das quais somos perseguidos, temos restrições para ingressar no sistema educacional e discriminação quando tentamos nos inserir no mercado de trabalho. É fato que as pessoas Cristãs que possuem bons recursos financeiros terão a qualificação desejada dentro do país, mas encontrarão muitas dificuldades para exercer sua profissão, pois não haverá lugar para a sua colocação. Geralmente, o que sobra para muitos dos Cristãos é fazer serviços de limpeza em empresas privadas e nas ruas.

A – Há real liberdade religiosa no Paquistão? 
KC – Podemos considerar que sim, mas o problema é que não podemos pregar livremente nas ruas nem evangelizar  os ‘não Cristãos’. No último censo, 5% da população se declarou Cristã, e isto reflete um pouco estas nossas limitações. Fora isso, há o problema de algumas restrições impostas por leis e/ou o mau uso delas.

_____________
Por: ANAJURE – Angélica Brito l International Press Office