Gospel Fair é lançada oficialmente com Coquetel em Goiânia

Paulo Bueno_Abracoaching_ClaudineiFranzini_MauricioPaes_ApostoloSinomar_Jeferson BaickNa sexta-feira (13/12) foi lançada oficialmente a Gospel Fair 2014. O coquetel de lançamento aconteceu no Teatro João Alves de Queiroz com a presença de autoridades, empresários, pastores, músicos e imprensa local.

Dirigida por Reginaldo Antônio Ferreira Moreira (Apresentador na Sara Brasil FM – GO), a cerimônia de lançamento foi aberta com um vídeo institucional sobre a feira ressaltando o público potencial da região do Centro-Oeste com ênfase em Goiânia. Grandes eventos realizados na cidade com destaque nacional foram citados assim como a presença de algumas das maiores Igrejas do Brasil, (Videira, Fonte da Vida, Luz Para Os Povos entre outras) terem suas sedes na região.

Maurício Paes (Som Livre) foi o convidado para participação musical no evento de lançamento. O cantor que é ex-integrante do Ministério Toque no Altar apresentou as músicas “Sou Monitorado”, “Família Debaixo da Graça” e “Tua Graça Me Basta”,canção que Davi Sacer fez em parceria com Luiz Arcanjo.

No palco, foi dado o start para as palestras. Os convidados da noite foram: Apóstolo Sinomar Silveira, Claudinei Franzini, Paulo Bento eJeferson Baick.

Iniciando a rodada, Jeferson Baick, diretor da Spock Promoções, empresa que idealizou e organiza a Gospel Fair 2014, apresentou aos convidados um panorama sobre a Feira que terá quatro dias de realização com aproximadamente 140 estandes e três noites de show com artistas nacionais de vários gêneros musicais.

O devocional da noite foi ministrado pelo apóstoloSinomar Silveira, líder do Ministério Internacional Luz Para os Povos e do Conselho De Pastores do Estado de Goiás. O apóstolo ressaltou sobre o potencial que o povo evangélicotem e que precisa ser reconhecido para desenvolver em unidade estratégias de posicionamento na sociedade. Ele citou entre vários pontos, a utilização das Redes Sociais para o evangelismo, o projeto de conquista da cidade de Goiânia para Jesus em 5 anos e desafiou os convidados para apoiarem e divulgarem em suas respectivas comunidades sobre a Gospel Fair.

Claudinei Franzini (Rádio Trans Mundial) falou sobre o cenário mercadológico e ministerial atual e da importância de buscarmos o equilíbrio destes dois pontos para alcançarmos o nosso objetivo maior, servir a Cristo difundindo o verdadeiro evangelho. Durante sua citação foram apresentados diversos dados comprovando a necessidade de uma atuação mais eficaz e profissional dos players do mercado Cristão Evangélico e da necessidade de parcerias solidas e qualificadas para mudarmos o nosso quadro atual.

Fechando a parte de palestras, Paulo Bento, Master Coach e presidente nacional da ABRACOACHING, trouxe uma palavra a respeito das potencialidades que podemos explorar para as realizações e organização da vida em qualquer área de atuação.

O evento foi finalizado com uma oração dirigida pelo apóstolo Sinomar Silveira.

Acompanhe outras informações sobre a feira pelo www.gospelfair.com.br

‘Pra quê existe a ANAJURE?’ – No dia do aniversário da associação, seu presidente fala sobre o primeiro ano da entidade.

Anajure-1ano-3Há um ano, em 29/11/2012, nascia a Associação Nacional de Juristas Evangélicos, em Brasília, numa solenidade realizada no Congresso Nacional. Porém, há muito tempo existia o anseio no coração de vários juristas cristãos brasileiros por criar e atuar em um grupo que pudesse trabalhar unido num só ideal: ‘Defender as Liberdades Civis fundamentais no Brasil e no mundo sob a égide de uma perspectiva judaico-cristã, que ao longo da História foi base de leis e diretrizes em várias nações, mas que hoje está ameaçada por movimentos pró-gay, pró-aborto, pró-legalização da prostituição, que nas suas essências são puramente anticristãos.’ E se analisarmos melhor, veremos que tais movimentos são, em verdade, anti-humanos.

Atualmente, a ANAJURE está firmada em quase todos os Estados brasileiros e tem em suas filiações cerca de 200 juristas, tendo entre esses vários juízes, desembargadores, professores universitários, promotores, procuradores da república, defensores públicos, auditores, estudantes de direito, e etc., que buscam, juntos, promover as liberdades civis fundamentais em nosso país. Além disto, a ANAJURE alcançou em apenas um ano de existência grandes parcerias internacionais.

Veja mais detalhes sobre a ANAJURE na entrevista com seu presidente, Dr.Uziel Santana.

ANAJURE – Neste primeiro ano, quais foram os maiores desafios da associação?

Dr. Uziel Santana – [Foi um primeiro ano de muitas lutas, mas também de muitas vitórias, seja no plano nacional, seja no plano internacional. Mas um dos maiores desafios que enfrentamos, certamente, foi aprendermos a lidar com um país com tantos problemas para um livre e efetivo exercício das liberdades civis fundamentais dos seus cidadãos e instituições – especialmente nesse contexto de Governo radicalmente à esquerda. Tal desafio é ainda mais potencializado pelo fato de vivermos, dentro do evangelicalismo brasileiro, uma série crise que muito mais que teológica é também ética e de conhecimento sobre como atuar no atual contexto da sociedade pós-moral em que vivemos. Neste sentido, a ANAJURE tem tentado, por exemplo, ajudar a que nossos líderes e evangélicos em geral entendam que não podemos entrar no mesmo clima de guerra e de hate speech (discurso de ódio) que caracteriza os chamados movimentos sociais anticristãos. Precisamos ser sal e luz na medida certa e esta medida, segundo o evangelho, indubitavelmente, é o amor. Precisamos ter bem claro na nossa ação política e jurídica que a nossa luta não é contra pessoas, como tem acontecido recorrentemente em certos setores do evangelicalismo brasileiro.]

