Deputado Marcelo Aguiar faz representação no MPF contra quadro televisivo que provoca intolerância religiosa

capaO deputado Marcelo Aguiar (Democratas-SP) apresentou, nesta segunda-feira (23/2), representação no Ministério Público Federal contra quadro do programa “Tá no Ar”, em que fica caracterizada a intolerância religiosa. Segundo a representação, o quadro transmitido pela Rede Globo dia 19/2, intitulado “Galinha Preta Convertidinha” agride a liberdade religiosa professada, no caso, pelos evangélicos.

O programa mostra uma cena em que crianças assistem um suposto comercial da alegada “Galinha Petra Convertidinha”, além de um cão pastor alemão representando a figura de um pastor evangélico cantando jingle ofensivo.

Na peça, o deputado reforça, que a “Declaração Universal dos Direitos Humanos determina que a intolerância religiosa — fomentada pelo quadro televisivo aqui questionado —, além de ofender a dignidade da pessoa humana (CF, art. 1o, inciso III), é uma grave violação dos direitos humanos”.

Marcelo Aguiar requisita a apuração do Ministério Público sobre “a incitação do preconceito contra os evangélicos provocado pela ridicularização, em rede nacional, dos seus símbolos e sinais, do seu comportamento perante a sociedade e, ainda, do seu modo de expressar a sua fé em Deus”.

O deputado ainda acrescenta que o quadro televisivo ultrapassou o tom jocoso que deve permear as comédias em geral, o que casou perplexidade não apenas na comunidade evangélica, mas em colunistas especializados em entretenimento, a exemplo da análise do colunista Ricardo Feltrim, publicada no site UOL: “Globo testa limites com deboche a evangélicos”.

Assista o Video:

Assessoria Democratas

Últimas Vagas – Inscreva-se gratuitamente no 1º Congresso Internacional sobre Liberdades Civis Fundamentais.

congresso_STJ_2_site3“Será um momento ímpar para, numa das mais altas cortes do país, colaborarmos com o debate acadêmico-jurídico sobre a Liberdade Religiosa, a Liberdade de Expressão e a Objeção de Consciência, valores fundantes de um Estado Democrático de Direito”. Dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE

No dia 12 de março de 2014, o auditório do STJ receberá o 1º Congresso Internacional sobre Liberdades Civis Fundamentais, organizado pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos – (ANAJURE). As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas gratuitamente via internet neste link. As vagas são limitadas.

Além de debatedores nacionais, o evento terá como palestrantes principais o Doutor Jónatas Machado – Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra – Portugal, e o Doutor Thomas Schirrmacher – Diretor Executivo do International Institute for Religious Freedom da Alemanha, e também conselheiro da primeira-ministra alemã, Angela Merkel. Diretores, coordenadores e associados da ANAJURE de todo o Brasil também estarão presentes.

Confira a Programação completa (Click aqui e veja a versão em PDF)

IRÃ – Dois cristãos são libertados e outros recebem licença temporária da prisão

bandeira-IrãOs cristãos iraninos pedem nossa intercessão contínua pelos cristãos ainda aprisionados e se alegram com algumas respostas de oração

Em primeiro lugar, Sevada Aghasar foi libertado sob fiança no domingo (02 de março). Ele estava detido na prisão de Evin, em Teerã, desde 21 de agosto de 2013. Sevada é um cristão armênio. Sua casa foi revistada durante uma onda de ataques no Natal de 2012. Em agosto de 2013 ele foi preso juntamente com dois outros cristãos, Masoud e Ebrahim, ambos de origem muçulmana. Segundo relatos, Masoud também foi liberado.

Em segundo lugar, temos o prazer de informar que o pastor Behnam Irani tem recebido tratamento hospitalar. Ele está na prisão Ghezal Hasar em Karaj, desde maio de 2011 cumprindo pena de seis anos por alegada atividade anti-governo. Desde 2012, ele recebia apenas tratamento patialivo para um problema intestinal crescente. No dia 22 de fevereiro, recebeu autorização para se submeter à necessária cirurgia que foi bem-sucedida. Ele permaneceu no hospital por alguns dias para recuperação antes de voltar para a prisão.

Em fevereiro, Alireza Seyyedian, outro cristão detido na prisão de Evin, obteve licença temporária de cinco dias. Em novembro de 2011 ele foi condenado pelas acusações de “propaganda contra o regime” e de “agir contra a segurança nacional”. Após um recurso, sua sentença foi reajustada para três anos e meio de prisão. Ele começou a cumprir sua sentença em março de 2012.

Acredita-se que pelo menos 40 cristãos estejam detidos por sua fé ou atividades cristãs em todo o Irã.

Os cristãos que apoiam esses irmãos estão gratos por estes acontecimentos e agradecem nossas orações. Eles pedem nossa intercessão contínua, pedindo para que:

* Sevada, Masoud e outros recentemente libertados reconheçam a presença e a paz de Jesus enquanto se ajustam à vida normal;

* Pastor Behnam receba o toque da cura de Jesus, e continue recebendo os cuidados médicos adequados;

* Alireza, Ebrahim e todos os outros detidos por causa de sua fé em todo o Irã experimentem a paz, a presença e a proteção de Jesus a cada dia;

* Todos os funcionários envolvidos tenham misericórdia, ajam com justiça, aprendam sobre Jesus e escolham segui-lO.

