Entrevista: TATIANA MALAFAIA FALA SOBRE MISSÕES NA BOLÍVIA

Cantora conta, com exclusividade, os objetivos de sua viagem missionária
Para cumprir o propósito que Deus colocou em seu coração, Tatiana Malafaia embarcou na quarta-feira (17/10) para a Bolívia onde terá oportunidade de fazer a obra missionária durante dez dias. Em entrevista, a cantora conta como surgiu o desejo de fazer missões naquele país e os projetos que pretende acolher para serem aplicados aqui no Brasil. Tatiana, que lançou há pouco tempo o seu segundo CD Tempo de Romper pela Central Gospel Music, revela também que parte do dinheiro arrecadado com as vendas do álbum serão doados para missões.
Confira abaixo detalhes da entrevista de Tatiana Malafaia:
CGM: Essa é a primeira vez que faz uma viagem missionária?
TM: Sim, é a primeira vez. Já estive em outros países, mas não em missões. Agora, sinto que devo chegar aos confins da terra. Posso dizer que a Bolívia inaugura o campo das missões transculturais na minha vida.
CGM: Em qual cidade da Bolívia fará missões?
TM: Em Santa Cruz, Jorochito. Visitarei o trabalho do missionário e pastor Roberto Luis. É uma obra muito linda que pode ser conhecida, com detalhes, pelo site www.ameibs.org. Meu desejo é captar recursos para a obra, pois são escassos. São muitos projetos, mas o lugar é pobre e precisa que os irmãos se levantem e contribuam.
CGM: Quando surgiu a ideia de viajar para fazer missões em outro país?
TM: Na minha adolescência, o Senhor já ministrava ao meu coração sobre missões, que se trata de uma responsabilidade de toda a Igreja. Nem todos podem ir, mas podem contribuir e interceder. Quanto à minha ida, por várias vezes o Senhor usou pessoas para confirmar esse chamado. A Bolívia, inclusive, foi o primeiro país que o Senhor me revelou. Aos 15 anos, eu sonhei que estava em um outro país, mas não sabia qual era. De repente, um jovem com a pele bem morena, como a de um índio, com uma camisa cor de tijolo e cabelos negros muito lisos se apresentava diante de mim e começava a falar numa língua que eu não entendia. Foi quando ouvi uma voz que dizia: “Você não pode entendê-lo, pois ele fala quechua”. Acordei nesse exato momento e comecei a procurar o que era “quechua”, pois nunca tinha escutado essa palavra. Pesquisando, descobri que quechua é um idioma de índios nativos da Bolívia. Fiquei pasmada, mas guardei aquela palavra no meu coração. Até que nesse ano, o missionário Roberto esteve em nossa igreja e, durante a apresentação das fotos do trabalho da missão, mostrou a foto de uma índia quechua. Eu quase caí da cadeira, pois na hora aquele sonho voltou à minha mente. Perguntei ao Senhor: “Mas, Deus, e agora, o que vou fazer? Qual o próximo passo?”. E a resposta foi: “Ide! Filha, eu já te mandei ir! Não disse para que você espere um convite. Vá você mesma!”. Meu coração se animou sobremaneira e comecei a preparar tudo.
CGM: Você vai sozinha daqui do Brasil?
TM: Eu vou com minha tia Kátia, que também tem sido chamada por Deus, e o missionário Roberto. É um lugar muito difícil e pobre. Pretendo visitar o máximo de projetos que puder, inclusive as aldeias indígenas. Algumas delas já possuem trabalhos evangelísticos estabelecidos. Mesmo sem luz elétrica ou templos, os irmãos se reúnem para adorar e falar de Jesus para aquele povo.
CGM: Como nasceu a vontade de doar parte do dinheiro das vendas do CD Tempo de Romper para a obra missionária na Bolívia?
TM: Acredito que veio do Senhor. É uma maneira das pessoas adquirirem um produto e saber que também estão contribuindo para uma boa causa. A venda de CDs é um meio, um instrumento, não uma finalidade. Devemos usar esse meio da maneira mais proveitosa possível para a obra de Deus. Penso que devemos doar para o Reino, e não tirar Dele.
CGM: Que tipos de projetos missionários você pretende trazer para a igreja no Brasil?
TM: Meu primeiro projeto é acender ainda mais a chama de missões nos corações e ampliar horizontes. Meu propósito é ir, conhecer, analisar as necessidades e trazê-las para o Brasil, a fim de mobilizar a igreja. A Bolívia é o meu primeiro paradeiro. Lá há projetos lindos, como o café da manhã para crianças. São cerca de 400 crianças beneficiadas, porém mais umas 300 aguardam na fila para serem atendidas. Há também o lar de idosos que oferece hospedagem, alimentação, cuidados médicos. Uma expansão está sendo feita, porém a igreja precisa de materiais de construção. Já estou planejando mais duas viagens para dois outros países, com contextos culturais e necessidades totalmente diferentes. Fico imensamente feliz em ver que o meu chamado está tomando a forma que o Senhor sempre desejou.