A – No Brasil, perseguição e oposição aos valores cristãos é algo que tem se tornado cada dia mais forte, sobretudo em nossas leis, ou projetos de leis, ou mesmo políticas públicas governamentais. Como a ANAJURE trabalha neste sentido?

US – [Nossa experiência pretérita desde 2007, muito tem nos ajudado neste processo de análise e ação institucional. Hoje temos um sistema pronto e consolidado de ação, sempre baseado no nosso trabalho prima facie  de inteligência e estratégia. Por isso mesmo, por um lado, atuamos preventivamente, antecipando fatos e apresentando-os aos líderes e instituições eclesiásticas que trabalham e cooperam conosco, a fim de que a Igreja possa dar uma resposta equilibrada às demandas que surgem. Do mesmo modo, nosso trabalho, neste enfrentamento cultural, político e jurídico, também é ostensivo, através de interpelações administrativas – como temos feito com demandas internacionais, ao nos dirigirmos a embaixadores e representações diplomáticas no nosso país; como temos feito com as questões indígenas, com as questões educacionais, ligadas ao aborto, e etc. – e, quando é o caso, com interpelações judiciais, como estamos fazendo em casos sob sigilo. Assim também, nossos pareceres jurídicos em diversas situações jurídico-políticas, como o da Resolução do Conselho Nacional de Justiça no caso das uniões homossexuais, tem servido de base para a doutrina jurídica do nosso país a fim de mostrarmos que há um movimento de resistência, frente a esta onda de desconstrução do ethos judaico-cristão. O nosso parecer neste caso foi republicado nas mais importantes revistas e sites do meio jurídico secular e bastante elogiado no meio jurídico nacional. Certamente temos muito a avançar nas nossas ações e por isso mesmo temos vários projetos em andamento que, no tempo certo, poderemos anunciar.]

A – Sabemos que a ANAJURE tem uma firme atuação internacional. Como foi a entrada da associação no caso dos missionários brasileiros presos no Senegal e como está a situação deles hoje?

US – [Desde a nossa participação na Annual Consultation da RLP – Religious Liberty Partnership – em março, em Istambul na Turquia, nós temos tido o privilégio e a honra de servir aos irmãos e irmãs da igreja perseguida. Hoje nós somos membros plenos da RLP – que é o maior conglomerado de entidades cristãs em defesa da igreja perseguida, entre elas Open Doors International – e temos cooperado sempre com os nossos vários parceiros e conveniados de todo o mundo, em especial, com a Christian Solidarity Worldwide, com Advocates International, Middle East Concern e a Alliance Defending Freedom. São muitas demandas inclusive, tanto em matéria de liberdade religiosa, como nos casos do nosso programa de refugiados (o ANAJURE Relocation). Estamos trabalhando para poder cooperar ainda mais com eles em 2014. No caso dos missionários do Senegal, atendemos o pedido da presidência de uma das denominações que trabalham em aliança conosco, a Igreja Presbiteriana do Brasil e agimos localmente através dos nossos aliados da Advocates International. A situação lá permanece inalterada em termos jurídico-processuais. Quanto ao mais, por entendimento com a APMT (Agência Presbiteriana de Missões Transculturais), nós estamos mantendo sigilo para ao final de tudo podermos fazer um relatório completo em conjunto.]

A – Sabemos também que a ANAJURE tem tido uma forte atuação na América Latina, em especial, junto a FIAJC – Federación Inter Americana de Juristas Cristianos. Fale-nos um pouco sobre esta atuação.

US – [Realmente, graças a Deus, temos tido a honra de também cooperar com nossos parceiros na FIAJC. A FIAJC – antiga RLAAC – foi constituída juridicamente (apesar de ter uma história de mais de dez anos informalmente) em maio deste ano numa cerimônia no Congresso Nacional uruguaio, em Montevideo, quando estivemos presente. A ANAJURE por isso é membro fundadora da FIAJC e nós temos tido a honra de ter sido eleito pelos nossos irmãos e irmãs latino-americanos como presidente do Conselho Fiscal da entidade na eleição que aconteceu, ato contínuo, na X CLAC (X Convenção Latino Americana de Juristas Cristãos), ocorrida em Buenos Aires. O foco da FIAJC é o mesmo da ANAJURE: defesa das liberdades civis fundamentais e apoio à igreja. Temos, por isso mesmo, atuado em situações como a do aborto no Uruguai, e em alguns casos de liberdade religiosa. Ainda em termos de América Latina, temos trabalhado conjunta e fortemente com a CSW (Christian Solidarity Worldwide) no caso de Cuba. Temos tido uma atenção especial com este país porque, como tem sido noticiado pela ANAJURE, com a saída de Fidel Castro do poder, inexplicavelmente, as medidas contra a liberdade religiosa aumentaram significativamente. Esses são alguns exemplos.]

A – Como a ANAJURE tem trabalhado no suporte à igreja brasileira?

US – [Além do que já explicamos acima, a ANAJURE hoje atua em parceria e convênios com as denominações e igrejas históricas do país. Temos todo um trabalho de inteligência e estratégia neste sentido com os principais líderes denominacionais do país. Além disso, temos o nosso PAD – Programa de Apoio Denominacional, a partir do qual temos apoiado localmente denominações, igrejas e instituições eclesiásticas, no sentido de prepará-las para o bom exercício dos seus direitos constitucionais e infraconstitucionais. O retorno dos líderes tem sido motivante para o nosso trabalho, porque foi para isso que nasceu a ANAJURE. Hoje, graças a Deus e com muito esforço, suor e lágrimas do nosso staff de juristas, temos a confiança e o respaldo necessários para avançar ainda mais em 2014. Através do PAD, vamos continuar a capacitar igrejas e líderes em geral para que saibam se mover nesta sociedade pós-moral cristã em que vivemos.]

A – Quais os planos da associação para 2014 com relação ao jornalismo voltado para a Igreja Perseguida no mundo?