________________________

FONTE: Middle East Concern

Participe do projeto “Unidos para Tua glória”

1462962_591710197561468_1486870394_nCom a finalidade de despertar em cada cristão brasileiro a empatia pelos cristãos perseguidos de forma a se imaginar no lugar deles surge a canção: Luz na Escuridão. A canção tem como propósito divulgar a causa dos cristãos perseguidos, tocar o coração das pessoas motivando-as a ajudá-los de alguma forma.

Para dar voz ao projeto Unidos para Tua glória, uma canção foi composta com o objetivo de reunir o máximo possível de cristãos motivando-os a se unir em socorro à Igreja Perseguida, glorificando assim a Deus.

Seu nome: Luz na Escuridão, pois socorrer e apoiar o cristão perseguido é fazer a luz (amor) de Jesus brilhar na escuridão (perseguição).

Um videoclipe foi gravado com a canção com a participação dos cantores Nívea Soares e Chris Duran – primeiros apoiadores do projeto. Chris é francês, mora no Rio de Janeiro. Nívea é brasileira e reside em Minas Gerais. Pessoas diferentes, de lugares diferentes, unidas com o mesmo propósito que é adorar a Deus e expressar o amor a Jesus e ao próximo. Ambos cederam seus direitos em prol da causa.

A canção tem como propósito divulgar a causa dos cristãos perseguidos, tocar o coração das pessoas motivando-as a ajudá-los de alguma forma. Seja em oração, enviando apoio financeiro ou mesmo dando suporte local. Além da Nívea e do Chris, outros cantores, pastores e líderes já estão abraçando a causa.

Qualquer cristão pode e deve se envolver no projeto. Para participar basta acessar as redes sociais do projeto e se engajar. Todo envolvimento é válido. Apoie! Participe!

www.facebook.com/unidosparatuagloria
www.twitter.com/paratuagloria
www.youtube.com/unidosparatuagloria

Fonte: Portas Abertas Internacional

Prisão domiciliar do Pastor Cubano Mario Barroso é revogada. Veja o Vídeo que ele enviou à ANAJURE contando detalhes sobre o caso.

bandeira-de-cubaNo dia 30 de janeiro, fomos informados de que os agentes do governo cubano receberam ordens para sair da casa do pastor Mario Felix Lleronart Barroso, que teve sua prisão domiciliar revogada. Ele foi detido no dia 25 de janeiro, retornando para sua casa um dia depois, sob vigilância do governo. O líder religioso e sua esposa, Yoaxis Marcheco, fizeram contato com nossa redação através do twitter por meio de um sistema via SMS, após o telefone dela ser liberado e desbloqueado. Na noite de ontem, (03/02), recebemos um vídeo em que o pastor Mario comenta o caso, e outro vídeo mostrando parte do tratamento que recebeu dos agentes do governo.


Não são poucos os casos de violação à liberdade de expressão e religião em Cuba. Quem não lembra o caso do Pastor Gude Perez? Um líder do Movimento Apostólico que teve grande crescimento em Cuba, e foi preso por acusações fabricadas em maio de 2008, passando 18 meses impedido de sair da Ilha?

Em 2013, o Pr. Mario junto com sua esposa e com o Pr. Gude Perez lançaram um documento intitulado de ’30 questões para o governo cubano’, divulgado no Brasil por vários sites cristãos, como o da ANAJURE e o da Missão Portas Abertas, cuja elaboração visava demonstrar que a liberdade de religião e crença não é respeitada pelo governo de Cuba.

Em abril do ano passado, a ANAJURE também publicou em parceria com a CSW um relatório sobre restrições à liberdade religiosa em Cuba, disponível em “ANAJURE Report Cuba”, onde entre tantos outros casos, a situação de Mario Barroso já era apontada.

O Presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, agradece pelas orações e apoio da igreja no Brasil. “Cremos que por conta das constantes orações e da pressão internacional após a detenção do líder cubano, ocorrida sem nenhuma razão justificável, Mario Barroso também foi dispensado de uma intimação vinda da Segurança do Estado cubano. Estamos certos de que a oração do justo pode muito em seus efeitos.”

_____________________________
Por: Assessoria de Imprensa – ANAJURE

Mariana Ava apoia o projeto “Unidos para Tua Glória”

mariana avaCantora grava vídeo para projeto da Missão Portas Abertas que visa mobilizar cristãos brasileiros na causa da Igreja Perseguida