Fonte: Central Gospel Music / Jornal Gospel News

Idosa de 79 anos faz de aeroportos sua casa para evangelizar

Isaura Lopes cumpre jornadas cristãs de 20 dias em aeroportos brasileiros
Idosa de 79 anos faz de aeroportos sua casa para evangelizar Idosa de 79 anos faz de aeroportos sua casa para evangelizar
A pernambucana Isaura Lopes tem 79 anos e a mais de 59 anos prega a Palavra de Deus em todo o país, 19 anos nos aeroportos. Isaura está no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, com a missão de divulgar a palavra de Cristo, como ela mesma explica. Com duas malas, três mudas de roupa, um par de sapatos e a Bíblia, a pernambucana faz suas jornadas pelos aeroportos de capitais brasileiras que duram 20 dias.
“Desde julho de 1953. São 59 anos viajando de Norte a Sul do país a serviço de Cristo. Dezenove anos para cá dentro dos aeroportos porque Cristo tem um plano especial para os ricos. Renunciei a tudo da terra, todo conforto por amor a Jesus e por quem ele deu sua vida”, diz a aposentada.
Ela está em Porto Alegre desde o dia 5 de outubro e passa o dia lendo a Bíblia orando por passageiros e evangelizando funcionários. Na próxima quinta-feira embarcará para Brasília, aeroporto que escolheu como base.
Isaura testemunha sua experiência com Deus. Surda, afirma já ter orado muito para que Deus a curasse, começou a perder a audição aos 38 anos. “Orava muito para não ficar surda. Um dia, ouvi de Deus: Isaura, os sons da terra são muito desafinados com os sons celestiais, melhor é não ouvir”, explica a senhorinha. Isaura já se julgou amaldiçoada. Não conquistava seus principais desejos enquanto jovem e se revoltava sem entender o porquê. Então ouviu de Deus que sua vida não era terrena. Se tinha os pés no chão, sua alma estava no céu. Por isso voa, sem medo de altura.
Isaura não tem família. Nasceu no sertão pernambucano onde completou o primeiro grau, noivou e preparou todo o enxoval. E onde abandonou tudo para seguir em uma eterna viagem pelo Brasil. Em nome de Deus, deixou o sonho de ser mãe. E não se arrepende.
Sobre sua estada no aeroporto, a Infraero informou que não existe lei que proíba e que ela não perturba os passageiros, nem pede esmolas. A estatal vê Isaura como uma viajante comum, com bilhete de partida comprado.
A rotina
Banho – As poucas horas em que dorme só são merecidas após um demorado banho de pano e sabonete, que sempre acontece durante a madrugada para não incomodar ninguém. O cabelo, já curto para não atrapalhar, é lavado na pia com a ajuda de um copo plástico.
Sono – Em Porto Alegre, fez de um dos assentos próximos à escada rolante, no terceiro piso, a sua cama. Ela posiciona a bolsa sobre um dos braços do banco, coloca a Bíblia em cima e apoia a cabeça. Para dormir, recolhe os pés desafiando o pequeno espaço disponível sobre o assento.
Alimentação – Não toma café da manhã, acostumou-se sem. Mas o que chama de carência alimentar bate por volta das 11h, quando se dirige a restaurantes onde consegue descontos e, por vezes, até comida de graça. À noite, é a vez de um pequeno lanche.
As informações são do G1 e Zero Hora.