US – [Depois de muito esforço e trabalho da nossa equipe de comunicação neste ano, finalmente, vamos colocar em prática um projeto que reputo ser muito importante para a igreja evangélica no Brasil e na América Latina. Trata-se da ANAJURE Press, a agência de notícias da ANAJURE para o Brasil e América Latina. Será um portal de conteúdos escrito, em áudio e vídeo, com tradução simultânea em português, espanhol e inglês, elaborado por nossa equipe de jornalismo local e por nossos correspondentes internacionais. O objetivo da ANAJURE Press é trazer conteúdo informativo sobre liberdades civis fundamentais, notícias pró-vida e pró-família, sem sensacionalismos e com veracidade. Para isso, estamos neste momento de preparação celebrando convênios de cooperação com todas as nossas parceiras internacionais da RLP e FIJAC, assim como com outras entidades ligadas ao periodismo latino-americano. É um projeto que tem nos empolgado bastante e com fé em Deus no início de 2014 estaremos apresentando à sociedade e à igreja em geral.]

A – Quais são os projetos da ANAJURE no âmbito acadêmico?

US – [O programa do Blackstone, em parceria com a ADF, foi um divisor de águas este ano. A ANAJURE estará enviando em 2014 alguns estudantes nossos para participar de programas top de formação em Direito sob uma cosmovisão cristã. Fruto desta parceria inicial com a ADF, já começamos o entendimento para a partir dos próximos anos, realizarmos no Brasil, também em convenio com outras parceiras nossas (Universidade Mackenzie, Metodista e UniEvangélica) cursos de formação continuada para nossos juristas. Nossos membros do Poder Judiciário e Ministério Público, por exemplo, tem nos requisitado neste sentido. Por isso, nosso Diretor de Assuntos Acadêmicos, Dr. Valmir Nascimento, já começou a desenvolver este projeto a fim de implementarmos o quanto antes. Temos os parceiros e o público. Agora é o momento da realização.]

A – Quais sãos os próximos eventos nacionais da ANAJURE?

US – [Com a graça de Deus, no mês de março, em Brasília, estaremos realizando o 1º Congresso Internacional sobre Liberdade Religiosa, Liberdade de Expressão e Objeção de Consciência. Já temos vários palestrantes confirmados, entre eles, o Dr. Thomas Schiirmacher (Alemanha), um dos maiores especialistas na temática da liberdade religiosa no mundo, sendo inclusive, conselheiro da primeira ministra alemã Angela Merkel nesses assuntos. Por graça de Deus, o Dr. Thomas também é membro do Conselho Consultivo da ANAJURE. Nas próximas semanas, estaremos fazendo a divulgação completa deste importante congresso. Também, em agosto, em Cuiabá, já confirmado, vamos realizar a segunda edição do ENAJURE – Encontro Nacional de Juristas Evangélicos. O Dr. Jossy Soares, Coordenador da ANAJURE no Mato Grosso, está fazendo um grande trabalho neste sentido e a expectativa é muito grande porque neste evento pela primeira vez vamos estar com todos os diretores nacionais e coordenadores estaduais trabalhando e planejando mais ações para a nossa entidade.]

A – Quem pode se filiar à ANAJURE?

US – [A ANAJURE é aberta para todos aqueles juristas cristãos que amam ao Senhor Jesus e que, por assim ser, tem testemunho público disso. Entre nós temos membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Universidades, da OAB, Defensorias, Polícias, estudantes e etc. Começamos o ano com menos de 30 e hoje somos mais de 200, graças a Deus. Temos tido muito trabalho, mas Deus tem sido fiel. É bem verdade que hoje somos mais criteriosos na admissão do que fomos no início, quando recebemos centenas de pedidos. Mas como temos um perfil de jurista que é técnico-jurídico, estratégico e de responsabilidade e comprometimento com o que fala e como age, então, pretendemos crescer, pouco a pouco, com qualidade e unidade de posição e pensamento.]

A – Por fim – ‘Pra quê existe a ANAJURE?’

US – [A ANAJURE existe para, como dissemos antes, defender e promover as liberdades civis fundamentais de todos os cidadãos da República Federativa do Brasil. Não só dos cristãos, é bom que se frise. Cremos que o evangelho de Cristo e nem seus valores, são impositivos a ninguém. Nossa luta é para que o Brasil seja um país onde a liberdade religiosa, a liberdade de expressão e de pensamento sejam plenas, sempre sob o fulcro dos valores éticos naturais e universais que compreendemos a partir da Palavra de Deus. A ANAJURE existe para apoiar a Igreja evangélica neste momento difícil em que vivemos, no qual a nossa liberdade religiosa de fato tem sido objeto de mitigação por parte do atual governo. Por isso mesmo temos trabalho em parceria com denominações, igrejas e entidades cristãs em geral. São várias ações ostensivas e de bastidores que nos motivam a seguir adiante. A ANAJURE existe para apoiar a igreja perseguida no mundo, como temos tentado fazer nas mais diversas situações, como no caso do nosso programa de refugiados, o ANAJURE Relocation. Agora, por outro lado, a ANAJURE não existe para esconder e apoiar os erros dos nossos líderes e pastores, quando cometem escândalos, ou para esconder os desmandos e casos de corrupção que acontecem, infelizmente, com vários parlamentares que se afirmam evangélicos. Assim também, a ANAJURE não existe para fomentar ou apoiar certo ativismo social “evangélico” que classificamos como “slacktivism” – ativismo de sofá – onde o dito defensor da igreja se esconde atrás de um computador para promover discurso de ódio contra pessoas, inclusive contra os da mesma fé que esses tais se propõem a defender. Esses não têm compromisso com a verdade, nem com a realidade, porque não a conhecem. Preferem a comodidade da sombra, porque não prestam contas a ninguém dos seus atos. Esses não têm reputação a zelar, porque não tem vida em público. Notadamente, são pessoas que são usadas por outros e que se deixam usar. A ANAJURE não existe para esses, nem os apóia, mesmo se autodeclarando evangélicos. Ao contrário, apoiamos os mecanismos do Estado Democrático de Direito para coibir este tipo de atitude que nada condiz com o testemunho público de um cristão. Por fim, a ANAJURE não existe para esses vários meninos e meninas que apareceram agora como pretensos defensores do evangelho, gritando e proclamando uma espécie de guerra santa ou MMA evangélico, com o simples objetivo de alavancar suas meteóricas carreiras políticas, como se Cristo dependesse deles para que as portas do inferno não prevaleçam contra a Igreja. Nesses casos, a gente se lembra da Palavra, quando nos ensina: a humildade precede a honra e a soberba, a queda. Para esses, de fato, a ANAJURE não existe, e não serve, porque não compactuamos com tais atitudes. Por fim, a ANAJURE serve para glorificar a Cristo, edificar a Sua igreja e proclamar e defender os valores do Seu reino, de uma forma simples, mas contundente e inteligente. Assim o tentamos todos os dias, apesar das nossas fraquezas e defeitos. Certamente, Ele nos tem assistido em tudo. Para os nossos juristas, minha palavra de agradecimento e reflexão é a de Miquéias 6:8: ‘tudo o que o Senhor pede de nós é tão-somente que pratiquemos a justiça, amemos a benignidade, e andemos humildemente com o Senhor nosso Deus.’]