Uma participação mais que especial. Dar voz ao clamor em favor dos cristãos que são perseguidos ao redor do mundo. Foi assim que a pastora e cantora Mariana Ava recebeu o convite para fazer parte do projeto “Unidos para a Tua glória” – promovido pela Missão Portas Abertas, que visa mobilizar e engajar cristãos brasileiros a partilhar sobre a realidade em relação à perseguição cristã.
A Missão Portas Abertas é uma base internacional que atua em cerca de 50 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida das pessoas ou à sua liberdade de crer e cultuar Jesus Cristo.
“Foi imediato. Assim que recebi o e-mail senti algo muito forte de Deus. Pois nos últimos anos temos visto com mais ênfase muitos de nossos irmãos sofrendo com a perseguição religiosa. Nosso papel vai além de simplesmente cantar, é expressar a nossa preocupação com esta causa. Só sente a dor quem passa por ela. Em nosso país somos livres para adorar a Deus. Devemos nos colocar no lugar de nossos irmãos. Oramos por estas vidas. Oramos também para que o nome de Jesus seja proclamado nos quatro cantos do mundo”, ressalta Mariana Ava.
Foi com este objetivo que Mariana gravou recentemente o vídeo da canção “Luz na Escuridão”. Canção esta composta por Maurício Monteiro e Nívea Soares especialmente para a campanha de mobilização do projeto “Unidos para Tua glória”.
Com esta iniciativa, o projeto pretende tocar o coração dos cristãos brasileiros para que sejam movidos pelo amor a Cristo e ao próximo, ajudando em oração e clamor aos irmãos que sofrem e são perseguidos em muitos países.
Vale ressaltar que Nívea Soares e Chris Duran, foram os primeiros apoiadores do projeto. O que pode ser conferido no canal oficial no Youtube

Confira o vídeo de Mariana Ava em apoio ao projeto “Unidos para a Tua Glória”:

Você também pode se envolver e apoiar esta mobilização! Siga! Compartilhe! Divulgue!

Site: www.portasabertas.org.br
Facebook: www.facebook.com/unidosparatuagloria
Twitter: www.twitter.com/paratuagloria
Youtube: www.youtube.com/unidosparatuagloria

Por Ana Paula Costa
Comunicação Ministério Mariana Ava

‘Como é ser um Cristão em Cuba?’ – Confira a resposta numa entrevista exclusiva e reveladora com o Pastor cubano Mario Barroso.

O líder cubano está em visita aos EUA atendendo ao convite da CSW para falar sobre Liberdade Religiosa.

cuba 4

Imagem referente à Igreja Batista na Comunidade de Rosalía, onde Pr. Mario pastoreia.

Pr. MarioAutor do blog cubanoconfesante.com e pastor da Igreja Batista em Cuba, Mario Felix Lleonart Barroso está nos Estados Unidos desde setembro para participar de uma série de eventos sobre Liberdade Religiosa agendados pela Christian Solidarity Worldwide (CSW). Em sua estadia nos EUA, o líder cubano apresentou o documento “Trinta questões para o Governo Cubano”, que questiona e confronta o Governo nas situações que envolvem a liberdade de religião e de expressão em Cuba.

Em abril deste ano, a ANAJURE – com base em relatório aprofundado e conclusivo da CSW – denunciou no Brasil os graves problemas que acontecem na Ilha de Cuba no tocante às restrições de liberdade religiosa impostas pelo governo, mesmo com Fidel Castro institucionalmente fora do poder. Tal publicação da ANAJURE inclusive foi objeto de análise e discussão na Câmara dos Deputados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores.

O fato é que o Partido Comunista Cubano, numa forma mais velada de perseguição religiosa aos cristãos, tem buscado, através de todas as formas de cooptação possíveis, apoio político de líderes religiosos para realizar seus intentos, nada democráticos, como se sabe. Porém, normalmente, os líderes não cedem a este tipo de relacionamento que foge aos padrões bíblicos da ética, assim como também aos valores de um Estado Democrático de Direito, o que de fato Cuba não o é. O resultado desta recusa à cooptação é a perseguição violenta a esses mesmos líderes e igrejas, conforme descreve detalhadamente na entrevista o Pr. Mario Barroso.

CUBA 1Condição de uma das estradas de acesso às congregações que o Pr.Mario pastoreia.

Para o presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, ‘’o relato do Pr. Barroso é muito ilustrativo e elucidativo da real situação cubana em termos de liberdades civis fundamentais, em especial a liberdade religiosa. Desde nossa publicação de abril, já tínhamos amplo conhecimento disso. O que nos surpreende, por certo, negativamente, é o fato de Open Doors ter retirado Cuba da lista de países que mais perseguem ao cristianismo. Alguma análise precisa ser reconsiderada pelos nossos irmãos e parceiros dessa instituição, porque os dados concretos infelizmente têm nos mostrado uma situação ainda muito difícil. O exemplo do Pr. Barroso é um entre muitos outros. Neste sentido, a ANAJURE estará anos próximos dias oficiando a Portas Abertas Brasil para discutir a questão e ver como podemos ajudar a igreja de Cuba a partir do Brasil, por termos exatamente um governo alinhado, ideologicamente, com o da Ilha. No mais, continuamos a incentivar a igreja a orar pelos nossos irmãos e irmãs que tanto sofrem por amor ao Evangelho de Cristo’’.

Em entrevista à ANAJURE, o Pr. Mario falou sobre as duas missões que ele recebeu de Cristo – DENUNCIAR E ANUNCIAR – e sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano dos cristãos, pedindo aos brasileiros que: “não sejam indiferentes ante o clamor de liberdade de um povo que sofre, e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.”

