Entrevista com Juninho Carelli que falou sobre seu novo CD – A ponte

Quem é Juninho Carelli?
Pianista há 15 anos, criador do projeto A Ponte, tecladista do grupo Brothers Music (Voz da Verdade), tecladista e videografista da banda Shaman, ex-tecladista da banda Viva Noite do Pânico na Band, sócio proprietário da Foggy Produções, professor de áudio na EMeT escola de musica, professor e coordenador de Video na FCAD CEUNSP maior faculdade de comunicação de São Paulo, diretor e roteirista de TV, clipes , curtas, séries…
Como foi seu início na música e, mais especificamente, no ministério de louvor e adoração?
Comecei de uma maneira muito legal, quem me ensinou a tocar teclado aos 9 anos de idade foi o Evaristo Fernandes do conjunto Voz da Verdade. Eu Cresci ouvindo o grupo e pude substituí-lo várias vezes tocando teclado, sempre tocando na igreja, até que surgiu a oportunidade de criar o projeto “A Ponte”, um sonho que saiu do papel para virar real! Um sonho de poder usar meu dom para as coisas do Reino, uma vontade que estava em mim e devido a um passo de fé muito corajoso consegui executá-lo … mas isso é uma história longa, podemos falar disso em uma outra situação!
O que mais marcou durante a gravação do álbum “A PONTE”?
O talento das pessoas envolvidas. Foi impressionante ver como todos que estavam participando, foram tão dedicados ao projeto, pessoas extremamente talentosas e profissionais. Desde Fernando Quesada, que produziu comigo o álbum e me ajudou com as composições, até os amigos que opinaram nas primeiras mixagens.
Qual o estilo e a sonoridade do disco?
Gosto de dizer que esse disco tem um teor mais agressivo em sua mensagem do que no som, apesar do som não ser tão convencional, por se tratar de um rock puxado ao pós grunge com pitadas de world music… Tive duas referencias enormes para a sonoridade do Álbum, Three days Grace e Phill Collins
E quanto às canções? Como foi o processo de seleção do repertório?
Eu separei composições de uns 3 anos e amadureci as mesmas, além de compor novas musicas com o contexto que pretendia passar no disco, que voltando na pergunta anterior, trata da vida real sendo abordada de uma forma dura, sem liturgias, dos conflitos que encaramos e perdemos, aprendendo a se apegar a Deus para não desistir.
A vida é feita de muitos momentos, nós somos feitos do que abrimos mão e do que resistimos, errar faz parte, tomar decisões erradas é algo muito fácil de acontecer, mas independente das consequências, o lance é não se entregar!
Qual ou quais músicas você destaca neste trabalho?
As musicas em sequencia, formam um contexto da historia de alguém que esta mudando de atitudes e tentando entender a simplicidade de Deus, que nós complicamos tanto. Mas as musicas: “MEU CAMINHO”, “INABALÁVEL”, “VOU AGIR”, “ENTÃO VEM” ,”DO OUTRO LADO” tem as letras que mais me encantam!
Qual(is) canção(ões) o público tem se identificado mais? E porque essa identificação ocorre?
A musica DESAFIO (que a Lydia Moises canta comigo) é uma que por já existir no meio gospel, as pessoas se identificam, mas as canções “ENTÃO VEM” , “TE REENCONTRAR” e “VOU AGIR” são musicas que caíram mais no gosto geral, não sei analisar isso para explicar, acho que é identificação mesmo.
Você já lançou o vídeo clipe da faixa “ENTÃO VEM”? Como você enxerga esta ferramenta dentro do seu ministério?
Se colocar no youtube e falar para os amigos é lançar, então eu lancei! (risos). Acho legal isso da identidade visual ser passada, principalmente porque esse clipe fala de diversidade, identidade e liberdade. No vídeo tivemos a participação do Davis Darruda (dançarino do Michael Jackson cover oficial e também do Disney Channel), e também do Julio Lima (Coreógrafo da Claudia Leite). Da até para sacar que nesse clipe eu mesmo apareço muito pouco, quis na real valorizar meus amigos e companheiros que fizeram o clipe acontecer, coreografaram, dançaram a tarde toda enquanto a gente realizava as filmagens. Foi uma experiência fenomenal dirigir uma galera tão do bem, por isso, eles tinham que ser valorizados ao máximo!
Como você esta tratando sua identidade visual na web e nos meios de divulgação em geral?
Do jeito mais honesto possível, sem apologias, ou escondendo o jogo, não aguento mascaras, sou o mais sincero possível, para ser muito explicito que crente ou cristão não é santo, ou alienado, ou brega, ou santo do pau oco, passo realmente a identidade de um musico, que curte rock e derivados, que vive de musica e produções de áudio e vídeo, e que é declaradamente adorador e apaixonado pelo único Deus, Jesus Cristo!
Como você administra seu tempo entre o projeto solo, a SHAMAN e o Brother Music?
Isso é tenso (risos), vivendo na estrada, sem dormir, estudando muito, dormindo pouco, correndo bastante, dormindo quase nada (ja falei isso?) e principalmente com MUITO AMOR!
O que você acha de premiações como o Troféu Promessas?
Acho super válido, o Gospel é um mercado como qualquer outro, apesar de eu não ser tão a favor de como o mercado se movimenta hoje, mas ele tem um sinergia que deve ser respeitada, e quem se destaca mais, é reconhecido em premiações como essa! Espero poder estar lá também algum dia, se Deus permitir e me dar essa honra, e claro, se minhas musicas e projeto tocarem pessoas suficientes para que aja merecimento.
E qual a sua opinião em relação ao espaço que a mídia secular tem dado a música gospel?
Mercado, o que esta na moda aparece mais forte na mídia, NÓS que divulgamos a palavra de Deus, temos que ser espertos e não cabeçudos, para usar essa oportunidade para propagar o reino, e não achar que isso é coisa do diabo. ELE USA O IMPIO PRA EXALTAR O JUSTO, a TV, por exemplo, passa muitas coisas que eu não gosto, mas passa muitas que eu gosto, dentre as que não me agradam, estão coisas cristãs também. TV é entretenimento e informação, a partir do momento que você tem a oportunidade de passar uma mensagem para a MASSA MIDIÁTICA você vai agradar uns e desagradar outros, o que é normal e compreensível, quem tem que sair ganhando na situação da pergunta é o reino de Deus e ponto final, o resto é pra gente se distrair e se informar!
A cada dia vemos crescer o uso de meios eletrônicos, como o Twitter, o MySpace, Orkut, Youtube, entre outros, para divulgação do trabalho. O que você acha dessas novas opções de mídia?
Acho que isso daria uma pergunta para resenharmos em uma outra matéria, podemos fazer essa resposta render! (risos), mas em um plano geral, essas mídias podem ser usadas para diversos motivos, quem é mais oportunista e tem maneiras de mostrar as redes acaba se destacando mais, tudo é válido, não é isso que vai definir a história, são tecnologias mutantes e interativas, não podemos moldar atitudes por ela, mas em contra partida elas moldam atitudes. Eu gosto da tecnologia, sou adepto e nerd suficiente para estar por dentro (risos).
Qual os seus planos para essa reta final de 2012
Temos um single para soltar e um planejamento de novidades muito bacanas para 2013! Composições novas e caminhos diferentes!
Poderia deixar um recado para nossos leitores?
Seja livre! Seja você! Tenha Juízo! Assuma os erros e supere-os!
“Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade para fazer o mal”. (1Pedro2:16).
Por: Bruna Weinrebe
Assessoria Juninho

Fonte: Supergospel / Jornal Gospel News