_________________________________
Por: ANAJURE l Press Officer – Wanda Galvão

David Quinlan recebe Título de Cidadão Natalense

david (1)No último sábado (07), o cantor David Quinlan participou do encerramento do Alterna Vida 2013, em Natal, um evento cristão que contou com a presença de aproximadamente 20 mil pessoas por dia, desde sua abertura, que aconteceu na quinta-feira (05).

Em encontro que antecedeu o evento, David Quinlan recebeu o título de Cidadão Natalense, que foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Natal. “Fiquei muito lisonjeado com esta homenagem. Agradeço a Deus por ter ganhado o título, mas a honra e a glória pertencem a Ele. Afinal, se não fosse o Senhor na minha vida nunca ganharia nada disto”, afirmou o cantor.

O título, segundo a assessoria do vereador, é conferido a personalidades que favoreceram socialmente a região. Durante toda sua carreira, David Quinlan participou de grandes eventos em Natal, propagando o evangelho e levando o público a uma concepção de vida baseada em princípios cristãos.

Por: Priscila Souza

Assessoria de Imprensa David Quinlan

Você já ouviu falar sobre a SEPAL?

Sepal, Capacitação, Ilaene Schüler, Líderes Cristãos-Fe-em-JesusSaiba mais a respeito da instituição que tem mais de 100 missionários no Brasil e em outros 10 países

 A Sepal (Servindo Pastores e Líderes) é uma instituição cristã que está no Brasil desde 1963. Ligada à rede Aliança Global (OC), mobiliza pastores e líderes de diferentes igrejas evangélicas para que, juntos, possam levar o Evangelho às nações.

Para que essa meta seja cumprida, é realizado um trabalho muito especial e diferenciado, que consiste em quatro áreas principais, sendo elas:

Pesquisa (sobre o mundo e suas culturas, os programas de treinamento missionário no Brasil, entre outros);

Motivação (pastoreio de casais visando à saúde ministerial, espiritual e emocional);

Capacitação (de líderes e igrejas, através de eventos, consultoria e congressos); e

Mobilização (recrutamento de novos missionários para o Brasil e Mundo).

Além disso, a Sepal disponibiliza agora a Pesquisa Sociológica: um recurso que objetiva a produção de informações sobre as reais dimensões de cada cidade (física, urbana, econômica, social, política, religiosa) para auxiliar os pastores na sua missão.

Atualmente, a organização tem 111 missionários (85 no Brasil e 26 em outros 10 países), como Rubens Luz, que tem um lindo trabalho de plantação de igrejas em Portugal; e Elissandra Leão, que criou um Treinamento para Aconselhamento Cristão no nordeste brasileiro.

Os projetos Sepal alcançam diretamente 200 mil pastores por ano, de 100 diferentes denominações. A instituição também conta com um portal (www.sepal.org.br), que recebe a visita de 350 mil usuários por mês.

 Saiba mais:

www.sepal.org.br
www.facebook.com/MissaoSepal
www.twitter.com/missao_sepal

FERNANDA FOFONCA
ASSESSORA DE IMPRENSA
 

Jogador brasileiro abre igreja evangélica nos Emirados Árabes

o_20111008155332_vasco_tambem_estaria_de_olho_no_atacante_ricardo_oliveiraO jogador Ricardo Oliveira, 33 anos, está jogando em Abu-Dhabi, nos Emirados Árabes, defendendo o time de Al-Jazira. Eleito como o melhor jogador do país nas últimas temporadas ele tem recusado ofertas para voltar ao Brasil por ter outros planos: seguir como pastor nos Emirados.

Membro da Assembleia de Deus desde 1999, Ricardo se tornou pastor em 2008 e quando se mudou para Abu-Dhabi passou a reunir algumas pessoas. “Os cultos começaram no hotel, mas o grupo cresceu e conseguimos uma área para fazer os cultos”, disse ele ao portal UOL Esportes.

Hoje a igreja nos Emirados tem cerca de 100 pessoas que semanalmente participam dos cultos. Além desse compromisso, Ricardo tem interesse em ficar no país para virar dirigente de futebol e impulsionar o esporte.

“Ser pastor não é uma profissão, é um chamado de Deus. Você aceita e se dedica. Eu me converti em meados de 1999. E em 2008, fui consagrado pastor pela Assembleia de Deus. Vim para cá, passaram-se alguns anos e eu via a necessidade de uma igreja brasileira aqui”, disse ele.

Zé Roberto planeja se tornar pastor após aposentadoria

O atleta esteve recentemente pregando para mais de 3000 jovens em Porto Alegre

 

Zé Roberto planeja se tornar pastor após aposentadoria

No dia 1º de novembro o jogador Zé Roberto, 40 anos, teve a oportunidade de ministrar a Palavra de Deus para cerca de 3.000 jovens na Igreja Evangélica Encontros de Fé em Porto Alegre (RS).

Durante o culto o jogador do Grêmio teve a oportunidade de dividir histórias de sua vida, incluindo os problemas financeiros da infância e as dificuldades no mundo do futebol.

A experiência foi positiva para o atleta que agora pretende estudar teologia e se tornar pastor assim que se aposentar dos gramados.

“Quando eu parar de jogar, pretendo estudar teologia e me preparar bem. Foi bom conversar com estes jovens. A gente sente que eles estão carentes de bons exemplos”, disse ele para o Blog do Boleiro, no Terra.