Confira:

ANAJURE – Como é ser cristão em Cuba, e como é o trabalho que o senhor desenvolve na Igreja Batista?

Mario Barroso – Ser cristão em si já é um grande privilégio. E neste país, onde vivemos num regime totalitário por mais de 50 anos é um privilégio ainda maior, pois apesar das dificuldades os princípios do Reino de Deus se destacam neste tipo de governo opressor.

CUBA 3Devido à necessidade de obreiros, ensino Novo Testamento no Seminário Teológico da Primeira Igreja Batista, na cidade de Santa Clara, e em três filiais do Seminário Teológico Batista de Havana, nas três congregações situadas em Vueltas, Remedios e Cruces. O meu trabalho como pastor batista de duas congregações no centro de Cuba, nas comunidades de Taguayabón e Rosalía, onde há muita limitação e carência econômica, é bastante difícil. Sou um pastor sem carro, sem telefone fixo, sem internet, sem biblioteca onde eu possa conseguir literatura atualizada, e o teto de um dos templos que tem quase dois séculos (o de Taguayabón *na foto acima) está quase caindo. Mas sabemos que vale a pena tentar imitar a Cristo, que também viveu essas tensões e privações num contexto muito parecido, mas sem vacilar.

Além do Evangelho eterno que salva das conseqüências do pecado, nós espalhamos os valores e a ética do Reino de Deus, tão carentes em Cuba. Princípios que não fazem parte, por exemplo, da única educação legalizada da ilha, que é controlada pelo regime. E por assim ser, a educação é desenhada para doutrinar nossas crianças através de um programa educacional totalmente ideologizado e formatado pra semear ateísmo e violência nas mentes.

CUBA 2Cristãos da Comunidade de Taguayabón.

A – Qual o maior desafio da igreja cubana na atualidade?

MB – A igreja cubana enfrenta grandes desafios desde o passado. Nos anos 60, por exemplo, o regime político vigente declarou guerra ao cristianismo, se filiou às doutrinas leninistas, e literalmente declarou que a religião era a coisa mais danosa que podia existir debaixo do céu. O governo colocou ainda muitos cristãos em campos de concentração, denominados de Unidades Militares de Apoyo a la Producción (UMAP). Em 1965, nós batistas vivemos uma das maiores crises da nossa história porque a maioria dos nossos pastores foram presos. Uma das igrejas que pastoreio, a de Taguayabón, durante mais de ano teve um selo em sua porta, após ter todos os seus móveis confiscados. Um juiz chegou ao ponto de declarar ao pastor Luis Manuel González Peña, que na época era líder dos batistas cubanos, que em 30 anos não haveria mais nenhuma igreja em Cuba. O pastor respondeu: – “Senhor magistrado, o Cristianismo existe a quase dois mil anos e nada, e nem ninguém, conseguiu destruí-lo. Em 30 anos teremos o dobro de igrejas em Cuba!”. E assim foi.

Desde a crise na qual caiu o regime nos anos 90, sem o amparo da antiga União Soviética que ajudou Cuba a cometer tantos desatinos, as igrejas se multiplicaram num autêntico avivamento.

Hoje, o debilitado regime político de Cuba está obrigado a buscar pilares sobre os quais possa se apoiar para tentar sobreviver. A mesma igreja que se pretendeu destruir antes, agora se pretende usá-la. O desafio maior para a igreja cubana na atualidade está no fato dela conseguir não escutar as falsas adulações, nem cair nos enganos e chantagens do governo.

Para uma sociedade moralmente desolada, depois de cinco décadas de destruição generalizada, na qual o dano antropológico é grande, uma igreja disposta a condenar os responsáveis e a sarar as vítimas, representa nosso maior desafio.

No meio de comportamentos tão vis, onde o mal age ferozmente, servir a Cristo passa a ser uma grande responsabilidade. Mas quem deseja viver às custas de Cristo encontrará um bom lugar, pois o Regime pede a gritos “sacerdotes e profetas” que segundo o modelo oferecido em Apocalipse 13, entreguem sua boa visão ao poder político e adormeçam a massa.

A – Como tem sido o trabalho do senhor com relação à Liberdade de religião e de expressão em Cuba?

MB – O evangelho de Cristo, nas palavras de Dietrich Bonhoeffer, “libera-nos de tudo o que nos oprime…”. Uma pregação equilibrada das boas novas de Cristo não está separada da defesa das liberdades que todos os seres humanos têm direito.

Embora o regime tenha feitos esforços para me isolar nas comunidades rurais no centro de Cuba, pelas quais tenho muito amor, os púlpitos nos quais proclamo o evangelho e a ética do sermão da montanha estão ganhando mais espaço com o auxílio das novas tecnologias, mesmo com o fato de não possuirmos internet em casa e nos sacrificarmos bastante para tal.

Em novembro de 2010 nasceu o meu blog, cubanoconfesante.com, que completa agora três anos. E em janeiro de 2012 a minha conta no twitter @maritovoz, que logo se uniu ao de minha esposa @yoaxism, aumentou ainda mais o nosso alcance. Esses meios estão sendo usados por Deus para salvar nossas próprias vidas, e também como um meio de Graça, para cumprir a dupla missão que está entranhada em nós que é DENUNCIAR E ANUNCIAR. Sem a ajuda de Deus isto seria humanamente impossível.