Fonte: Jornal Gospel News

MISSÕES INCOMPLETAS

O tema de Missões Incompletas tem o propósito de chamar a atenção da Igreja brasileira para essa tarefa que tem se tornado uma Negação em muita parte. Tem tão pouca gente fazendo Missões. Tem tão pouca gente falando sobre esta Obra que Jesus colocou tanta Prioridade. Quase não se faz Campanha por Missões, assim como se faz campanha de quebra de maldição, de prosperidade, de restauração.
O povo sem Cristo esta semelhante ao que Jeremias falou nas suas Lamentações: Todo o seu povo anda suspirando, buscando o pão; deram as suas coisas mais preciosas a troco de mantimento para restaurarem a alma; vê, Senhor, e contempla, que sou desprezível. Não vos comove isto a todos vós que passais pelo caminho? Atendei, e vede, se há dor como a minha dor, que veio sobre mim, com que o Senhor me afligiu, no dia do furor da sua ira. (Lamentações 1.11-12)
Eu escrevo semanalmente sobre Missões, pois Missões em alguns lugares está na UTI. Outros lugares está no Museu. E para outros lugares a palavra Missões está só no Dicionário. Não esta na agenda dos pastores, não está nas reuniões de obreiros, não está nos corações dos pregadores. Vez em quando encontramos alguém como Gideão sozinho escondido dentro de um lagar salvando um pouco de trigo para a sua família.
Escrevo com muita Urgência sobre Missões fazendo de Missões o tema Primordial da PRONAMI – Promotoria Nacional de Missões, organização que tenho criado na Internet para Promover Missões no Brasil, com destino ao Chile. Vamos colocar alguns números de Missões para que todos vejam o quanto esta faltando ainda esta Obra, o quanto as Missões estão Incompletas. Contarei a realidade da falta de Interesse das igrejas brasileiras por Missões, este Brasil que no seu hino nacional é o Florão da América.
Havia 3.000 pastores em um Congresso, quando foram distribuídos os temas em grupos, apenas 12 pastores escolheram o tema de Missões. Nem vou fazer a conta para saber a porcentagem, pois ao saber de que apenas 12 pastores entre 3.000 se interessaram por Missões me deu uma tristeza muito grande, isso é uma vergonha, isso é uma Negação Missionária.
Estudos provam que no geral cada crente brasileiro tem aportado R$ 12.00 (doze reais) por ano para as Missões, um realzinho ao mês. Meu Deus R$ 1.00 Real por mês, não alcança nem comprar uma latinha de Coca-Cola!
O Senhor Jesus nos entregou a tarefa de fazer discípulos em todo o mundo, através de Missões, já passaram mais de 2.000 anos e a tarefa está Inacabada, Incompleta, vamos reverter esse tema amados?
O número de Pastores que enviam Missionários e sustentam com recursos da igreja local é muito pequeno. Poderia contar aqui as cidades do Brasil que fazem Missões com recursos próprios.
Não estamos a favor do estilo que alguns têm adotado de fazer Sócios Contribuintes de todos os Estados brasileiros para poder fazer Missões. Depois tem que juntar estas multidões em Congressos. Se cada pessoa que viajasse de ônibus, automóvel ou até mesmo de avião para um congresso desses aplicasse o dinheiro das passagens, da roupa que compra para a viagem, da hospedagem, da alimentação e das ofertas extras que entregam, dariam para sustentar centenas de Missionários vários meses no Campo.
Outros vendo o movimento todo que acontecem nestas instituições terceirizadas de Missões tratam de imitar de criar um evento na sua pequena cidade, ou na sua pequena igreja, sem ter Missionários no campo, sem ter experiência com o tema, lá vai mais um monte de semente jogado fora.
Aqueles Congressos de Missões, que muito pouco tem de Missões, os temas dos pregadores são verdadeiras exibições de conhecimento, revelações de novidades e não propriamente dito sobre Missões. Tem um vírus da opulência contaminando os pregadores que antes tinha unção, agora só tem técnica. Antes falava com autoridade agora só ensurdecem com gritos.
Como gostaria que esse tipo de locução esnobe terminasse e que nos Congressos de Missões fossem colocados Missionários para pregar, para contar as necessidades dos países onde estão atuando. Vamos lá Missionário, prepara-te precisamos acabar com esse mercado de estrelas.
Sempre procuramos nos atualizar com os Números Missionários, do que ainda esta faltando para fazer como as Missões. Assim descobrimos que existem 24.000 povos no mundo e ainda faltam 6.800 povos para serem alcançados. No Amazonas brasileiro há 33.000 povoados pequenos dos ribeirinhos que precisam ser evangelizados e 250 tribos indígenas.
Sabe quantos idiomas existem no mundo? Quantos deles têm na sua Bíblia própria? Existem no mundo 6.909 línguas e 2.432 delas ainda não têm nada de Bíblia. Precisaria Deus levantar 2.432 Missionários Tradutores muito bem preparados para traduzir Bíblias para os idiomas que ainda não tem sua Bíblia. Mas, com este tema de Tradução nos deparamos com outro problema, a grande maioria dos missionários não gostam de escrever, como se dedicaria a transcrever a Bíblia em outro idioma? Primeiro, os Missionários teriam que viver no meio do povo, da tribo, ter bastantes recursos para a tradução, digitação e logo levar para a gráfica. Missionários Tradutores tem que ter facilidade de aprender o novo idioma ou dialeto para poder traduzir a Bíblia.
Morrem todos os dias 85.000 pessoas sem nunca terem ouvido nada de Cristo. Sabe que significa 85 mil pessoas por dia? Seria como morrer todos os habitantes de algumas destas cidades que tem 85 mil habitantes no Brasil, tais como: Itanhaém (SP) Itabaiana (SE) Jataí (GO) Campo Mourão (PR) Patrocínio (MG) Manacapuru (AM) Itaúna (MG) São João del Rei (MG) Santana do Livramento (RS) Você que conhece estas cidades calcula ai o tamanho da sua cidade desaparecendo diariamente.
Outros números que deveria apavorar todos os crentes são os 500.000.000 (quinhentos milhões) de chineses que nunca ouviram nem o nome de Cristo. Quando vamos alcançar as 600 mil cidades e vilas da Índia 500 mil delas não possui um obreiro cristão. Ei! Deus não está te chamando para ir para lá? Não acha que está muito boa a tua vida ai no Brasil? Por que não aumenta a fila dos que estão lutando já pela salvação dos povos?
A igreja brasileira ficou jactanciosa, se gaba muito de ser a 3ª maior igreja do mundo com mais de 300 mil templos. Trezentos mil templos, e nem 1% deles estão fazendo Missões.
No Amazonas se constrói um templo a cada sete dias, ou seja, 52 templos por ano é o lugar que mais cresce no Brasil e para lá também se precisa de milhares de Missionários. Onde estão eles? Muitos estão como diz o Hino Nacional: “Deitado eternamente em berço esplêndido”.
E agora a moda é construir templos ecológicos, templos com capacidades gigantescas para comportar todos os seguidores de Cristo. Alguns templos estão cheio de pessoas vazias, outros templos nada fazem por Missões.
Sabe quantas pessoas precisam para sustentar um Missionário na Janela 10-40? 100 mil crentes para sustentar um missionário dentro da Janela 10-40 e que investe em média R$ 1,30 por pessoa, por ano, para Missões Transculturais.
Deveríamos fazer uma Reforma Missionária no Brasil. Cada igreja com 100 crentes deveria ter um Missionário enviado e dignamente sustentado.
Deveríamos construir 10% de Templos de cada cidade do Brasil, construir no Exterior. Ou seja, numa cidade que tenha 50 templos próprios construídos, deveria construir 5 templos no exterior.
Imagine agora a situação que toca viver os Missionários, pela Fé, pois as igrejas estão apenas preocupadas com as construções de templos, com o sustento dos obreiros integrados e com manter toda a estrutura administrativa: gastos de combustível, comunicação, zeladoria, mobílias do templo, sonorização e outras coisas mais.
Esta é a nossa situação pessoal, precisamos de ajuda, precisamos de pessoas comprometidas e que ame a Obra Missionária, mas que não fique apenas no amor, mas na prática dele.
Queres nos ajudar, aqui colocamos nossa conta para que você possa nos ajudar. Conta corrente 18.491-8 agencia 3078-3 Banco do Brasil.
Por: Pastor Teófilo Karkle