O convite para que Zé Roberto ministrasse na igreja partiu do pastor Isaias Figueiró que ficou satisfeito com a forma como o jogador conseguiu prender a atenção dos jovens.

“Foi um evento especial”, disse o responsável pela Igreja Encontros de Fé. Figueiró disse que durante o culto Zé Roberto “colocou que tem muita satisfação, ainda com 40 anos, de ter saúde e poder contribuir para um time de grande expressão” como é o Grêmio.

por Leiliane Roberta Lopes

Fonte: Gospel Prime

Teen Connections: um projeto cultural da SBB para conectar o jovem com Deus e com a Bíblia Sagrada

images (7)Além de se dedicar ao estudo das Sagradas Escrituras, grupo será alvo de programação turística. A viagem-piloto será para Orlando, Estados Unidos, incluindo visita ao Holy Land Experience, que tem a Bíblia como tema, além dos famosos parques temáticos da região.

 

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), por meio do Ministério com Brasileiros, está lançando o projeto “Teen Connections”, especialmente desenvolvido para adolescentes com até 18 anos de idade. Seu objetivo é conectar a nova geração com Deus, oferecendo programações interativas e adequadas ao perfil desse público. Para isso, é baseado em pacotes de viagens que promovem o intercâmbio de jovens com diferentes culturas, mas especialmente com o universo da Bíblia Sagrada.

 

O projeto-piloto será voltado a jovens brasileiros e prevê uma viagem de nove dias tendo como destino a cidade de Orlando, na Flórida (EUA). Desenvolvido em parceria com a agência Universal Travel, a programação acontecerá entre os dias 25 de fevereiro e 5 de março de 2014, período do Carnaval, e mescla palestras sobre a Bíblia e visita ao The Holy Land Experience, parque temático sobre o Livro Sagrado, com visitas aos principais parques da região.

 

“Numa programação dinâmica e criativa, os adolescentes terão, ao mesmo tempo, o aprendizado das Sagradas Escrituras e diversão”, sintetiza o gerente do Ministério com Brasileiros, Lécio Dornas.

 

Os adolescentes receberão um kit contendo bolsa, camiseta, edição da Bíblia de Estudos, bloco de anotações e caneta, além de um diploma, que será entregue ao final do programa. Parte da arrecadação obtida com o programa será doada à Causa da Bíblia.

 

O pacote pode ser adquirido a partir de US$ 2.870,00 por pessoa, em acomodação quádrupla. Mais informações podem ser obtidas com a Universal Travel (e-mail:info@universaltravel.com.br, site: www.universaltravel.com.br, telefones: (21) 3958-0818 e (11) 3711-9174).

 

Serviço

Ø   Projeto Teen Connections

Data da viagem-piloto: de 26 de fevereiro de 2014 a 5 de março de 2014 (somente para adolescentes até 18 anos)
Investimento: a partir de US$ 
2.870,00, em acomodação quádrupla (Parte desse valor será doado para a Causa da Bíblia no Brasil)

Inscrições: (21) 3958-0818 ou (11) 3711-9174 / info@universaltravel.com.br / www.universaltravel.com.br

 

 

SBB e o Ministério Brasileiro – A Sociedade Bíblica do Brasil é uma organização sem fins lucrativos, de natureza filantrópica, assistencial, educativa e cultural. Sua finalidade é traduzir, produzir e distribuir a Bíblia Sagrada, um verdadeiro manual para a vida, que promove o desenvolvimento espiritual, cultural e social do ser humano, provocando, assim, a transformação daquele que com ela entra em contato. Para cumprir a missão de distribuir, de forma relevante, a Bíblia a todas as pessoas desenvolve programas de assistência social em todo o País. Fundada em 1948, construiu sua trajetória com base na missão de “promover a difusão da Bíblia e sua mensagem como instrumento de transformação e desenvolvimento integral do ser humano”.

 

Lançado em 2012, o Ministério Brasileiro é um programa especial da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), em parceria com a Sociedade Bíblica Americana (SBA). Tem por objetivo disponibilizar as Escrituras Sagradas em português para os brasileiros que residem nos Estados Unidos – uma população estimada em 2 milhões de pessoas. Lécio Dornas, escolhido pelas organizações dos dois países para gerenciar o programa, visita as comunidades brasileiras naquele país para verificar as necessidades de Escrituras que devem ser supridas. 

 

Informações para a Imprensa:

Por: Luciana Garbelini

Ânimo! traz palavras de alívio ao sofrimento

SBBA Sociedade Bíblica do Brasil está lançando Ânimo!, um livrete com breves mensagens e reflexões que abordam os sentimentos e conflitos vividos pelo ser humano, oferecendo uma palavra de esperança e alívio em meio ao sofrimento. De autoria da capelã hospitalar Eleny Vassão de Paula Aitken, a publicação contém uma seleção de textos bíblicos, além de orações, que destacam que Deus está sempre presente, especialmente em meio a situações difíceis. E, por meio de sua Palavra, é possível receber ânimo, esperança e força para enfrentar todos os desafios da vida. Com formato prático e texto bíblico na Nova Tradução na Linguagem de Hoje, tem linguagem de fácil compreensão.

 

Recursos

·            Reflexões com passagens bíblicas, que servem de auxílio para momentos difíceis

·           Oração a cada final de capítulo

·           Texto bíblico em destaque

 

 

Descrição do produto

Título: Ânimo!

Categoria: Porção

Código: NTLH580P5

Formato: 9,0 x 15,5 cm

Nº Páginas: 64

Encadernação: brochura ilustrada

Preço: R$ 2,00

 

Informações sobre pontos de venda podem ser obtidas pelo 0800-727-8888

 

Por: Luciana Garbelini

‘Como é ser um Cristão em Cuba?’ – Confira a resposta numa entrevista exclusiva e reveladora com o Pastor cubano Mario Barroso.

O líder cubano está em visita aos EUA atendendo ao convite da CSW para falar sobre Liberdade Religiosa.

cuba 4

Imagem referente à Igreja Batista na Comunidade de Rosalía, onde Pr. Mario pastoreia.