O Regime cubano tem resistido em sua maldade com o passar dos anos. Diferente de sua melhor aliada, a Coreia do Norte – a quem não interessa cuidar de sua própria imagem – os que governam Cuba se preocupam com isto, fato que os fazem mais perigosos, porque já não fuzilam abertamente, como ocorre na Coreia. Em Cuba, se gloriam de uma moratória da Pena de Morte desde 2003, no entanto assassinam extrajudicialmente, e as mortes de Juan Wilfredo Soto (maio de 2011), Laura Pollan (outubro de 2011) e Oswaldo Paya (julho de 2012) são a prova disto.

A – Qual é o objetivo desta visita que o senhor está fazendo aos EUA, junto aos parceiros da CSW?

MB – Antes de qualquer coisa, preciso ressaltar que, coerente ao seu próprio nome, a CSW tem sido solidária à nossa missão em Cuba. Além de nos dar sua voz, a CSW fez um convite a mim e a minha esposa e facilitou os recursos financeiros que tornaram possível nossa visita aos EUA. Suas denúncias e relatórios a respeito das violações à liberdade religiosa em Cuba tem sido vitais no nosso caso e em muitos outros.

No ano passado recebemos com dor a notícia de que outra organização que se dedica a monitorar as violações de liberdade religiosa no mundo, a Open Doors, retirou Cuba da lista de países onde continua havendo violações à liberdade religiosa. O informe da CSW publicado em abril, inclusive com versão em português traduzida pela ANAJURE, com mais de 30 páginas dedicadas a Cuba, foi contundente e demonstra que a Open Doors precipitou-se demasiadamente.

No início de nossa viagem, a CSW preparou uma importante agenda que cumprimos em Washington e que nos permitiu atualizar importantes instituições governamentais e não-governamentais a respeito da situação real em matéria de liberdade religiosa na ilha. Um dos momentos mais emotivos para nós dentro da agenda foi sermos recebidos por um brasileiro muito especial em Washington, Raimundo Barreto, que realiza um trabalho muito importante dirigindo a comissão de liberdade e justiça da Aliança Batista Mundial. Nunca esqueceremos o carinho com o qual nós fomos recebidos.

Fomos também acolhidos pelas igrejas, imprensa secular e imprensa cristã na Flórida. Tem sido emocionante pregar à Cuba do exílio nos EUA, que é tão cubana quanto a da ilha. O fato de que algumas emissoras em que temos pregado podem ser ouvidas na ilha nos permite falar o que lá não é permitido. E isto faz comque aquilo que falamos chegue a milhões de cubanos.

Durante nossa viagem divulgamos 30 perguntas que temos lançado ao regime de Havana, questionando as supostas liberdades religiosas na ilha, as quais alardeiam argumentos que pretendem enganar a muitos, como parece que aconteceu com a Open Doors.

Estas 30 perguntas se converteram em um forte documento de denúncia divulgado em vários meios de comunicação, e que deixam o regime sem respostas lógicas, pois o desmascara. O regime político de Cuba é: inimigo da fé e amante dos deuses, aos que verdadeiramente serve, que são o poder e o dinheiro, embora disfarçando-se com aparência de piedade, mas negando sua eficácia com fatos.

Temos a esperança de que no próximo ano a Open Doors devolva Cuba à sua lista de países que violam a liberdade religiosa, levando em consideração as 30 perguntas divulgadas com apoio da CSW. Seria ótimo se não precisássemos estar nesta e em nenhuma outra lista, mas, não nos colocando nela não se faz nenhum favor a quem sofre dentro deste enorme campo de concentração rodeado de mar que é a nossa ilha, passando por seus altos e reais pesadelos, mas passa a favorecer os responsáveis pelas violações às liberdades civis fundamentais que se mantém no poder a todo custo.

A – Por favor, deixe uma reflexão para a Igreja Brasileira acerca das oportunidades e orar e ajudar a igreja perseguida em Cuba.

MB – Em 3 de novembro, diversas organizações cristãs a nível mundial, incluindo a CSW e a Open Doors, convocaram um dia mundial de oração pela igreja perseguida. Mas não basta apenas um dia de oração para interceder por nossos irmãos em tribulação pelo mundo. Hebreus 13.3 deve converter-se em um imperativo enquanto houver sofrimento no mundo.

Em nome da igreja de Cuba, que se encontra diante do enorme desafio de não ser cúmplice de um regime que a cada dia é desmascarado pela história, pedimos muita oração pelos nossos irmãos, na Igreja brasileira.

Gestos como o de Raimundo Barreto, da Aliança Batista Nacional, são exemplos do que o Brasil pode fazer, não sendo indiferente ante o clamor de liberdade de um povo que sofre e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.

Não posso perder esta oportunidade para colocar como exemplo no Brasil o Ministério Luz para o Caminho, da Igreja Presbiteriana do Brasil, dirigido pelo pastor Hernandes Dias Lopes, com sede em Campinas- SP. Eles têm investido com orações e finanças para que literatura cristã impressa e multimídia chegue a Cuba, com uma mensagem edificante que nos inspira em nossa missão. O devocional ‘Cada Dia’ que eles enviam para ser distribuído gratuitamente dentro da ilha transformou-se no devocional diário de milhares de cubanos. Em nossas igrejas temos sido beneficiados por sua solidariedade.