Fonte: Jornal Gospel News

FILME DE R.R SOARES TEM SESSÃO ESPECIAL PARA MÍDIA

Três Histórias, um Destino terá avant premiere em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba neste mês de novembro.
Inspirado no livro do missionário R.R Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus, o longa Três Histórias, um Destino terá uma sessão especial nesta quarta e quinta-feira, dias 24 e 25, para convidados e mídia para Curitiba (PR) e Rio de Janeiro. O filme estreia em circuito nacional no dia 02 de novembro e será exibido em salas de cinema do país. Os interessados devem confirmar até dia 23 por email contato@treshistoriasumdestino.com.br. Informações pelo telefone (21) 30775186 ou (11) 32531543
O longa “Três Histórias, Um Destino” conta história de três personagens: Frank, Jeremias e Elizabeth, um bem diferente do outro, mas que se veem em meio a dilemas. Frank é um dedicado líder religioso que se torna obcecado pelo poder e pela ambição desenfreada. O que falará mais alto: o lado espiritual ou a vida material?  Jeremias é fruto de uma família desestruturada que aprende na “escola das ruas” a se virar sozinho. Só um milagre poderá salvá-lo de um futuro trágico.  Elizabeth foi educada por uma mãe superprotetora, mas, ao conhecer seu grande amor, experimenta, pela primeira vez, a liberdade para a qual não estava preparada.
A trama foi gravada no estado de Carolina do Norte, nos Estados Unidos, através de uma parceria entre a Graça Filmes e Uptone Pictures. Com o objetivo de transmitir a mensagem de Cristo por meio do filme, a Graça Filmes vai investir na divulgação e conta com o público para levar uma pessoa não evangélica para o cinema.O clipe da canção-tema do filme tem a participação do cantor Thalles, que também assina a letra da música junto com o Missionário R. R. Soares.
PRÉ LANÇAMENTO – RIO DE JANEIRO
24 de Outubro 2012
UCI New York City – Av. Das Américas, 5000, Barra da Tijuca
PRÉ LANÇAMENTO – CURITIBA
25 de outubro 2012
UCI Shopping Estação – Rua Sete de Setembro, 2775, Rebouças
Por: EBF COMUNICAÇÕES