Pr. MarioAutor do blog cubanoconfesante.com e pastor da Igreja Batista em Cuba, Mario Felix Lleonart Barroso está nos Estados Unidos desde setembro para participar de uma série de eventos sobre Liberdade Religiosa agendados pela Christian Solidarity Worldwide (CSW). Em sua estadia nos EUA, o líder cubano apresentou o documento “Trinta questões para o Governo Cubano”, que questiona e confronta o Governo nas situações que envolvem a liberdade de religião e de expressão em Cuba.

Em abril deste ano, a ANAJURE – com base em relatório aprofundado e conclusivo da CSW – denunciou no Brasil os graves problemas que acontecem na Ilha de Cuba no tocante às restrições de liberdade religiosa impostas pelo governo, mesmo com Fidel Castro institucionalmente fora do poder. Tal publicação da ANAJURE inclusive foi objeto de análise e discussão na Câmara dos Deputados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores.

O fato é que o Partido Comunista Cubano, numa forma mais velada de perseguição religiosa aos cristãos, tem buscado, através de todas as formas de cooptação possíveis, apoio político de líderes religiosos para realizar seus intentos, nada democráticos, como se sabe. Porém, normalmente, os líderes não cedem a este tipo de relacionamento que foge aos padrões bíblicos da ética, assim como também aos valores de um Estado Democrático de Direito, o que de fato Cuba não o é. O resultado desta recusa à cooptação é a perseguição violenta a esses mesmos líderes e igrejas, conforme descreve detalhadamente na entrevista o Pr. Mario Barroso.

CUBA 1Condição de uma das estradas de acesso às congregações que o Pr.Mario pastoreia.

Para o presidente da ANAJURE, Dr. Uziel Santana, ‘’o relato do Pr. Barroso é muito ilustrativo e elucidativo da real situação cubana em termos de liberdades civis fundamentais, em especial a liberdade religiosa. Desde nossa publicação de abril, já tínhamos amplo conhecimento disso. O que nos surpreende, por certo, negativamente, é o fato de Open Doors ter retirado Cuba da lista de países que mais perseguem ao cristianismo. Alguma análise precisa ser reconsiderada pelos nossos irmãos e parceiros dessa instituição, porque os dados concretos infelizmente têm nos mostrado uma situação ainda muito difícil. O exemplo do Pr. Barroso é um entre muitos outros. Neste sentido, a ANAJURE estará anos próximos dias oficiando a Portas Abertas Brasil para discutir a questão e ver como podemos ajudar a igreja de Cuba a partir do Brasil, por termos exatamente um governo alinhado, ideologicamente, com o da Ilha. No mais, continuamos a incentivar a igreja a orar pelos nossos irmãos e irmãs que tanto sofrem por amor ao Evangelho de Cristo’’.

Em entrevista à ANAJURE, o Pr. Mario falou sobre as duas missões que ele recebeu de Cristo – DENUNCIAR E ANUNCIAR – e sobre as dificuldades enfrentadas no cotidiano dos cristãos, pedindo aos brasileiros que: “não sejam indiferentes ante o clamor de liberdade de um povo que sofre, e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.”

Confira:

ANAJURE – Como é ser cristão em Cuba, e como é o trabalho que o senhor desenvolve na Igreja Batista?

Mario Barroso – Ser cristão em si já é um grande privilégio. E neste país, onde vivemos num regime totalitário por mais de 50 anos é um privilégio ainda maior, pois apesar das dificuldades os princípios do Reino de Deus se destacam neste tipo de governo opressor.

CUBA 3Devido à necessidade de obreiros, ensino Novo Testamento no Seminário Teológico da Primeira Igreja Batista, na cidade de Santa Clara, e em três filiais do Seminário Teológico Batista de Havana, nas três congregações situadas em Vueltas, Remedios e Cruces. O meu trabalho como pastor batista de duas congregações no centro de Cuba, nas comunidades de Taguayabón e Rosalía, onde há muita limitação e carência econômica, é bastante difícil. Sou um pastor sem carro, sem telefone fixo, sem internet, sem biblioteca onde eu possa conseguir literatura atualizada, e o teto de um dos templos que tem quase dois séculos (o de Taguayabón *na foto acima) está quase caindo. Mas sabemos que vale a pena tentar imitar a Cristo, que também viveu essas tensões e privações num contexto muito parecido, mas sem vacilar.

Além do Evangelho eterno que salva das conseqüências do pecado, nós espalhamos os valores e a ética do Reino de Deus, tão carentes em Cuba. Princípios que não fazem parte, por exemplo, da única educação legalizada da ilha, que é controlada pelo regime. E por assim ser, a educação é desenhada para doutrinar nossas crianças através de um programa educacional totalmente ideologizado e formatado pra semear ateísmo e violência nas mentes.

CUBA 2Cristãos da Comunidade de Taguayabón.

A – Qual o maior desafio da igreja cubana na atualidade?

MB – A igreja cubana enfrenta grandes desafios desde o passado. Nos anos 60, por exemplo, o regime político vigente declarou guerra ao cristianismo, se filiou às doutrinas leninistas, e literalmente declarou que a religião era a coisa mais danosa que podia existir debaixo do céu. O governo colocou ainda muitos cristãos em campos de concentração, denominados de Unidades Militares de Apoyo a la Producción (UMAP). Em 1965, nós batistas vivemos uma das maiores crises da nossa história porque a maioria dos nossos pastores foram presos. Uma das igrejas que pastoreio, a de Taguayabón, durante mais de ano teve um selo em sua porta, após ter todos os seus móveis confiscados. Um juiz chegou ao ponto de declarar ao pastor Luis Manuel González Peña, que na época era líder dos batistas cubanos, que em 30 anos não haveria mais nenhuma igreja em Cuba. O pastor respondeu: – “Senhor magistrado, o Cristianismo existe a quase dois mil anos e nada, e nem ninguém, conseguiu destruí-lo. Em 30 anos teremos o dobro de igrejas em Cuba!”. E assim foi.

Desde a crise na qual caiu o regime nos anos 90, sem o amparo da antiga União Soviética que ajudou Cuba a cometer tantos desatinos, as igrejas se multiplicaram num autêntico avivamento.