Outras igrejas e ministérios no Brasil também podem fazer o mesmo, além de orar, claro.

Uma mensagem muito importante para o Brasil: o debilitado regime que desgoverna a ilha por mais de 50 anos não tenta encontrar só na igreja um punhal para ferir sua cambaleante estrutura, mas também o faz no Brasil – O gigante do sul.

É importante que o Brasil receba sabedoria de Deus e não se deixe enganar, mas entenda que uma coisa é o regime que se apoderou da ilha, e outra coisa é o povo cubano.

A prosperidade econômica do Brasil constitui um ponto de observação para o regime no continente. Tratando de buscar ajuda para manter-se no poder.

Que o Brasil, e em especial a igreja brasileira, passe pela história como um povo que ajudou os cubanos a se libertarem do jugo do atual regime, e não o contrário.

A propaganda do regime de Havana é habilidosa e confunde a muitos, tal como, demonstra o caso da Open Doors, embora estejamos seguros que eles irão reavaliar a lista com base em nossos argumentos.

Não se enganem. Agradecemos ao Brasil pelos investimentos milionários realizados no porto de Mariel, em Havana, que isto será algo muito importante para a futura Cuba democrática que sonhamos, onde os direitos humanos são respeitados. Ressaltamos que é importante que o dinheiro deste porto não fique com uma elite que a cada dia enriquece mais, enquanto oprime um povo cada vez mais empobrecido. Esses recursos não devem servir para que o povo seja ainda mais maltratado.

Se a igreja brasileira puder incentivar seu governo para que ele priorize os direitos humanos em sua política exterior acima dos interesses econômicos, não ficará dúvida de que o fizeram por se alinhar aos interesses de Cristo em nossa sofrida ilha…

Por fim, nossa oração é que Deus continue abençoando o Brasil!

_________________________
Por: ANAJURE l Wanda Galvão – Jornalista e Secretária Administrativa

Você pode imaginar o sentimento de acordar toda manhã sem saber se seu marido está morto ou vivo?

despertador1O marido de Christine, Benham, é líder de uma igreja Iraniana. Ele foi preso em 2011 sob falsas acusações políticas e tem sido brutalmente espancado pelas autoridades da prisão e outros detentos.

Mas o novo presidente Iraniano, Hassan Rouhani, tem prometido libertar prisioneiros políticos. Esta pode ser a chance de Cristina de ter seu marido em casa novamente…

Por favor, nos dê o dia de hoje para lembrar o Presidente Rouhani de suas promessas.

Mês passado pedimos a vocês para se engajarem na campanha em favor de Shahin Lahouti, outro Cristão Iraniano preso sob acusações políticas. Ele é um dos mais de cem Cristãos que foram presos no Irã desde 2011, cada vez mais sob falsas acusações políticas. É uma tática que vemos ser usada repetidamente pelo governo Iraniano – prender minorias religiosas sob acusações políticas ilegítimas, tal como “ação contra o estado”, para amenizar o fato de que foram realmente presos por conta de sua fé.

Mas estamos esperando que a eleição do Presidente Rouhani possa ser um ponto de virada para muitos prisioneiros Iranianos. Ele já libertou muitos prisioneiros políticos e é visto como mais moderado que seu predecessor, e quer reconstruir as relações com o Ocidente. Ele recentemente fez esforços para construir pontes com os EUA em particular – um gesto histórico, considerando as r]tensas relações que seguiram a ocupação da Embaixada Americana em Teerã pós-Revolução. Nós precisamos responder a estas mudanças, reforçando a nossa defesa política no Irã, na região da União Europeia e Nações Unidas.

Seu esforço vai nos fazer alertar políticos e oficiais internacionais de renome, os encorajando a manter o Presidente Rouhani firme nas suas declarações.

Por Shahin, por Benham e pelas suas famílias – por favor, nos ajude a mostrar ao Irã que o mundo está observando e levando isto em conta.

Muito obrigado.

Mervyn Thomas
Diretor Executivo da CSW

___________
FONTE: CSW
TRADUÇÃO: JORGE ALBERTO 

Adaptado por: ANAJURE

Historiadores do Reino Unido afirmam que os Cristãos do Oriente Médio são espécie em extinção

igrejas-queimadas-egitoO renomado historiador britânico Tom Holland afirmou num encontro em Londres recentemente que o mundo está assistindo a extinção efetiva do Cristianismo no seu local de nascimento.

Numa avaliação apocalíptica do agravamento da situação política na região, um painel formado por especialistas forneceu um grande número de evidências e estatísticas que apontam para o fim das nações daquela região que estão sob os ataques do Islã militante.

“Em termos de uma escala envolvendo a hostilidade e rivalidade sectárias, nós estamos testemunhando algo na proporção do horror da Guerra Europeia dos Trinta Anos”, disse Holland. “Esse é o clímax de um processo de pulverização ao longo do século XX – A efetiva extinção do Cristianismo de sua terra natal”.