Fonte: Jornal Gospel News

Porque devemos nos importar com a Igreja Perseguida

Recentemente recebi uma ligação de um pastor amigo. Na ocasião, me pedia para redigir um texto que elencasse alguns motivos pelos quais a Igreja Livre deveria ajudar a missão Portas Abertas, e, por conseguinte, a Igreja Perseguida.

Não diferindo do costumeiro, fui a Cristo para que me ajudasse a tornar claro na mente dos leitores a mensagem central desta ajuda. Existem motivos sérios e vários para que nos importemos com esta causa, mas, neste texto, pretendo me focar em um único motivo, o que julgo ser a pedra fundamental do prédio de nosso envolvimento.

Embora hoje, 97% dos cristãos da Igreja Livre desconheçam a existência de uma Igreja Perseguida, penso que este, não pode e não deva ser, o motivo principal de nossas contribuições.

A janela 10×40 é habitada por cerca de 3,2 bilhões de pessoas. Número alarmante e expressivo, cerca da metade da humanidade vive em uma região hostil a mensagem do Evangelho. Mas, ainda que este número assuste, ele não pode ser o motivo principal pelo qual a Igreja Livre deva se importar com a causa da Igreja Perseguida.

Neste complexo cenário político e social, vivem cerca de 100.000.000 de cristãos. Muitos destes irmãos estão presos, destituídos de suas posses, afastados de suas famílias ou aguardando sua sentença de morte. O que é uma realidade que nos faz pensar a respeito de como temos vivido em Cristo, mas este motivo, ainda que brutal, não pode ser o foco quando dobramos nossos joelhos por esta nobre causa.

De cada 100 missionários que enviamos, apenas 1 é designado para esta vasta região. 1% de nossos esforços de evangelismo estão sendo empregados na Igreja Perseguida. De cada R$ 1,00 que entra em nossas salvas, apenas R$ 0,01 é destinado à 10×40. E isso digo de toda a igreja livre do Ocidente. Um por cento, senhores! Isso me causa vergonha, me entristece profundamente, mas, em nome de Cristo, este não é o motivo fundamental para que busquemos mais conhecimento a respeito desta região do mundo.

(…)

A esta altura do texto, imagino que os senhores estejam ansiosos por saber o motivo principal pelo qual, devemos nos mover à Igreja Perseguida. O que é um questionamento justo que respondo “Sola Scriptura”:

“Ora, assim como o corpo é uma unidade, embora tenha muitos membros, e todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo, assim também com respeito a Cristo. … Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele.”
1 Coríntios 12:12,26

Senhores, 1 Coríntios 12 nos alerta de forma inegável que há um só Corpo. E se este corpo, na parte da 10×40 está com dores, estas dores são nossas dores também! O motivo principal pelo qual devemos contribuir, ir, orar e buscar conhecer mais a respeito da Igreja Perseguida é que a “Igreja Perseguida” somos nós!

O corpo de Cristo está sentindo dores e se nós não conseguirmos sentir estas dores, devemos considerar a terrível possibilidade de não estarmos ligados e este corpo.

Devemos, sobretudo, nos importar com a Igreja Perseguida, pois o Senhor nos manda fazê-lo, e aqui, quero fechar com as palavras de Maria, mulher escolhida por Deus para receber em seu ventre nosso glorioso Salvador: “Fazei tudo quanto ele vos disser” João 2:5b

Em Cristo, vosso servo e correspondente da missão Portas Abertas,
William Pamplona

https://www.facebook.com/umcomeles
https://www.facebook.com/50diasdeclamor