Hoje, o debilitado regime político de Cuba está obrigado a buscar pilares sobre os quais possa se apoiar para tentar sobreviver. A mesma igreja que se pretendeu destruir antes, agora se pretende usá-la. O desafio maior para a igreja cubana na atualidade está no fato dela conseguir não escutar as falsas adulações, nem cair nos enganos e chantagens do governo.

Para uma sociedade moralmente desolada, depois de cinco décadas de destruição generalizada, na qual o dano antropológico é grande, uma igreja disposta a condenar os responsáveis e a sarar as vítimas, representa nosso maior desafio.

No meio de comportamentos tão vis, onde o mal age ferozmente, servir a Cristo passa a ser uma grande responsabilidade. Mas quem deseja viver às custas de Cristo encontrará um bom lugar, pois o Regime pede a gritos “sacerdotes e profetas” que segundo o modelo oferecido em Apocalipse 13, entreguem sua boa visão ao poder político e adormeçam a massa.

A – Como tem sido o trabalho do senhor com relação à Liberdade de religião e de expressão em Cuba?

MB – O evangelho de Cristo, nas palavras de Dietrich Bonhoeffer, “libera-nos de tudo o que nos oprime…”. Uma pregação equilibrada das boas novas de Cristo não está separada da defesa das liberdades que todos os seres humanos têm direito.

Embora o regime tenha feitos esforços para me isolar nas comunidades rurais no centro de Cuba, pelas quais tenho muito amor, os púlpitos nos quais proclamo o evangelho e a ética do sermão da montanha estão ganhando mais espaço com o auxílio das novas tecnologias, mesmo com o fato de não possuirmos internet em casa e nos sacrificarmos bastante para tal.

Em novembro de 2010 nasceu o meu blog, cubanoconfesante.com, que completa agora três anos. E em janeiro de 2012 a minha conta no twitter @maritovoz, que logo se uniu ao de minha esposa @yoaxism, aumentou ainda mais o nosso alcance. Esses meios estão sendo usados por Deus para salvar nossas próprias vidas, e também como um meio de Graça, para cumprir a dupla missão que está entranhada em nós que é DENUNCIAR E ANUNCIAR. Sem a ajuda de Deus isto seria humanamente impossível.

O Regime cubano tem resistido em sua maldade com o passar dos anos. Diferente de sua melhor aliada, a Coreia do Norte – a quem não interessa cuidar de sua própria imagem – os que governam Cuba se preocupam com isto, fato que os fazem mais perigosos, porque já não fuzilam abertamente, como ocorre na Coreia. Em Cuba, se gloriam de uma moratória da Pena de Morte desde 2003, no entanto assassinam extrajudicialmente, e as mortes de Juan Wilfredo Soto (maio de 2011), Laura Pollan (outubro de 2011) e Oswaldo Paya (julho de 2012) são a prova disto.

A – Qual é o objetivo desta visita que o senhor está fazendo aos EUA, junto aos parceiros da CSW?

MB – Antes de qualquer coisa, preciso ressaltar que, coerente ao seu próprio nome, a CSW tem sido solidária à nossa missão em Cuba. Além de nos dar sua voz, a CSW fez um convite a mim e a minha esposa e facilitou os recursos financeiros que tornaram possível nossa visita aos EUA. Suas denúncias e relatórios a respeito das violações à liberdade religiosa em Cuba tem sido vitais no nosso caso e em muitos outros.

No ano passado recebemos com dor a notícia de que outra organização que se dedica a monitorar as violações de liberdade religiosa no mundo, a Open Doors, retirou Cuba da lista de países onde continua havendo violações à liberdade religiosa. O informe da CSW publicado em abril, inclusive com versão em português traduzida pela ANAJURE, com mais de 30 páginas dedicadas a Cuba, foi contundente e demonstra que a Open Doors precipitou-se demasiadamente.

No início de nossa viagem, a CSW preparou uma importante agenda que cumprimos em Washington e que nos permitiu atualizar importantes instituições governamentais e não-governamentais a respeito da situação real em matéria de liberdade religiosa na ilha. Um dos momentos mais emotivos para nós dentro da agenda foi sermos recebidos por um brasileiro muito especial em Washington, Raimundo Barreto, que realiza um trabalho muito importante dirigindo a comissão de liberdade e justiça da Aliança Batista Mundial. Nunca esqueceremos o carinho com o qual nós fomos recebidos.

Fomos também acolhidos pelas igrejas, imprensa secular e imprensa cristã na Flórida. Tem sido emocionante pregar à Cuba do exílio nos EUA, que é tão cubana quanto a da ilha. O fato de que algumas emissoras em que temos pregado podem ser ouvidas na ilha nos permite falar o que lá não é permitido. E isto faz comque aquilo que falamos chegue a milhões de cubanos.

Durante nossa viagem divulgamos 30 perguntas que temos lançado ao regime de Havana, questionando as supostas liberdades religiosas na ilha, as quais alardeiam argumentos que pretendem enganar a muitos, como parece que aconteceu com a Open Doors.

Estas 30 perguntas se converteram em um forte documento de denúncia divulgado em vários meios de comunicação, e que deixam o regime sem respostas lógicas, pois o desmascara. O regime político de Cuba é: inimigo da fé e amante dos deuses, aos que verdadeiramente serve, que são o poder e o dinheiro, embora disfarçando-se com aparência de piedade, mas negando sua eficácia com fatos.

Temos a esperança de que no próximo ano a Open Doors devolva Cuba à sua lista de países que violam a liberdade religiosa, levando em consideração as 30 perguntas divulgadas com apoio da CSW. Seria ótimo se não precisássemos estar nesta e em nenhuma outra lista, mas, não nos colocando nela não se faz nenhum favor a quem sofre dentro deste enorme campo de concentração rodeado de mar que é a nossa ilha, passando por seus altos e reais pesadelos, mas passa a favorecer os responsáveis pelas violações às liberdades civis fundamentais que se mantém no poder a todo custo.

A – Por favor, deixe uma reflexão para a Igreja Brasileira acerca das oportunidades e orar e ajudar a igreja perseguida em Cuba.