O evento, intitulado “Relatório do Oriente Médio: Por que a verdade está sendo perdida”, procurou respostas para a cobertura “anêmica” dos ataques ocorridos contra os Cristãos no Egito em 14 de Agosto.

“Destruição premeditada de dezenas de igrejas antigas, mosteiros, escolas, orfanatos e centros de negócios não foram noticiadas por diversos dias em todo o Ocidente”, disse Nina Shea, diretora do Instituto Hudson de Liberdade Religiosa em Washington.

Após a vitória islâmica nas várias eleições durante a primeira revolução em 2011, os jornais americanos, perguntando como isso mudaria o Egito, sugeriram apenas que as mulheres seriam proibidas de usar roupas provocativas, e a cidade de Sharm el-Sheikh fecharia como um ponto turístico.

Isso foi “absolutamente trivial”, afirmou Shea. A perseguição aos cristãos Coptas, que tiveram uma igreja fundada por Marcos em Alexandria, foi a mais grave desde o século XIV, com “níveis horríveis de violência”. “Foi a pior perseguição em 700 anos contra a minoria de Cristãos do Oriente Médio” A mídia falhou em não fazer as perguntas mais básicas, ela afirmou. “Por que os Coptas foram selecionados, qual o significado e propósito dos ataques?”

Uma igreja do quarto século, que estava na lista para se tornar um Patrimônio Mundial da UNESCO, foi destruída e designada como um espaço de oração Muçulmano.

A igreja era 200 anos mais velha que as Estátuas de Bamiyan, no Afeganistão, mas a grande mídia ignorou o fato.

No entanto, havia provas suficientes para mostrar que a violência era parte de um plano para “expulsar os coptas, para aterrorizá-los e fazê-los sair”, acrescentou ela.

Holland afirmou que o Egito não era uma nação em desenvolvimento, que precisava de ajuda para emergir como uma democracia ocidental, mas foi o primeiro Estado do mundo, com uma civilização em um nível como a da China e Irã. No tempo dos Romanos, foi o celeiro de pão para o mundo. Agora é o maior importador de trigo do planeta.

O público ouviu uma litania das atrocidades e devastação cobertas pelo correspondente de língua árabe Betsy Hiel, do noticiário americano Pittsburgh Tribune-Review, que tem estado no território do Cairo durante ambas as revoluções.

A Igreja Copta do Reino Unido, do Bispo Geral Angaelos, ex-secretário do falecido Papa Copta Shenouda, falou em detalhes sobre as distorções da cobertura da mídia, que foram meras pressuposições agravando a situação no local.

Ele afirmou que alguns relatos chegaram a sugerir que o Egito estaria passando por uma guerra civil, até mesmo se referindo a um “hospital de campanha” em uma mesquita na parte mais nobre do Cairo.

“O Egito nunca terá uma guerra civil”, acrescentou Angaelos. “A sua demografia não se encaixa nesse cenário”.

Ele apontou que os Muçulmanos muitas vezes protegeram os Cristãos. A igreja, junto com a sociedade civil, era contra os extremistas. Muitos Muçulmanos se voltaram contra a Fraternidade quando ficou claro que não havia nenhum plano econômico.

Em resposta a uma pergunta da plateia, ele concordou que ocorreu um “silêncio” das igrejas, governos e até mesmo dos Muçulmanos Ocidentais após os ataques, o que, segundo ele, serviu para desmentir a propaganda Islâmica de que o Ocidente estava conspirando com os cristãos.

Nina Shea, diretora do Centro localizado em Washington pela Liberdade Religiosa, do Instituto Hudson, também falou sobre a Síria. Cristãos na Síria foram “pegos no meio do conflito”, afirmou. Há uma sombra de guerra contra eles por parte dos rebeldes, com as facções do Jihad e al-Qaeda deliberadamente atacando os Cristãos. “Quando eles conquistam uma cidade, implantam tribunais e mini-estados islâmicos”. Os cristãos estão fugindo. Concedidas as opções de serem mortos ou irem embora, eles fogem. Se ficarem, o imposto “Jizya” é cobrado. Caso não possam pagar, são mortos.

Shea disse que os Cristãos não se atreviam a se refugiar nos campos geridos pelos rebeldes, pois seriam recrutados a lutar.

O conhecido “Plano Damasco”, elaborado pelo Exército Livre Sírio para após o término da guerra, incluía assassinatos como forma de vingança contra aqueles que não se opuseram a Assad, acrescentou Shea.

Dr. Jenny Taylor é o diretor executivo do Lapido Media, que organizou o evento juntamente com a política externa da Sociedade Henry Jackson.

_______________
FONTE: WORLD WATCH MONITOR
TRADUÇÃO: FELIPE AUGUSTO

KAMAL CHUGHTAI, jurista e pastor paquistanês, fala à ANAJURE sobre a vida dos cristãos em seu país

Depois de contabilizar um número aproximado de 70 pessoas mortas no Shopping Center de Nairobi, no Quênia (sábado, dia 21); mais de 80 pessoas foram mortas em um duplo ataque à uma igreja histórica, em Peshawar, no Paquistão (domingo, dia 22); além de uma extensa lista de perdas e danos aos cristãos no Egito, (nos últimos três meses); os cristãos do Oriente Médio se depararam com uma situação ainda mais crítica do que já viviam, com ataques constantes e pouca, ou nenhuma, ajuda exterior para reduzir a extrema discriminação.

