Livrando nosso filho adolescente dos prazeres do mundo

“Filho meu, não te ponhas a caminho com eles, desvia o teu pé das suas veredas; Porque os seus pés correm para o mal, e se apressam a derramar sangue.” (PV 1:15e16).
O mundo tem oferecido aos nossos jovens um manjar satânico que nos assusta.
Os prazeres mundanos são tantos que nos leva a clamar: Meu Deus!
Como agir numa fase da vida onde lidar com isso está tão difícil?
Sim, somente Deus. Somente Nosso Soberano criador dos céus e da terra, Ele que nos conhece e nos formou desde o ventre da nossa mãe, saberá nos dizer como agir nesse momento. Temos que lutar por quem amamos, não sucumbindo perante este desafio.
Na experiência pessoal que Deus me proporcionou, posso relatar o que pode fazer a diferença nesta batalha:
Quando estive afastada dos caminhos do Senhor, o mundo me levou para o abismo, atraiu-me com sua beleza para tristeza do meu pai Celestial. Pois Deus não deseja que aquele a quem ele escolhe com tanto amor, liberta, cura, salva, caia em tamanha desgraça.
Você pode perguntar: O que me trouxe de volta?
E eu te respondo: “Deus. Que através da sua misericórdia, me revelou, me constrangeu e me atraiu, pelo incondicional amor que Ele tem por nós.”
Quando em sua palavra nos fala que o amor é: “sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre tudo crê tudo suporta (1Co 13: 4-7).
Foi o amor. A maneira como Deus me tratou, mesmo tendo abandonado os seus caminhos. Ele cuidou de mim com carinho e zelo, o que me deixou envergonhada com o maravilhoso amor de Cristo que excede a todo entendimento, o qual não era digna de merecimento.

Passei a entender que assim é com os nossos adolescentes. Para ganharmos eles para Cristo e não perdê-los para o mundo, devemos agir com o mesmo amor que Deus agiu comigo.
Amá-los, dar-lhes a verdadeira educação Cristã, proporcionar carinho, afeto e cuidados é o mínimo que podemos fazer pelos nossos filhos, independentemente do que eles estejam vivendo ou fazendo. Creio que isso nos fará vencermos satanás e as concupiscências da carne e os manjares do mundo que atraem nossos filhos.
Somente o amor faz cair por terra as propostas que o mundo oferece a eles.
Oremos juntas para que o Senhor nos capacite através do Espírito Santo a vencermos esta batalha e nos dê o mesmo sentimento que Ele tem por nós pelos nossos adolescentes.
Que Deus abençoe a você, minha amada, e te conceda sabedoria, força e principalmente muito AMOR!

Por: Arlei Tagliapietra
Conheça nossa colunista
Veja mais artigos desta colunista

Cuidados com o Corpo

Em conformidade com a carta de Paulo aos Coríntios no Capítulo 3:16, o nosso corpo é templo de Deus onde habita o Espírito Santo. Nós mulheres cristãs devemos tomar alguns cuidados para nos mantermos santas e agradáveis ao Senhor.
Nesta edição vamos tratar destes cuidados relacionados à alimentação, que é imprescindível para um equilíbrio entre corpo, alma e espírito.
Uma alimentação adequada é importante para nós mulheres buscarmos uma satisfação pessoal, tendo uma boa saúde física e mental. O que nos proporciona uma melhor auto-estima. Pois além de absorvermos os nutrientes necessários para o nosso organismo, adquirimos um equilíbrio em relação ao peso e estatura de cada uma. Consultar (www.canderel.pt/PT/saude/calcule_peso.asp#) para saber a sua condição atual.
Devemos tomar certos cuidados com determinados alimentos que estão presentes diariamente em nossas
mesas, como: o açúcar refinado, cafeína, gorduras saturadas e a grande quantidade de alimentos industrializados.
Ninguém se preocupa em ler os ingredientes constantes nas embalagens e ver a quantidade de produtos
químicos que se ingere diariamente. Que bem pode fazer à saúde um leite que dura 06 meses dentro de uma caixa, alimentos recheados de agrotóxicos, carnes inchadas com promotores de crescimento, um complexo de substâncias químicas e cremosas intituladas margarina que se passa generosamente em pães que à custa de conservantes duram mais de 30 dias numa prateleira de supermercado e assim por diante.
Além disso, podemos melhorar nossa saúde com alimentos diversificados e variados inclusive com baixos
custos através de legumes, verduras, frutas e cereais.
Portanto amadas, cuide do seu “templo” com carinho, sabendo que tudo que fizeres a ti mesma estarás
fazendo para o Senhor. Para que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Rm 12:01)

Por: Arlei Tagliapietra

Conheça nossa colunista
Veja mais artigos desta colunista

Fonte: Jornal Gospel News

Crise. Já que o assunto é esse…

Crise

Desde os mais remotos tempos, a civilização conhece e vivencia momentos de crise.

Com a criação do mundo, também foi criado o primeiro homem, Adão, que segundo a Bíblia, levava uma vida tranquila, sem problemas, contemplando a natureza, nomeando os animais, cultivando e cuidando o Jardim.

Em harmonia com tudo que Deus fez. Porém, ele vivia só. E Vendo que estar só não era bom para ele, Deus criou a mulher, para ser sua companheira e ajudadora. E tudo era bom.

Num certo dia, Eva contemplava uma árvore, que segundo o compromisso que o casal tinha com seu criador, era a única que não deveriam comer do fruto, pois se o fizessem seriam sentenciados a morte. Mas, sendo tentada por Satanás em forma de serpente, cedeu e comeu do fruto. Adão vendo que o pacto tinha sido quebrado, com medo de ficar sem sua companheira também comeu do fruto e foram destituídos da vida que levavam.

Enfrentaram a primeira crise relatada na história humana e sofreram a punição, sendo expulsos do Jardim e passado o tempo, morreram.

Essa história encontra-se nos primeiros capítulos de Gênesis e é tão moderna quanto o Ipod, banda larga pela rede elétrica, carros biocombustíveis, aquecimento ou crise Global.

Estamos vivendo as conseqüências da desobediência do homem, que mesmo com consciência que não deve comer “determinados frutos de determinadas árvores”, continua provocando sua própria desgraça com os desmatamentos para exploração do plantio, minérios, madeira e produção de drogas; o consumismo desenfreado de produtos e subprodutos; a insatisfação coletiva pelo anseio de novas aquisições; o apoio maçante dos gigantes da mídia apelando para sensualidade, sexualidade e banalidade através
dos padrões contemporâneos de beleza e sucesso.

Embora o homo sapiens saiba das conseqüências de tais absurdos, não usa a sua sapiência para realizar uma mudança radical nos conceitos adquiridos pelas massas. É mais fácil, quando vem o castigo, culpar a serpente (crise).

Entretanto, compete a nós, como indivíduos, recusar comer dos frutos que não edificam e desfrutar dos bons frutos compartilhando-os com os outros.

Afinal, nós temos o poder de escolha: Comermos os frutos que aos olhos parecem bons e agradáveis, sendo influenciados pelos outros e pelo sistema que rege este mundo, sofrendo suas conseqüências ou comemos os frutos gerados por Deus e seus bons costumes na certeza de que no mínimo, não provocarão uma reação indigesta.

…faça a sua Escolha.