MB – Em 3 de novembro, diversas organizações cristãs a nível mundial, incluindo a CSW e a Open Doors, convocaram um dia mundial de oração pela igreja perseguida. Mas não basta apenas um dia de oração para interceder por nossos irmãos em tribulação pelo mundo. Hebreus 13.3 deve converter-se em um imperativo enquanto houver sofrimento no mundo.

Em nome da igreja de Cuba, que se encontra diante do enorme desafio de não ser cúmplice de um regime que a cada dia é desmascarado pela história, pedimos muita oração pelos nossos irmãos, na Igreja brasileira.

Gestos como o de Raimundo Barreto, da Aliança Batista Nacional, são exemplos do que o Brasil pode fazer, não sendo indiferente ante o clamor de liberdade de um povo que sofre e cujos direitos são pisoteados por uma família que se apropriou do país há mais de 50 anos e ainda o usa como um feudo.

Não posso perder esta oportunidade para colocar como exemplo no Brasil o Ministério Luz para o Caminho, da Igreja Presbiteriana do Brasil, dirigido pelo pastor Hernandes Dias Lopes, com sede em Campinas- SP. Eles têm investido com orações e finanças para que literatura cristã impressa e multimídia chegue a Cuba, com uma mensagem edificante que nos inspira em nossa missão. O devocional ‘Cada Dia’ que eles enviam para ser distribuído gratuitamente dentro da ilha transformou-se no devocional diário de milhares de cubanos. Em nossas igrejas temos sido beneficiados por sua solidariedade.

Outras igrejas e ministérios no Brasil também podem fazer o mesmo, além de orar, claro.

Uma mensagem muito importante para o Brasil: o debilitado regime que desgoverna a ilha por mais de 50 anos não tenta encontrar só na igreja um punhal para ferir sua cambaleante estrutura, mas também o faz no Brasil – O gigante do sul.

É importante que o Brasil receba sabedoria de Deus e não se deixe enganar, mas entenda que uma coisa é o regime que se apoderou da ilha, e outra coisa é o povo cubano.

A prosperidade econômica do Brasil constitui um ponto de observação para o regime no continente. Tratando de buscar ajuda para manter-se no poder.

Que o Brasil, e em especial a igreja brasileira, passe pela história como um povo que ajudou os cubanos a se libertarem do jugo do atual regime, e não o contrário.

A propaganda do regime de Havana é habilidosa e confunde a muitos, tal como, demonstra o caso da Open Doors, embora estejamos seguros que eles irão reavaliar a lista com base em nossos argumentos.

Não se enganem. Agradecemos ao Brasil pelos investimentos milionários realizados no porto de Mariel, em Havana, que isto será algo muito importante para a futura Cuba democrática que sonhamos, onde os direitos humanos são respeitados. Ressaltamos que é importante que o dinheiro deste porto não fique com uma elite que a cada dia enriquece mais, enquanto oprime um povo cada vez mais empobrecido. Esses recursos não devem servir para que o povo seja ainda mais maltratado.

Se a igreja brasileira puder incentivar seu governo para que ele priorize os direitos humanos em sua política exterior acima dos interesses econômicos, não ficará dúvida de que o fizeram por se alinhar aos interesses de Cristo em nossa sofrida ilha…

Por fim, nossa oração é que Deus continue abençoando o Brasil!

_________________________
Por: ANAJURE l Wanda Galvão – Jornalista e Secretária Administrativa

CUIDADO COM A VITÓRIA!

arrogante 2Fui terrivelmente tentado mas não caí. Amém! Fui terrivelmente tentado e caí, arrependi-me, pedi perdão e levantei-me. Amém! Existe uma tendência de se julgar, condenar, rotular e colocar no inferno pessoas que erraram ou que lutam para vencer algum pecado que os escraviza. Toda vez que censuro meu irmão, estou me colocando acima dele e no lugar de Deus. Se a admoestação não for motivada por amor, não tenho o direito e nem a autoridade para dirigir-me a qualquer errante sofredor. A intolerância religiosa e a má interpretação do texto sagrado tem sido uma triste realidade em algumas comunidades cristãs e feito um grande “gol-contra” o evangelho. O pecado é injustificável, porém Deus ama o pecador e nenhum pecado é grande demais que Ele não possa perdoar. Da mesma forma, nenhum pecado é pequeno demais que não necessite do perdão de Deus. Tanto uma “inocente” fofoca como um escandaloso adultério são igualmente ofensivos diante de Deus. Talvez você não cometa o “grande” pecado que o seu irmão andou cometendo, mas aquele “pecadinho” que só você sabe, não passará batido diante do Juiz de toda terra no dia final de ajuste de contas. Essa visão honesta e cristã nos livra da arrogância espiritual e nos mantém compassivos e misericordiosos para com os “mais fracos” na fé. O homem não peca porque ama o pecado e sim porque é pecador. O salmista já dizia: “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.” Salmos 51:5. Mesmo o apóstolo Paulo lutava contra suas inclinações naturais. O que transforma vidas é o testemunho de alguém que teve a coragem de admitir que foi alcançado pelo evangelho após uma vida de quedas… e quem não as tem?! O próprio Deus não teve “vergonha” de deixar relatada em Sua Palavra a vida pregressa dos grandes personagens bíblicos, porque sabia que essa seria a  forma eficaz de fazer valer a cruz de Cristo e levar esperança ao pecador. Tenha muito cuidado ao contar suas vitórias para que esta não se transforme em velada vaidade pessoal, o que irá anular sua vitória. Depois da grande vitória do Carmelo, o profeta Elias precisou curvar-se e colocar a cabeça entre o joelhos sete vezes para que sua oração fosse atendida. Isso porque o orgulho pela vitória alcançou o coração do profeta. E Deus não o atendeu enquanto não despiu-se de toda vanglória e soberba(I Reis 18). Evite o exibicionismo espiritual e seja honesto no seu testemunho pessoal. Entenda humildemente que mesmo após uma grande vitória, é possível nova queda. Abandone o falso moralismo, admita que é pecador e que depende da graça de Deus para suas vitórias. Perfeito diante de Deus não é aquele que jamais peca e sim aquele que está perdoado.

Por: Rubens Silva