Kamal

Em entrevista exclusiva à ANAJURE, o pastor e jurista cristão Kamal Chughtal, (foto acima), fala sobre como vivem os cristãos paquistaneses diante das discriminações, e como estão agora, após o ataque à maior igreja da região, onde mais de 80 pessoas foram mortas.

Como alguém que conhece bem a situação vivida por cristãos e outras minorias em seu país, Kamal Chughtai trabalha no Paquistão há 25 anos, e, em especial, há 10 anos prega o evangelho de Cristo.

Segundo o pastor Kamal, os ataques não têm nenhuma ligação política, como muitos acreditam. Para ele, o que existe na realidade é uma motivação religiosa. E alerta: “O próprio código penal paquistanês permite que sejamos perseguidos, nos acusando de blasfêmia. Além disso, não são apenas os muçulmanos que atacam os cristãos, há também pessoas com extremismos contrários à liberdade religiosa.”

kamal - protestosPr. Kamal em recente protesto contra os atentados

O presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, convoca igrejas e aliados para oração, e também informa que está enviando Moção de repúdio aos embaixadores do Quênia e do Paquistão no Brasil. É o mínino que podemos fazer para que esta onda de perseguição anticristã seja contida. Os recentes ataques em Nairobi e Peshawar demonstram que, realmente, vivemos hoje num crescente ‘cristeinfrein’, isto é, num momento em que ser cristão é ser como os judeus da época nazista: estigmatizados, discriminados e condenados à morte. O mais interessante no depoimento que o Dr. Kamal nos deu é a alegação, já sabida por nós e ignorada e silenciada pela grande mídia internacional, de que não se trata de uma simples questão de conflitos políticos locais, mas de perseguição religiosa no seu mais alto grau de crueldade.”, afirmou o Dr. Uziel.

CONFIRA A ENTREVISTA:

ANAJURE – Como é o trabalho que o senhor desenvolve no Paquistão?
KAMAL CHUGHTAI – Trabalho há mais de 25 anos em favor das minorias não muçulmanas, e pela garantia e consolidação de seus direitos essenciais. Comecei este trabalho auxiliando o Bispo John Joseph. Como pastor, são mais de 10 anos de ministério pregando a Palavra de Deus aqui no Paquistão.

A – Qual é o ponto de vista do senhor sobre os recentes ataques em Nairobi e Peshawar?
KC – Foi um ataque à Igreja! Este atentado que matou mais de 100 pessoas foi motivado por um grupo extremista e terrorista que não possui ligações políticas, mas motivações religiosas. Estamos sendo vítimas da ação violenta do Talibã em nossa região. Mais uma vez afirmo, o que ocorreu não tem cunho político, mas apenas reflete uma acirrada perseguição religiosa.

A – Quem são os membros do Talibã e qual o seu papel na perseguição aos Cristãos no Paquistão?
KC – Eles não são apenas muçulmanos; há alguns membros deste grupo terrorista que não têm ligação com o Islamismo, mas compartilham de uma posição de extremismo religioso e são contrários ao pluralismo e liberdade religiosa plena. No mês de março eles queimaram mais de 100 casas de Cristãos em Lahore, e desde dezembro passado muitos incidentes têm sido provocados por eles no país. Geralmente, usam as leis para perseguir os Cristãos (a exemplo das seções 295-B e 295-C do Código Penal Paquistanês), acusando-os de blasfêmia, para legitimar os atos de violência e as restrições impostas.

A – Um dos ramos do Talibã Paquistanês é a Al-Qaeda. O que podemos esperar como próximo ato deles no país? 
KC – O governo está tentando diálogo com eles, contatos de paz, a fim de parar com esta violência. De fato, os líderes do país estão tentando trazer paz ao ambiente, porém o povo ainda não se sente confiante e seguro, pois acredita que o governo está temeroso quanto às próximas ações destes grupos terroristas. 

A – Como é a vida de um Cristão no Paquistão?
KC – Existem leis por meio das quais somos perseguidos, temos restrições para ingressar no sistema educacional e discriminação quando tentamos nos inserir no mercado de trabalho. É fato que as pessoas Cristãs que possuem bons recursos financeiros terão a qualificação desejada dentro do país, mas encontrarão muitas dificuldades para exercer sua profissão, pois não haverá lugar para a sua colocação. Geralmente, o que sobra para muitos dos Cristãos é fazer serviços de limpeza em empresas privadas e nas ruas.

A – Há real liberdade religiosa no Paquistão? 
KC – Podemos considerar que sim, mas o problema é que não podemos pregar livremente nas ruas nem evangelizar  os ‘não Cristãos’. No último censo, 5% da população se declarou Cristã, e isto reflete um pouco estas nossas limitações. Fora isso, há o problema de algumas restrições impostas por leis e/ou o mau uso delas.

_____________
Por: ANAJURE – Angélica Brito l International Press Office